Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

Leonard & Etta

Lejzor Czyz era um judeu polonês que ao desembarcar em Chicago em 1928 tem seu nome trocado para Leonard Chess.
Depois de tentar a sorte com clubes noturnos em Chicago – o mais famoso foi o Macomba Lounge - resolveu investir suas economias em uma gravadora. Compra então parte da Aristocrat Records, especializada em pop negro e jazz, aos poucos vai assumindo o controle total da empresa, guinando sua orientação para o blues.
Gênero que ajuda a sair da fase rural/acústica e ingressar na era urbana/elétrica gravando Howlin´ Wolf e Muddy Waters, John Lee Hooker, que cultivavam uma rivalidade gigantesca, além de Bo Didley, Buddy Guy, Lowell Fulson entre outros.
Sem contar o maior compositor de blues em todos os tempos: Willie Dixon.
Chess, como bom judeu, pagava pouco para seus contratados, mas generosamente lhes presenteava com Cadillacs novinhos a cada disco de sucesso. Então quando estes precisavam de dinheiro ou de um aumento em seus cachês ele respondia: “-Já lhe dei, ou acha que os carros…

Chaplin, City Lights e o GP de Singapura.

Imagem
Charles Chaplin em sua extensa carreira tem um filme chamado: Luzes da Cidade (City lights, EUA-1931) em que seu personagem Carlitos, o adorável vagabundo se apaixona por uma florista cega que o confunde com o milionário do qual ele se torna “amigo” durante as bebedeiras deste. Entre idas e vindas do enredo, Carlitos, na ânsia de ajudar a florista se envereda por diversos empregos para tentar levantar o dinheiro para que ela e sua tia paguem o aluguel atrasado e evite o despejo iminente.
Assim se torna pugilista e varredor de ruas, mas só consegue o dinheiro com a ajuda do “amigo milionário” que durante um porre lhe dá mil dólares que pagam não só o aluguel atrasado, bem como a cirurgia que lhe devolverá a visão.
Porém, quando recobra o juízo e a sobriedade, o milionário o acusa – injustamente – de roubar o dinheiro e assim Carlitos vai preso.
Quando sai da prisão ele reencontra a florista e descobre que agora ela pode ver e que montou uma floricultura e, que cada vez que um homem rico e…

Ava(ca)liações de Singapura.

Imagem
Se alguém tivesse sabotado este treco ai lá em Singapura, talvez... Eu disse TALVEZ houvesse alguma emoção de verdade...

E mais uma vez o Capitão Gancho ganhou do Peter Pan... Faltou um crocodilo pra comer o outro braço do safado...

E seguindo esta linha... Nico Rosberg terminou a corrida em quinto lugar...
Prefiro Lewis mil vezes tentando e errando que Vettel sem tentar nada o tempo todo.

E por falar em Vettel, olha ele aí... Red Burro.
Bom seria se caísse sentado em cima da garrafa...

Mecânico: -Este velho... Além de tomar pau de uma menina ainda dá trabalho extra pra gente.


Button: -Quer dizer que assinou mais um ano? Parabéns...
1B: -E fui o primeiro a assinar! Antes do Hulke!
Bruno: -Até que enfim foi o primeiro em alguma coisa, hein?



Webber e o troféu de terceiro que lhe valeu ser o primeiro... Até este treco é mais bonito que o brinde que o Santander dá aos vencedores de suas corridas..

Homem da placa: -Alonso! Nos boxes tem um p*** bem grande para você!
Alonso pelo rádio: -Bueno!

Singapura 2010 - Sob as luzes da cidade...

Imagem
Singapura é assim.
Tudo muito bonito, tudo muito iluminado (menos a história da corrida que o Nelsinho bateu), mas muito chato.
Se for para ver espetáculo de luz – que inegavelmente é bonito – eu prefiro Paris, que não é só a pista das luzes, mas a Cidade Luz. E tudo é tão chato que o vencedor não poderia ser outro se não o piloto preferido em Brusque, que de F1 entende tanto quanto eu entendo de física quântica e cirurgias ortomoleculares...
Fazer o que. Uns gostam de corridas, outros da beleza dos pilotos.
Enfim... Vida que segue.

