30 de dez de 2009

Conto de ano novo - On the road.

-Anselmo, para o carro.
-Mas de novo doutora?
-Anselmo, por favor, para o carro.
-Acho melhor parar Coyote, não vai contrariar, vai?
-Claro que não Ron, mas já paramos o carro um monte de vezes. Para comer, ir ao banheiro, comprar souvenir... Assim que horas vamos chegar?
-Viu Anselmo, o Ron pelo menos entende o lado feminino.
-Entende nada doutora, ele quer ir de novo ao banheiro também. Parece mulher...
-Ah Anselmo! Dá um desconto. Ce tá ranzinza.
-Mas Vall... Assim não vamos conseguir chegar à Califórnia antes da noite de ano novo. Com a doutora Remédios pedindo pra parar a cada duas horas e o doido do seu noivo apoiando... Assim só vamos chegar lá na páscoa.
-Larga de ser exagerado... Seu exagero só é compatível com o teu talento fotográfico.
-Não puxa o saco, Ron... Eu paro o carro.

Ron e Anselmo convenceram Marcel L´Onça a deixá-los fazer uma matéria para o Le Sanatéur na Califórnia. Sem especificar o que exatamente.
O chefe até desconfiou que não houvesse nada a ser coberto nesta época do ano e que os dois queriam mesmo era aproveitar os últimos dias do ano sob o sol californiano.
Sentiu uma pontinha de inveja, mas entendeu e os liberou. Afinal a Rua 45 estava sob uma camada de mais de dez centímetros de neve.
Um frio de congelar urina de cachorro em poste.
“-Quem dera eu pudesse ir também pra Califórnia, e ainda tão bem acompanhado...” – pensou o editor. Iriam com a doutora Remédios e Vall, paixão antiga e recolhida de Ron.

Por conta de atrasos – quase normais em se tratando de Ron – perderam muito tempo tentando sair de NY. E as setenta e duas horas necessárias para cruzar o país do Atlântico ao Pacífico caíram para quarenta e oito.
Porém com as paradas exigidas pelas meninas – com o apoio do repórter – as quarenta e oito acabaram se tornando 38, ou seja: humanamente impossível.
Mas a intrépida trupe não desistiria enquanto pudesse pisar fundo no acelerador do velho Studebacker de Anselmo.

-Sejam rápidas garotas... Temos pouco tempo e não demora cair a noite.
-Tá... É rapidinho... A gente só vai até o toillete... – disse Vall.
-Ron... Ce também vai ao toillete? – quis sacanear Anselmo.
-Não... Não... eu vou mijar mesmo... Acho que você deveria vir também.
Depois de alguns minutos Ron volta. As garotas não.
-Pô! Que demora... Que elas ficam fazendo no banheiro?
-Sei lá... Reparou que mulheres vão sempre juntas ao banheiro?
-É, eu reparei... Onde cê conheceu a Vall?
-Ah! Faz tempo... Ela é a editora chefe da Carnival & Clothes...
-A revista de moda?
-É...
-Você lê revista de moda?
-Não...
-Espera ai... Eu vi na sua mesa umas laudas de papel com uns textos meio afeminados... Ce escreveu para aquela revista?
-Errr... Só um pouquinho.
-Putz... Adeus Pulitzer... Hahahaha.

Finalmente elas voltam. Embarcam no carro e conseguem percorrer mais trezentos e vinte quilômetros sem parar. Ao entrar no estado do Texas o velho Studebaker começa a dar sinais de cansaço e são obrigados a diminuir a velocidade. Drasticamente.
O motor morre quando só faltavam algumas horas para a virada do ano. Não era de se espantar, sempre fez só o que quis mesmo...
Felizmente, bem em frente a um bar na beira da estrada. Ao menos não passariam o reveillon perdidos no meio do nada. Saltam do carro, parecem frustrados.
Entram no bar e Anselmo pede para usar o telefone enquanto Ron e as meninas vão até o balcão conseguir umas cervejas.
No balcão enormes bolos cobertos com creme e cerejas, como só ouviram falar que existia no Texas. Ainda duvidavam.
De repente um enorme cowboy entra no bar dando uma imensa gargalhada. Tão grande que parece ecoar por todo o deserto lá fora.
Espantados os três se entreolham e agora tinham a certeza: estão no Texas.
-E ai Anselmo? Ligou pra seguradora?
-Que seguradora? Liguei foi pro Frank, o mecânico. Ele vem buscar a gente. Vamos ter de voltar... E o pior: sem passar por Cadillac Ranch. -Fica triste não. A gente ao menos se divertiu vindo até aqui. Não foi Vall?
-Foi... Lembra daquele bêbado tentando fisgar uma azeitona com um palito de dentes, Remédios?
-Claro... O sujeito lá todo enrolado... Tentando por vários minutos e nada de conseguir.
-Hahahaha... Era a única azeitona do prato e toda vez que o cara tentava espetar ela escapava para o lado...
-Então o Ron foi até ele, pegou um palito e espetou na primeira... Ainda olhou pro cara e disse: “-Tá vendo? Sóbrio é mais fácil.”.
-E o cara olhando para ele com a cara mais séria do mundo: “-Agora estava fácil... Ela estava cansada já.”.
-E aquele outro falando numa língua estranha e pedindo uns trocados... A gente ficou pensando que ele era refugiado, sei lá...
-Mas quando o Anselmo deu a ele umas moedas ele agradeceu em bom e correto inglês.

Ao sair do bar, sem nada para fazer, Anselmo repara em um rapaz sentado à porta com um violão.
-Hei rapaz... Toca algo ai... – pede Anselmo.
-Sim, claro... – responde.
-Este sotaque, não me é estranho... Você é brasileiro? – observa Ron.
-Sou... Carioca.
-Bacana! Qual seu nome? E o que faz aqui? Além de tocar violão, claro.
-Marcos... Marcos Antonio. Sou poeta. Estou esperando uma carona para NY, mas nem sei pra que lado fica...
-Legal... Nós viemos de lá, mas nosso carro quebrou e vamos ter de voltar. Quando o nosso mecânico chegar pra nos levar de volta, quer ir junto? Trabalhamos em um jornal... Nada muito grande, mas um jornal.
-E eu posso?
-Mas é claro! Não pode Anselmo?
-Pode sim... No Sanatéur tem sempre lugar pra mais um louco... E, cara... Deixar o Brasil pra vir tocar violão na porta de um bar no meio do nada no Texas... Só louco.

Remédios e Vall saem do bar para encontrar Ron e Anselmo.
Cervejas nas mãos e erguem um brinde quando os ponteiros do relógio marcam exatamente meia noite.
Enquanto Anselmo e Remédios se abraçam ternamente desejando-se feliz ano novo, Ron e Vall trocam beijos apaixonados.
No céu não há fogos de artifício, nem lua, apenas estrelas iluminam aquela imensidão.
E quantas são! Nunca viram tantas.
Ao violão - um tanto desafinado - e puxando os “esses” na letra, o novo contratado do Le Sanatéur executa – literalmente – uma canção, que anos mais tarde Bob Dylan batizaria de Forever Young.


Conto feito à quatro mãos com meu parceiro nas aventuras da Tales of 45street: Anselmo Coyote.

Desejo a todos que acompanharam este humilde espaço um feliz ano novo, cheio de tudo aquilo que a gente sempre deseja a quem gostamos nesta época do ano. Mas com o diferencial de ser do fundo do coração. Até janeiro de 2010.

27 de dez de 2009

Tirando o pó da musica

-Cê nunca tira o pó destes discos velhos?
-Ó o respeito moleque... Não são discos velhos. São vinis antigos.
-E qual a diferença?
-Toda... Disco velho é aquilo que seu avô guarda na casa dele... Zilo e Zalo; Milionário e José Rico...
-É... Aquilo é velho mesmo... Tudo arranhado, todos ruins, alguns quebrados...
-É... Olha ai os meus... Todos conservados. Quase novinhos...

-Pai... Quem é esta mulher feia aqui? -Mulher? Deixa eu ver... Ah! É o David Bowie na fase gliter dele...
-Fase gliter? Aquele bagulho brilhante que as meninas põem nos tênis, nas roupas?
-É mais ou menos isto... É uma fase do rock onde os artistas abusavam do brilho, das plumas, da androginia...
-Abusavam da viadagem?

Tosse...

-E o que ele tocava que eu conheço?
-Bem... Eu não sei qual o seu conhecimento sobre rock, mas acho que você deve conhecer ao menos “Heroes” ou “Starman”.
-Não... Nem uma nem outra.
-Pô! “Starman” até tem uma cover com o Nenhum de Nós...
-Quem?
-Esquece...

-E este aqui pai? Quem é?
-Lou Reed... Este ai é o ultimo disco bom dele... New York.
-Posso por pra ouvir?
-Claro...
Começa a tocar a primeira musica... "Romeo and Juliet".
-O som é legalzinho... A letra também é boa...
Da segunda musica para frente...
-Ué... É sempre a mesma canção?
-Não...
-Mas se parece.
-Sim...
-Tem coisas mais antigas dele?
-Tem sim... Olha este ai do teu lado... Transformer.
-Hum... "Perfect Day"?
-É... Ouve ai...
-Bonita... Mas...Vixe! Que mulher feia... Aqui na contra capa.-Não é mulher...
-Pqp pai... Só tinha boiola no rock?
-Esquece...

-Ah.. Este aqui é macho... -Não filho... Esta ai é a Patti Smith...
-Ah vá! Isto aqui é mulher?
-Tecnicamente...
-Hahahaha... Agora entendi porque o rock é uma musica de transgressão...
-Mas pai... Diz um ai que não é gay e ainda tem umas musicas legais? Tipo... Com conteúdo?
-Filho, aprende uma coisa... Boa musica não tem sexo. O cara pode ser hetero, homo, pam... Qualquer coisa... Musica fica sempre acima disto. Musica é dialogo de almas...
-Pô pai, bonito isto ai... Posso te mostrar um som que eu curto?
-Pode. Claro!

Pega um pendrive, espeta na porta usb de um laptop e escolhe um arquivo de vídeo.
-Que isto ai filho?
-Lady Gaga...
-Porra filho... Tira isto daí! Depois é no rock que rola viadagem... Isto ai é um travecão imitando a Madona... E se a original, que é a Dercy Gonçalves americana – é um lixo... Imagina um travesti imitando... -Mas pai... E o negócio da musica que é dialogo da alma...
-Nem... Isto ai é coisa de alma surda e muda...

E finalmente está no ar a edição do Oscar F1 da Rádio On Board.
Felipe Maciel e eu recebemos mais uma vez a nobre visita do grande Eduardo Moreira para comentar os vencedores da premiação tradicional.
Mais uma vez não contamos com a presença de Fábio Campos, que desta feita estava no Vaticano, como comprova o video. Repare na figura de vermelho que agarra o Bentão é o joga no chão.
Segundo alguns presentes Fábio gritava: "-Vai interromper corrida de novo? Seu tanga frouxa!"

23 de dez de 2009

Conto de natal - 2009

Mantendo a tradição, meu conto de natal para este ano.

-Mas por que não eu? – quis saber Fabio.
-A gente não quer te dar trabalho.... – mentiu engoliu em seco Julio.
-Que isto... Eu adoraria, sabe como é... Eu não tenho filhos.
-Olha, não precisa mesmo... Valeu sua boa intenção... – diz Nakano, o gerente.
-Que isto chefe, faço questão! Podem ir todos pro saguão que eu vou me arrumar...

Enquanto Fábio se afasta os três que sobram: Julio, Nakano e Gil, que até agora estava absolutamente calada.
-Fala alguma coisa, Gil.
-Vai dar merda japonês... Vai dar merda.
-Como assim? – quis saber Julio – O cara tá cheio de boas intenções e é nosso amigo.
-Amigo vá lá, mas você sabe o que penso sobre boas intenções.
-É a gente sabe... De boas intenções o Corinthians está cheio... – completa o japonês.
-Fato ou não? – ela insiste.
-Fato pode ser... Mas por que Corinthians? – quis saber Julio que nunca se conformou com o dito da colega.
-E você conhece outra sucursal do inferno nesta terra que não seja o Corinthians? –explica ela.
-Deixa pra lá... Mas a gente vai deixar que ele faça?
-Bem chefe... O que não tem remédio...
-A Gil disse tudo, japa... E agora ele até já foi procurar a roupa mesmo...

A situação é a seguinte: festa de fim de ano na empresa e os quatro funcionários do RH – Fábio, Nakano, Julio e Gil - mais precisamente da equipe de bem estar e recreação, procuravam alguém para ser o Papai Noel e entregar os brinquedos aos filhos dos outros funcionários.
Fábio se apresenta e apesar das evasivas do grupo e insiste.
É que seu histórico nestas festas não é dos melhores, por vontade própria ou por contingência das situações algo acaba sempre dando errado.
Num breve relato pode-se listar coisas como: aparecer na festa de páscoa com duas Kombis lotadas com panetones; promover festa de Helloween em pleno dia de São João, fazer com que a firma presenteie os funcionários com garrafas de vodka, até os que freqüentavam as reuniões do AA e por ultimo levar uma comissão de possíveis clientes vegetarianos para fechar contrato em uma churrascaria rodízio chamada “Boi fatiado”.
Por isto a apreensão com o que possa acontecer desta vez.