Com uma largada limpa demais o piloto safado espremeu o burro no muro.
Burro? Ué... E como chamar um cara que tem o melhor carro e decide tentar ultrapassar só na ultima curva da corrida? Inteligente é que não é.
Corrida decidida em estratégia é o pesadelo de qualquer fã de velocidade. E esta corrida noturna é e vai ser sempre vencida assim.
Seja estratégia de estatelar um no muro para outro ganhar ou a de não parar logo nos boxes... É chato.
Ainda houve boas ultra…

Líricas para a F1

Rossos safados
Na equipe do Comendatore, quem tem príncipe é suspeito.
Na corrida na terra de república parlamentar, se vencer o príncipe é fraude.
Em time de príncipe, se vencer o plebeu é zebra.

Mercedes.
Na equipe dos alemães, quem dá as cartas não é loiro. É Brawn...
Na corrida noturna, se vencer um prateado é piada do Pânico...
Em time de Lobo velho, quem dá as cartas é a Chapeuzinho...

Red Bull
Na equipe do energético, o excesso é visto como fraqueza.
Na corrida das luzes, os meninos tem medo do escuro.
Em time de meninos, não se tem respeito pelos mais velhos...

McLaren
Na equipe só de ingleses, não existe patriotismo. E nem patriotada...
Na corrida sob as estrelas, os satélites é que podem se sobressair.
Em time de irmãos, a guerra é permitida.

Renault
Na equipe da terra do champanhe, não se servirá vodca.
Na corrida da hora dos sonhos, o bicho papão vem de amarelo e preto.
Em time de um carro só, dois pilotos é luxo.

Williams
Na equipe de passado glorioso, o primeiro piloto é do tempo em que aind…

E se...

Imagem
Vou colocando algumas situações e minhas saídas.
Se puderem deixem as suas também.

E se:
Encontrasse na rua, bem por acaso, Luca di Montezemolo?*Gritaria em alto e bom som: “-Os carros do Sr. Ferrugio são melhores e mais bonitos!”

E se:
Estivesse em um local e José Serra estivesse dando entrevista para algum jornalista e dissesse: “-Isto não vai acontecer no meu governo!”? *Diria para que os microfones pudessem captar: “-O que não vai acontecer é seu governo!”.

E se: Felipe Massa te dissesse que ainda acredita no título deste ano e que não é segundo piloto?
*Eu daria risada....

E se:
Fosse o Rubinho? *Não riria mais... Afinal piada muito repetida perde a graça.

E se:
Pudesse mandar um recado aos pastores televisivos? *Cês vão pro inferno, cambada de usurários...

E se
Um conossiêr de vinhos ficasse em sua frente falando das propriedades amadeiradas, das notas de carvalho, do aroma frutado e encorpado, da cor sólida e do bouquet divino de um vinho qualquer? *-Ah vá! E cê sentiu tudo isto dando …

Plano maligno para Singapura.

Imagem
-Flavio... Precisamos ganhar a corrida noturna... Por favor, dá uma ajuda ai...
-Mas claro, meu caro Stefano... Quero que você saia por cima quando eu assumir o pitwall rosso.
-Como? Assumir o que?
-Nada, nada.... Mas vem cá... Gostou daquela de por os mecânicos atrapalhando a saída do tonto prateado, heim?
-Gostei... Eu gostei. Quem não gostou foram eles... Os mecânicos.
-Bah... Besteira. O tonto prateado não atropelaria ninguém ali... Ainda se fosse o Mansell... Mas o Button nunca... -E agora... No que está pensando?
-Tenho um plano... Temos que esperar a chegada do Fernando para dizer, afinal ele é quem vai ser beneficiado.