No salão Gil se apressa em reunir as crianças em torno do trono – improvisado – onde se sentará o bom velhinho. Julio toma conta da enorme caixa que contém as bolas, caminhõezinhos e bonecas, enquanto Nakano procura dar atenção aos funcionários, sempre cordialmente.
Porém todos estão preocupados com a demora de Fábio.

-Tá demorando... Gil, vai lá ver o que aconteceu.
-Eu não... Vai lá Julio.
-Eu não.. Quem poderia ter vetado não vetou, logo... Quem pariu Mateus que o embale...
De repente aparece em uma das portas surge uma figura extremamente estranha.
Os poucos que se dão conta da presença ficam espantados.Gil corre e o empurra de volta para a sala de onde viera, atrás dela vem o japonês e Julio, situando-se entre o espantado e o divertido.
-Mas que caralho é isto? – pergunta Nakano.
-Cê pode explicar pra gente que roupa é esta?
-Ah Gil... Foi a que tinha no almoxarifado... – responde ele e completa – Pó chefe, cê não disse que tinha uma fantasia de Papai Noel lá?
-Tinha... Não tinha?
-Acho que não. - diz Julio... O que tinha lá era isto ai mesmo... Uma fantasia de Pé Grande.
-Mas por quê? Pra que? Com qual finalidade?
-Ah chefe... Sei lá! Ce sabe Gil?
-Eu? Por que eu? Quem é o responsável pela turma de teatro?
-Tinha uma turma de teatro na empresa chefe?
-Não... Quer dizer... Tinha! Não tinha?
-Gente - interrompe o fantasiado Fabio – Agora não é hora de discutir isto... Tá um calor “dos inferno” aqui dentro e, seja fantasiado de Papai Noel ou de Pé Grande o que vai importar para a molecada são os presentes mesmo...
-É... Ele tem razão... Vamos lá gente. To contando com vocês para que tudo de certo. Tão prontos? Fábio?
-Com calor, mas pronto...
-Gil?
-Fazer o que, né?
-Julio?
-Vamos lá... Pior pro Fábio – hehehe – que ainda por cima tá fedendo.
-Tô não... – e entra recebendo uma ovação da criançada.
-Pô, Julio... A gente não ia falar nada sobre o cheiro....

Ao entrar no salão e tomar assento entre aplausos e sorrisos Fábio se emociona, talvez por ainda não ter filhos gosta muito de estar entre crianças apesar dos comentários que ouve naquela hora. -Você não é Papai Noel. -Sou sim...
-Não é não... Ce não é gordo.
-Fiz regime.
-Cê não tem barba...
-Mamãe Noel acha que eu fico mais jovem sem...
-Cê tá fedendo!
-Vai à merda moleque.
-Paiê! O bicho de natal me mandou à merda!
O pai do menino se aproxima e reconhece Fábio debaixo da fantasia de Pé Grande...
-Hahaha! O filho volta aqui! Não é bicho de natal não... É bicha. Hahaha.
-Engraçadinho, cê não ia rir assim se soubesse que seu nome tava na lista para me ajudar com isto aqui... – mentiu.
-Estava? Mesmo? – engole em seco o pai do menino. – Para fazer o que?
-Ser um dos viadinhos do Papai Noel.
-Sem graça... – e se afasta.
Durante todo aquele dia, Fábio distribuiu os presentes.
Agradou alguns, desagradou a outros como é normal em toda confraternização.
Foi fotografado com um sem numero de crianças. Algumas gostavam, outras choravam.
Duas ou três fizeram comentários sobre o cheiro estranho que vinha da roupa de pé grande.
Um - exatamente o filho do chefe japonês - disse que aquilo era um gambá de natal.
E no fim prevaleceu o espírito natalino...
Ainda que este espírito tenha vindo na forma de um Pé Grande e com cheiro forte de naftalinas.
Um feliz natal a todos!

21 de dez de 2009

O diabo está nos detalhes

Li em um site qualquer que é tradição de Bernie Ecclestone enviar aos dirigentes das equipes de F1 um cartão de natal, juro que eu não sabia, e que o deste ano vem caprichado na ironia.
O desenho é até bacaninha: Em um cais, dirigentes das equipes de F1 e mais Jean Todt – novo mandatário da bagaça – dão adeusinho à um veleiro ocupado pelos dirigentes da Toyota e BMW que fazem companhia ao velhinho da fuzarca Max Mosley.
Ao lado um outro barquinho, com bandeira pirata é ocupado por Flavio Briattore, o popular “torresmo de sunga”, que os aponta uma bazuca.
Em outro detalhe é possível ver tubarões nadando em torno do barquinho e ainda uma cabana onde o próprio Ecclestone está sentado. Clique aqui para ver o desenho ampliado.

O desenho tem vários detalhes:

1- Os dirigentes estão todos com cara de alivio com a ida do velhinho da fuzarca.

2- Jean Todt esta sorrindo, e quem não estaria no lugar dele.

3- Os nicômicos e os alemães estão desconfortáveis com a presença de Max no barco. Vai que ele trouxe o chicotinho...

4- Briatorresmo está irritado, mas isto é compreensível, afinal é ele próprio que esta segurando a bazuca e não algum subordinado.
Pensando bem este é um ato falho do cartãozinho, afinal, mais veromissível seria que ele estivesse mandando alguém dar o tiro e fingir que foi acidente... Nelsinho talvez?

5- Os tubarõezinhos nadam relativamente afastados dos barquinhos, sabem que o conteúdo está mais para poluição do que para alimento.

6- Ecclestone está caracterizado como um salva vidas, para tomar conta da coisa toda se por acaso Todt trocar os pés pelas mãos e desandar a fazer besteira.

7- Apesar da neve que cai, Ross Brawn está em manga de camisa como quem diz: “-Eu sou “o bão”, nem o frio me espanta.”.

8- O dirigente ta Red Bull também, o que nos faz suspeitar dos ingredientes que compõe aquele energético que tem cor de xixi.

9- Domenicalli esta tranqüilo quanto ao trabalho feito no barquinho – colocação de combustível e troca das velas, afinal não foi a equipe que ele chefia que fez nem foi alguém segurando um pirulito eletrônico que liberou sua partida.

10- Até cadeira de rodas com o logo da Williams fica bonito.

Se alguém identificar mais alguma coisa que me escapou ao olhar, deixe ai nos comentários.

19 de dez de 2009

Tres espinhosos e um prazeroso.

Então tá!
O Botafogo ou qualquer time que tiver um ou mais jogadores flagrados em exames antidoping não perde os pontos do campeonato e nem sofre punição nenhuma?
Quer dizer então que o time não obteve vantagem nenhuma com a utilização de um jogador nestas condições?
Ai é fácil... Faz-se vistas grossas ao problema e apenas o atleta que se exploda...
Se o clube do flagrado também fosse pesadamente penalizado - com perda de pontos, renda, direito de arena – faria uma vigilância mais rígida em seus jogadores. Com exames antidoping regulares até.
Mas sonhar com isto em um como o futebol é utopia demais.
Por isto desisti deste esporte.

Estamos muito bem na diplomacia...
Primeiro Batisti, depois o Zelaya...
Estamos nos tornando especialistas em criar polêmicas onde não deveria ter nada além do bom senso.
O cara é condenado por terrorismo? Por assassinato? Entraga para a Itália julgar.
O cidadão foi deposto pelo congresso, pelo clero, pelo supremo tribunal de seu país e por boa parte do povo? Então tá fazendo o que entocado na Embaixada há tanto tempo e sem previsão de se mandar?
E mais. Quem tá pagando a conta?
Agora mais esta.
Por que a justiça brasileira esta interferindo tanto no fato do pai biológico querer levar o menor Sean para ser criado e educado nos EUA?
O menino não é americano? Não nasceu lá? Não tem pai americano vivo?
Vai entender...
Ah... Então Aécio Neves desistiu de ser pré-candidato do PSDB à presidência da republica ano que vem?
Bonzinho ele, né?
Agora que as pesquisas de intenção de votos mostram que há um viés de baixa na candidatura do seu colega José Serra em relação à vantagem que tinha sobre a candidata do PT, enquanto em um cenário em que o candidato tucano fosse ele a tendência seria de aumento ele sai?
Tá bom... Imagina ele que se a coisa desandar e José Serra – que tem o carisma de um poste sem luz – começar a ir muito mal o partido o aclamará como candidato natural a sucessão do Supremo Molusco da nação.
Embora pessoalmente eu pense que assim que começarem pra valer as campanhas, Dilma dispare nas pesquisas, nem que seja por transferência de popularidade, vejo neste ato do engruvinhador mineiro um jogo de cena. Uma pantomima para atrair a atenção sobre si.
Esquece-se que além dele e do vampiro anêmico que governa São Paulo, ainda postula a vaga dentro do partido o ex-prefeito da capital paulista Geraldo Alkimim.
Ai, ai.... Vem ai mais um golpe tucanalha...
Pode cravar ai... Aécio ainda é pré-candidato e vai rachar o partido às vésperas do ano eleitoral para assim poder ter uma desculpa para a surra que tomarão nas urnas.
Não porque Dilma ou qualquer outro do PT seja extremamente melhor, mas porque qualquer coisa que venha do PSDB é definitivamente pior...

E para desintoxicar destes tres assuntos nojentos - mas necessários de se tocar - um sonzinho bacana. Aperte o play e pule.



Tenham todos um ótimo fim de semana.

18 de dez de 2009

Conversa de botequim sobre F1

-Finalmente temos algo para comemorar.
-Que foi? A tal cúpula do clima lá na Dinamarca chegou a algum acordo?
-Nada... Aquilo lá não vai dar em nada... Aliás, estão contribuindo e muito para o aumento da temperatura.
-Como?
-Estão ficando todos -: autoridades, povo, manifestantes profissionais - de cabeça quentíssima.
-É... Tão quebrando altos paus lá, mas então qual a boa noticia a se comemorar?
-A volta dele...
-Ele quem criatura?
-Porra, não lê jornal não? Ele o piloto mais interessante dos últimos anos...
-Não? Jura! Confirmaram?
-Ahã... Confirmaram.
-Que legal... O Ross Brawn é um gênio mesmo... Pegou um projeto desacreditado, transformou em vencedor, vendeu por uma baba pros alemães e ainda trouxe o Schumacher?
-Que Ross Brawn e Schumacher o que? Eu to falando do Kamui Kobayashi que assinou com a Sauber...
-Kamui quem?
-Deixa pra lá... Coisa de quem gosta deste esporte e sabe apreciar uma boa promessa. Igual ao Peter Sauber...
-Cara... Eu tava lendo que o carro da Manor não vai ser testado em túnel de vento... Que eles não vão usar o treco, aliás, nem tem um...
-É... Eu li também que vão construir o carro com uma tecnologia maluca lá da Nasa...
-Vixe, agora fiquei preocupado.
-Preocupado? Com o que?
-Vai que a tecnologia que eles vão usar é a mesma daqueles ônibus espaciais...
-É... Já imaginou? Grandalhões, pesadões e defasados...
-Nem é disto que to falando... To preocupado é se aqueles trecos que eles estão fazendo resolvem explodir em plena corrida...
-Ah esquece...
-Por quê?
-Lembra que o nome da equipe agora é Virgin, que nem a gravadora do picareta do Richard Branson... E faz tanto tempo que nada que eles lançam explode que este risco ta praticamente anulado...
-É verdade... O time é do Richard Branson, que passou a vida toda explorando artistas e que agora vai explorar pilotos e mecânicos...

16 de dez de 2009

Chega de saudade? Será que ele volta?

Estranho... Muito estranho.
Quando Felipe Massa sofreu aquela infelicidade no GP da Hungria logo se aventou a possibilidade de que o alemão "sete estrelas" voltasse as pistas para substituí-lo.
Os boatos surgiram e logo o velho chavão “onde há fumaça” foi lembrado. Então o empresário do homem tratou de ir a publico desmentir.
Disse que era impensável que o homem que deu nome a uma era na F1 voltasse a pilotar por “n” motivos que ele não listou, claro...
Aí de uma hora para outra a assessória da Ferrari anuncia que o cidadão que forçou a FIA a mudar a pontuação das corridas vai sim pilotar o restante do ano pela scuderia.

Fizemos festa, gritamos vivas. Nós que gostamos do cara, claro.
Quem não gostava continuou não gostando e ainda deu um jeito de botar olho gordo na nossa felicidade.

Um tempo depois começam a pipocar os boatos de que por conta de dores no pescoço o hepta-campeão não ira assumir o cockpit rosso.
E lá vem o empresário do cara até a imprensa e afirma que o cara vai correr sim.
Acaba que o cara não correu mesmo.
Ficamos tristes, frustrados enquanto os que não gostam dele comemoravam sabe-se lá o que.

Agora aventa-se a possibilidade de que ele volte pilotando um dos carros da nova Mercedes/velha Brawn (como se velha fosse hehehe).
A fumaça das especulações já polui tudo que é meio de comunicação seja ele escrito, falado, filmado, ou pitaqueado na world wide web.
A fumaça é tão forte que já se fala em números, já se dá cifras e até seus semi- pares – por que desta turma ai não há um só que possa ser tratado como igual – já fazem declarações sobre o que ele pode ganhar ou perder com o retorno.

Particularmente acho que não perde nada, e se o carro da Mercedes for bom como era do da Brawn, ainda pode até ganhar uns pontos a mais em sua mítica.

Se eu acredito?
Bem até agora não vi em lugar nenhum o Willi Webber negando que ele vá correr...
O que pode ser um sinal de que ele não vá mesmo e tudo não passa de um golpe de marketing para chamar a atenção para a equipe.
Agora... Se o Willi Webber aparecer em algum lugar negando...
Ai eu vou pra galera!

14 de dez de 2009

Oscar F1 - 2009 - Os vencedores

William Bonner: -Dia de Caos em São Paulo...
Fátima Bernardes: -Chuva alaga cidade e o transito para na maior cidade do País!.
WB: -Dia de gloria na Gávea.
FB: -Flamengo comemora titulo que não via há dezessete anos.
WB: -Dia de denúncias em Brasília.
FB: -Governador do DF é flagrado recebendo propina. Assessor tinha dinheiro na cueca!
WB: -Dia histórico na Suíça.
FB: -Barack Obama recebe o premio Nobel da paz e faz discurso falando em guerra.
WB: -Isto e muito mais agora no Jornal Nacional.

WB: -Boa noite. A maior cidade do país sofreu com as fortes chuvas durante todo o dia.
Choveu o equivalente a todo o mês de dezembro. As cenas de alagamento são impressionantes como revela o repórter Marcos FW.


MFW: -Pô, eu sou carioca, nem sei o que to fazendo em Sampa e nesta chuva toda... Pqp! Quem foi que me colocou nesta roubada? Só vi cenas impressionantes assim no Oscar de Melhores Efeitos visuais que a academia entregou a Trulli e Sutil pela patacoada que protagonizaram aqui no GP do Brasil...

FB: -A industria automobilística acusou crescimento de mais de 5% no segundo semestre deste ano. As vendas de veículos zero subiram e atingiram a melhor marca desde 2006.
A Federação das Indústrias comemorou a marca elegendo o melhor diretor em festa no Palácio das Indústrias em São Paulo e seu presidente Alysson Balo, da Mecanews fez um discurso muito aplaudido:


AM: -Só poderíamos estar comemorando mesmo, afinal temos um diretor quase tão bom quanto Ross Brawn, que levou o Oscar de Melhor Diretor em 2009 na votação popular

WB: -A torcida do Flamengo passou o dia todo comemorando o titulo do campeonato brasileiro de futebol. A torcida elegeu Petkovic como melhor jogador em campo e veja só o que o ídolo disse: em entrevista ao repórter Julio César Kronbauer:

JCK: -Então cê tá se achando o melhor né? Nem cogita que o Grêmio abriu as pernas?
Pet: -Eu não quero saber o que houve, eu estou feliz e contente... Até fizeram um funk pra eu!
JK: -E você gostou?
Pet:-Podia ser pior né? Eu podia ter ganhado o Oscar de Melhor Piloto e me chamar Sebastian Vettel, ai o musica seria: “-Éo Vet, éo Vet, é o Vet...”

FB: -Videos comprovam que José Roberto Arruda recebia dinheiro de propina, quem nos conta esta história direto de Brasília é Daniel Médice.


DM: Vídeos comprovam o envolvimento do governador Arruda no esquema de propina conhecido como “mensalão do Demo” A pena é que o vídeo é tão curto quanto o vídeo premiado como Melhor Curta de Animação onde vemos a briga entre Kamui Kobayashi e Jenson Button no Grande Premio do Brasil de F1...

WB: -Agora uma noticia comovente... Torcedora da Williams F1 acha o troféu de campeão mundial de F1 e devolve ao seu dono.

Lyn Williams: Ah eu tinha de devolver né? Afinal ninguém liga pro cara faz muito tempo e a única forma dele ser um pouquinho, mas só um pouquinho notado era ficando com a taça... E tem mais... Eu ia entregar pra quem na Williams? O Nico? Kazuki? Nem em pesadelo quanto mais em sonho... Aliás sonho mesmo foi a história da Brawn GP, que levou o Oscar de Melhor Roteiro deste ano.
WB: -É.. E parece que para o ano que vem as coisas não tendem a melhorar para os lados da equipe da Lyn... Com um novato e um fóssil... FB: Agora a previsão do tempo com Ingryd Lamas.
IL: -Calor e baixa umidade do ar no Planalto Central e muita chuva no sul e no sudeste, veja no mapa: Uma onda de ar quente empurra as chuvas do Norte e Nordeste para o Sul podendo causar temporais...
FB: -Mas Ingryd ai onde você está apontando é o Centro Oeste...
IL: Ah é? Gente... Mexeram no mapa?
FB: Não... Mas seu modelito tá lindo!
IL: -Fui eu mesma que desenhei... Tá bonito né? Fiz inspirada na McLaren que ganhou o Oscar de Melhor Figurino...


WB: E continua sumido o bloqueiro e membro da academia que promove o Oscar da F1: Fábio Campos. Os amigos Ron Groo e Felipe Maciel deram declarações ao repórter Fábio Andrade sobre o ocorrido.
FA: -E desde quando mesmo ele está sumido?
FM: -Ih faz tempo já! Aliás ele tem ficado mais tempo sumido que trabalhando com a gente.
FA: -E quando foi a ultima vez que ele apareceu?
RG: -Foi durante a tentativa de fazer a gravação do programa da RoB sobre o Oscar F1 2009. A gente estava gravando e algo estava dando errado...
FM: -A conexão não tava boa... E o som não ficava bom de jeito nenhum...
RG: -É... Ai o Felipe teve de reiniciar o micro e saiu da conversa no skype, então foi que eu ouvi o Fábio dizendo uns palavrões e depois um barulho... Tipo um cabong!
FM: -Nós achamos que ele deu um soco no monitor...
RG: -E que o monitor revidou... Por isto ele tá sumido.
FA:-Mas ele faz falta? Ou ele é um coadjuvante? Assim como o Kimi Raikkonen que foi eleito no Oscar de vocês como o Melhor Piloto Coadjuvante?
RG: -Não, não... Ele é importante...
FM: -É sim... Se não quem vai discordar pra gente dar uma espinafrada?


FB: E foi hoje a premiação a entrega do Premio Nobel, Barack Obama que ganhou o mais importante deles: o da Paz, fez um discurso onde citou varias vezes a palavra guerra e ainda defendeu a “guerra justa”. Quem conta é o enviado especial a Zurique, na Suíça: Bruno Santos.


BS:-Obama surpreendeu ao defender como “justas” as guerras em que seu país está envolvido. Disse que os terroristas não aceitam a linguagem da diplomacia e o dialogo, e que se os Aliados na segunda grande guerra tivessem apenas se valido destas linguagens contra o eixo nazista, hoje a humanidade estaria tomando cerveja quente e comendo chucrutes. E que ao invés de se preocupar com a emissão de gases pelas indústrias mundiais, estariam preocupados com a própria emissão de gases já que todo mundo sabe que chucrute é vinagrete de repolho...
Barack Obama: Creio em guerras que são justas, creio que algumas são necessárias para se obter a paz.
E encerro meu discurso citando João Batista de Oliveira Figueiredo, militar que governou o Brasil - que alias ganhou o Oscar de Melhor Grande Premio de 2009 - durante a abertura para a democracia depois de vinte anos de ditadura: “Eu vou fazer a paz ao mundo e quem não quiser que eu faça: prendo e arrebento”!

A todos que não foram citados nominalmente fica meu pedido de desculpas e o agradecimento pela participação na votação deste ano. E tenho certeza, falo em meu nome e em nome de meus camaradas Fabio Campos e Felipe Maciel sem os quais o Oscar não existiria...

10 de dez de 2009

Por obséquio, conhece o Arruda do DF?

Franco da Rocha, 10 de Dezembro de 2009.

Senhor Mark Chappman

O sol lá fora aquece de forma muito gostosa. Você ainda se lembra?
É claro que a estas horas da manhã, com tudo orvalhado a temperatura é amena e que com o passar das horas vai esquentar horrivelmente.
Mas a gente sempre pode ligar um ar condicionado, um ventilador ou mesmo procurar uma sombra.
E você ai não pode ver e nem sentir isto não é?
Sei que esta prisão em que se encontra não é nem sombra das masmorras de Abu Graib – é assim que se escreve? – mas ainda assim é uma prisão não é?

Eu estava ouvindo um disco do John Lennon agora à pouco. Um disco de grandes sucessos. Deve ter sido difícil de escolher as musicas deste álbum já que eram tantos sucessos...
E você achou que deveria dar um fim a vida do rapaz... Que idéia infeliz esta sua, hein?
E isto já tem vinte e nove anos! Como o tempo voa não?
Eu li que Yoko disse não a seu pedido de perdão, para que fosse libertado.
Eu teria feito a mesma coisa e acho que qualquer cidadão de bem também teria feito o mesmo.

Sabe, se fosse aqui no Brasil que você estivesse preso, já estaria na rua com ou sem consentimento dos familiares e herdeiros de Lennon.
Nossas leis têm o mau-hábito de proteger os infratores. Têm-se regalias aqui sabe?
Se solta por bom comportamento.
Tem-se o beneficio de redução de pena se você trabalhar na prisão e o supra-sumo de nossos desmandos: A prisão semi-aberta.

Não esta entendendo não é? Também como pode? Não faz sentido algum...
O sujeito é condenado a uma pena por um delito qualquer... Desde roubar galinhas até assassinar alguém. E no meio de sua pena pode receber o beneficio da ‘prisão semi-aberta’ em que o sujeito só precisa ir dormir na cadeia. Durante o dia pode perambular livre pelas ruas. Na maioria das vezes fazendo outras porcarias do mesmo quilate das que o levaram a prisão.
E pior! Se o cara for político em exercício de mandato e roubar o erário publico então, nem preso ele vai...

Mas você não esta preso aqui, não é.
Está em um Pais onde as leis protegem o cidadão, seus familiares e não bandidos... Bem, sorte dos habitantes deste lugar e azar o nosso, que acabamos mais presos que os presidiários com tanto muro grade em nossas casas...
Mas mudando de assunto...
Se você por acaso estivesse preso aqui no Brasil e tivesse o beneficio de sair por bom comportamento ou até da prisão semi-aberta, o que faria?
Outra pergunta é: Você se arrepende do que fez?
Se sua resposta for não, tenho outra pergunta: Você faria de novo?
Ta certo... Eu sei! Não se pode matar a mesma pessoa duas vezes, mas mataria outra pessoa? Digamos que sua resposta agora fosse sim...
Você já ouviu falar de José Roberto Arruda?

Ron Groo.

9 de dez de 2009

Piano na Mangueira

Dizia ele que todo pianista tinha de ter algum defeito físico qualquer, se não por que se trancar em um cubo de trevas deixando lá fora o sol e um milhão de mulheres bonitas?Ele próprio tinha uma inflamação eterna no nervo ciático.

Outra história muito boa dele é a do cheque que passou na padaria Século XX no Jardim Botânico, RJ.
Ao saber que um cheque de Charles Chaplin fora leiloado por uma fortuna, resolveu pagar ao dono da padaria, Armando Ascenção, uma conta de 100 mil cruzeiros novos (10 dólares da época) com um também e disse:
"-Pega esta relíquia por que um dia ela valerá milhões!”. Quando morreu, em 1994 o padeiro apresentou o cheque à imprensa e disse que talvez um dia ele faça o tal leilão:
"-Não foi ele que sugeriu?”. – brincou.

Tom ultrapassou os limites da musica brasileira para se tornar patrimônio mundial, cantado por nomes tão dispares quanto João Gilberto e Iggy Pop. Passando por Sting e Chico Buarque.
Celebrado desde os barracões das escolas de samba - como a Mangueira que o homenageou e por ele foi homenageada - até a turma do jazz nova-iorquino como Ron Carter, Stan Getz e Frank Sinatra.


Um gigante este Tom Jobim! (frase chupada descaradamente do post do Ico)

8 de dez de 2009

Notinha do busão

Cheguei ao ponto de ônibus e vi que o Zé Pequeno conversava muito seriamente com o cobrador, que tem cara de bobo.
Pelo aspecto preocupado do cobrador e a cara entre divertida e irônica do motorista vi que não poderia ser nada muito sério.
Geralmente, quando o moleque traz alguma de suas preocupações ao conhecimento de Amaral ou é uma tragédia ou a maior banalidade do mundo.
Zé trata tudo com seriedade e gravidade estudadas para dar a impressão que realmente se importa.
No fundo o Zé não passa de um fanfarrão.

-Groo... Vai lá e diz pro Souzinha que acha que a conferência do clima não vai dar em nada...
-Por quê?
-Só vai lá e diz...
-Tá.

De passagem pelo cobrador, ainda fora do ônibus abro o jornal e balanço negativamente a cabeça juntamente com um profundo suspiro de desaprovação.

-Que foi? – ele pergunta.
-Nada, nada.... Tava vendo aqui umas noticia sobre a conferencia do clima...
-Lá em Copenhague?
-É...
-E o que ce leu ai que te fez ficar com esta cara de desaprovação?
-Muita gente, muitas cabeças diferentes e um monte de interesses em jogo.
-E isto é ruim?
-Claro... Imagina... Um monte de chefes de estado, uma penca de cientistas, outro monte de gente desocupada que está lá só acompanhando os políticos...
-É tem razão.... E os políticos que estão lá não devem estar preocupados com o aquecimento global, né? Tão lá pra ver o lado das empresas que os ajudaram a chegar ao poder...
-É... Tão preocupados com isto sim... Mas também estão preocupados com o aquecimento...
-Será Groo? Será que o discurso do Minc, do Al Gore, do Obama, do Lula... Será que eles vão arrumar um jeito de deter o aquecimento?
-Claro pô! Afinal eles estão em Copenhague não é?
-É... Mas... O que a cidade tem a ver com isto?
-Tem tudo a ver... Imagina se eles lá iam querer que o calorão derretesse as Nhás Bentas deles? Justo em Copenhague!
-Ah Groo... Vá se f...

7 de dez de 2009

Ê povinho bunda

Para um país que se orgulha de ser representado mundialmente pelas imagens do carnaval estão fazendo onda demais com as declarações do ator Robin Williams.Ele ter dito que mandamos: “cinquenta stripers e meio quilo de pó” para ser escolhido como sede das olimpíadas de 2016 não me pareceu disparate nenhum.
Vamos analisar.

Cinquenta stripers...
Somos um país altamente “bundista”, começa que para elogiar uma mulher de qualquer parte do mundo quando ela é gostosa dizemos: “Bundinha de brasileira”.
E ainda ficamos todos orgulhosos quando um gringo qualquer diz que adora as mulheres daqui... Quer mais?
Procure no vídeo que o COB apresentou no evento de divulgação da sede e conte bem quantas bundas apareceram juntamente com os “pontos turísticos” e “belezas naturais” da cidade maravilhosa.
Sem contar que também haviam as imagens do carnaval carioca que já citei na abertura do texto.
Alguém ai pode dizer: “-Ah, mas o uso das imagens e até mesmo o carnaval não tem a conotação que ele deu! Srippers são prostitutas,”.
Ah não?
O forte apelo sexual das imagens das bundas praiando no Rio, ou das mulatas pulando como se o chão estivesse quente e chacoalhando as partes sempre à mostra não se confundem com o oficio das stripers?
Sem contar que a generalização é preconceituosa, afinal nem toda striper é prostituta, como nem toda passista de escola de samba é safada. O contrário também serve.
E por ultimo, qualquer uma que faça algum sucesso, ou ganhe notoriedade repentina seja lá por qual motivo neste país logo é convidada para?
Claro! Mostrar a bunda na playboy... E todo mundo adora....
Até quando é a Fernanda Young - que nem bunda tem - ou a Geyse Uniban que até tem, mas não sabemos de que parte do corpo. Se na frente, atrás ou na cara...
Portanto podemos dizer que achar ruim a primeira parte da frase do cara é hipocrisia.

Meio quilo de pó.
Talvez a palavra “pó” tenha sido mal escolhida, ele devia ter dito “droga” mesmo.
Basta dar uma olhadinha na comissão olímpica que foi até lá para representar o país na decisão e teremos, obrigatoriamente, de dar razão ao ator estadunidense. Claro... Ele errou – e feio – na quantidade.
Todos aqueles caras lá davam muito mais de meio quilo...
No conjunto:
Só disse a verdade de forma irônica, e alegar que ele não poderia ter feito tal piada porque já foi viciado – em pó e não em stripers – é no mínimo uma contradição...
E vinda de um povo que vive bradando que aprendeu a rir de si como forma de escapar das próprias mazelas é outra hipocrisia das grossas...

Agora... Se for pelo fato dele ser americano e não ter nada a ver com nossos problemas, ai sim... É hipocrisia e idiotice mesmo.
Quando são os humoristas silvícolas a fazer piada com o resto do mundo os mesmos chatos que criticaram se matam de rir...

5 de dez de 2009

Curtas metragem

Entrou sorrateiramente, pé ante pé, quase imperceptível.
Parou. E colocando as costas em uma coluna, com o revolver em punho, encenou a mais clichê das posições dos filmes de mocinhos e bandidos.
Queria aproveitar um momento de descuido, mas não teve paciência.
Ao saltar no meio dos mal feitores não matou apenas o personagem, assassinou também a bilheteria. O sinal ficou verde, abriu.
Pos o carro em movimento trocando marchas e acelerando.
Pensou que algo estava errado já que o carro não deslanchava.
Subiu o viaduto a pulso e quando atingiu a parte mais alta do elevado um caminhão emparelhou.
O moleque que ocupava o banco do passageiro, provavelmente o ajudante colocou a cabeça para fora da janela e gritou: “-Solta o freio de mão, seu burro!”.
E olha que pela cara do moleque nem idade para dirigir tinha.Ela: Viveu até os oitenta anos com saúde invejável. Comia alga.
Ele: Morreu aos trinta e cinco. Comia Olga
É que ela, que se chamava Helga descobriu.
E Olga? Nunca mais foi vista. No ultra-som era menino.
Nasceu e era menina.
Cresceu na duvida.
Hoje sabe que é mulher, foi sua namorada quem a convenceu. A musica sempre fez parte de sua vida. Toda ela tocara trombone.
Até casou com uma musicista.
É verdade que depois de alguns anos de casados começaram a não se dar muito bem
Ao morrer deixou em testamento que tocassem em seu velório “When the saints go marching in”, mas com ressalvas:
“-Oboé não, oboé não é instrumento musical e sim de tortura.”.
Sua esposa não compareceu ao funeral. Desde criança adorava animais.
Estudou zoologia, também se formou biólogo.
Prestou concurso para trabalhar no Zoológico Nacional.
Aprovado em segundo lugar, nunca foi chamado.
Hoje é bicheiro na Lapa.

A todos um bom fim de semana.

4 de dez de 2009

Isto aconteceu.... De novo.

-Bem vindo a central de relacionamento ‘Telefônica’! Se você já é cliente ‘Telefônica’ tecle ‘dois’, se você ainda não possui linha telefônica tecle ‘três’. (Teclando dois.)
-Tecle o numero de DDD mais o numero de telefone para o qual você quer solicitar serviços.
(Teclando DDD mais numero do telefone.).
-Você está na central de relacionamento Telefônica.
Boa noite, se você deseja falar sobre sua conta telefônica dique ‘dois’. Se você deseja solicitar reparos, consertos, ‘doctor Speedy’ tecle ‘três’. Se você deseja compra uma linha telefônica tecle ‘quatro’.
(Teclando três)
Você esta na central de relacionamento Speedy, se deseja, solicitar consertos, reparos ou suporte técnico tecle ‘dois’, se deseja cancelar serviços, produtos ou linha telefônica tecle ‘três’.
(Teclando impaciente ‘dois’)
-Caro cliente, muitos problema de conexão podem ser resolvidos desligando o computador e o modem e re-ligando após dois minutos. Caso você já tenha efetuado este procedimento e o problema persistir, aguarde enquanto o redirecionamos para a central técnica.
Entra gravação perguntando se já sou cliente e dizendo as vantagens de sê-lo.
-Célia Maria Aquino boa noite! Com quem falo por gentileza?
-Ron Groo.
-Como, me perdoe, não entendi...
-Ron Groo, erre ó ene ge erre ó ó!
Queira, por favor, confirmar o número do seu telefone com DDD?
-O numero é (confirmo). Mas eu já tinha teclado o número para chegar até aqui...
-Eu entendo senhor, pode me confirmar titular da linha?
-O titular da linha é (confirmo).
-Muito obrigado no que posso ajudá-lo?
- A conexão está ‘caindo’ com muita freqüência. Estou trabalhando e de repente apagam-se as luzes ‘ADSL’ e ‘Data” do modem. Então eu perco a conexão...
-Eu entendo senhor. O senhor já fez o teste desligando o modem e o computador por dois minutos?
-Já! E continua.
-Deixa então que eu faça algumas verificações... Qual a marca do modem que o senhor usa?
-D link. -Sistema operacional?
-Windows XP home edition.
-Em que cidade o senhor está?
-Franco da Rocha.
-Endereço?
(Confirmo o endereço).
-Estarei redirecionando o senhor para o suporte técnico avançado, um instante, por favor...
Após cinco minutos ouço o dialogo:
-Suporte?
-É...
-Boa noite! Estou aqui com a solicitação do senhor Ron Groo e... – cortando.
-De quem?
-Ron Groo, deve ser húngaro...
-Ta bom... Que modem ele usa?
-D link e Windows XP...
-Vixe!
Então a atendente Célia voltando a falar comigo...
-Senhor Ron?
-Hum...
-O setor de suporte avançado vai estar continuando o atendimento, ok?
-Que jeito né?
-Como?
-Nada... Ta bom, brigado.
-A telefônica agradece sua ligação e lhe deseja uma boa noite.
-Suporte avançado, Osmar Julio com quem estou falando, por favor?
-Ué, a outra menina não tinha te dito?
-Não senhor...
-Ta, Ron Groo, erre ó ene ge erre ó ó...
-Como posso ajudar?
-A minha conexão cai toda hora, as luzes do modem se apagam...
-Sim, vamos fazer uns testes, o senhor pode, por favor, desligar o modem?
-Ta certo... – E desligo o aparelho, espero por cinco minutos. – Alô?
-Mais um instante senhor...
-Ta... – E lá se vão mais sete minutos...
-Senhor Ron? Pode ligar o modem novamente? E me avisar quando as luzes estiverem fixas...
-Ó as luzes nem acenderam, agora não acendem mais...
-Eu entendo...
-Não, você não entende, eu disse que tinha conexão, ruim, mas tinha, agora não tem mais nada. As luzes do modem não acendem mais.
-Eu vou esta abrindo uma solicitação para que um técnico esteja indo até a sua residência para fazer os reparos necessários.
-Não senhor, de maneira nenhuma, quando eu liguei para este suporte era para resolver um problema e não para que fosse criado outro.
-Eu entendo senhor...
-Não, eu repito! O senhor não esta entendendo... Eu quero as luzes acesas e o modem funcionando. Este serviço é relativamente caro para que funcione tão mal e tenha um suporte técnico tão ruim...
-O senhor pode confirmar o endereço para que possamos estar mandando o técnico até sua residência...
-Eu não confirmo p*** nenhuma, e não quero porcaria de técnico nenhum aqui. Já estamos nesta b*** de ligação a mais de cinqüenta minutos e tudo o que você conseguiu foi f*** ainda mais meu serviço. E falando a sua linguagem para ver se você consegue entender: EU VOU ESTAR DESCONTINUANDO O SERVIÇO COM ESTA EMPRESA E ESTAR MIGRANDO PARA OUTRO PROVEDOR DE BANDA LARGA! Dez minutos após ter desligado violentamente o telefone, recebo a visita de um técnico da Telefônica. Sem que eu tivesse confirmado o endereço e nem a solicitação.
O rapaz, muito educado e solicito reconfigurou o modem em três minutos, e me disse que era um problema que com mais um pouquinho de boa vontade poderia ter sido feito até pelo telefone mesmo.

3 de dez de 2009

Drops azedos

Então ganhou o “Capacete de Ouro” como melhor piloto brasileiro na F1 em 2009?
Iupiiii! Hurra! Que felicidade! Aêê!
Ta ai a prova que o ano foi bom mesmo! Ganhou duas corridas lutou pelo titulo, ressurgiu das cinzas... Legal!
Mas espera ai!
Quantos pilotos tivemos nesta temporada?
Três! Mas para fazer valer o tal concurso não tinha que ter disputado a temporada inteira?
Tinha o... O...
Não! Este foi demitido no meio do ano.
Mas tinha o... Hum... O... Não... Este foi alijado da disputa por uma infelicidade...
Então só tivemos um...
Porra! Se ficasse em segundo também, tá louco heim?
Por mais que admire o presidente da República, por mais que ache que ele ocupará o posto de melhor presidente de todos os tempos, tirando JK do trono e tudo o mais eu tenho de dizer: Esta insistência em acoitar o presidente deposto Manoel Zelaya na embaixada brasileira em Tegucigalpa esta enchendo o saco.
Lula e seu partido que tanto brigaram pela legalidade e democracia aqui no Brasil agora teimam em não aceitar a vontade do povo hondurenho que – em pleito democrático – elegeu Porfírio Lobo.
Zelaya foi expurgado por parte do Congresso, do Clero e até do povo hondurenho por tentar dar uma “hugochavada” na constituição para poder se eleger “ad infinitun” e – se usasse o mesmo expediente de seu modelo venezuelano – de forma pouco licíta.
Não reconhecer a legitimidade do presidente eleito daquele país é um tiro no pé de seu próprio passado.
O Democratas resolveu que não vai resolver agora o que fazer com o governador do Distrito Federal, dando tempo a ele para que a opinião publica se esqueça e o assunto esfrie.
Se bem que no DNA do partido está o velho PFL de ACM e companhia bela...
Vou lembrar aqui o que escrevi quando o PFL trocou o nome para DEM:
“... é como trocar o nome da m**da esperando que assim deixe de feder.”
Se bem que tudo isto parece ser mais normal que respirar para a classe política e politiqueira deste país.
Já tivemos o mensalão com dinheiro na cueca na base do governo federal mandado a público por Roberto Jefferson.
Tivemos o mensalão tucano em Minas Gerais e agora o escândalo no D.F.
Isto me faz lembrar de uma frase escrita por Mark Twain no inicio do século passado:
“-Ontem à noite vi um político num bar, e pasme ele estava com as mãos no próprio bolso!”
Isto sim seria de se espantar...