Então o piloto aparece na sala, o clima que já não era bom fica pior...
-Entonces, cavalheiros... Tratemos de negócios. – diz o asturiano.
-Negócios? – se espanta Stefano
-Mas é claro! Uma vitória de Alonso em Cingapura é um grande negócio! – e ri sua risada diabólica.
-Mas e o esporte? Nós somos um time esportivo! – tenta argumentar o simpático bobalhão.
-Depois não sabe p…

TV aberta, sessenta anos

Imagem
Muito diferente do que disse Belchior em “Balada de Madame Frigidaire”, a TV nunca teve de enfrentar a geladeira como nossa amante. Ela é a rainha absoluta do lar.
A TV é dona da casa e a geladeira no máximo uma escrava branca.
E por conta disso a família estava toda reunida em torno dela em uma noite chuvosa de segunda-feira. -Sessenta anos de TV no Brasil... – diz a mãe.
-Pois é... Mais de meio século... – diz o pai.
-Vocês viram a TV quando inaugurou? – perguntou a filha do meio.
-Não, não... TV era coisa de rico. Em São Paulo, maior metrópole do país só tinha no máximo uns duzentos aparelhos... E foi Assis Chateaubriand que mandou trazer de fora do país... Meio que por maracutaia... Já que veio como contrabando. – conta o pai.
-E ninguém pegou ele? Perguntou a mais velha.
-Pegar Chateaubriand? Que isto... Era o homem mais importante daquela época. Influenciava presidentes, até mudava ou pedia leis para que levasse vantagem... Getúlio Vargas era muito seu amigo.
-E como ele fez pra que nin…

Contos do botequim - 3 - Uma tarde normal

Imagem
E o fim da tarde chega encontrando toda a fauna que freqüenta o boteco do Canário reunida em torno de mesas devidamente cobertas de cervejas.
Andrade, Dito, o ex-prefeito, Márvio e até Anízio, o homem das funerárias.
As conversas variavam do tradicional futebol e política municipal até os também tradicionais pitacos sobre a mulherada que por ventura passa-se pela porta do boteco.
-Cê viu o jogo?
-Vi... Foi impedimento. O gol não valeu.
-Que gol? To falando do jogo de basquete...
-Basquete? Eu não assisto basquete... Não gosto de nada que põe as mãos na bola...
-Isto explica porque se divorciou...
-O que?
-Nada, nada... Deixa pra lá.

Então Derico, o fiscal da natureza – segundo as más línguas – adentra o bar e puxa uma cadeira...
-Ô Canário, seu safado... Trás uma coca-cola ai e uma porção de salame... Eu falei salame, heim? Vem com porcaria de mortadela não... - e virando-se para os amigos - E ai bando de desocupados? Que manda de novo?
-Mandar de novo em qual sentido? – diz Andrade, professor de…

Oportunidade de emprego na F1

Imagem
-Bom diai... Eu vim pelo anuncio de emprego.
-Bom dia. Trouxe um currículo?
-Não... Não trouxe, mas sou profissional de primeira linha, pode confiar.
-Bem... Na verdade se for um profissional muito bom, de verdade, a gente nem possa te contratar... Estamos com problemas financeiros, você deve saber.
-Olha cara... Eu trabalhei em lugares legais... Até no Martelinho de Ouro eu já estive.
-Mas você é mecânico ou funileiro?
-Faço os dois, se for necessário...
-Olha aí. Versatilidade, isto é bom! Já pensou em trabalhar segurando um pirulito?
-Que isto doutor? Eu sou pobre, mas sou descente!
-Não... Você não entendeu, mas... Mas dá uma geral ai para mim... Onde foi que você já trabalhou?
-Bem... Comecei nas oficinas da Renault, lá no Brasil, quando a marca se chegou por lá.
-E trabalhava muito?
-Bom... Naquela época a marca era campeã de reclamações nos jornais especializados.
-E depois?
-Fui trabalhar em uma concessionária da Mercedes. Quase não tinha trabalho, os carros não quebravam!
-Certo, certo... M…

Mentes superiores

Imagem
Após a grande vitória do time rosso em Monza, o staff da equipe foi convidado para uma grande festa na casa de Luca di Montezemolo e para lá vão todos.
Mecânicos, engenheiros, pilotos, o povo da logística e até o pessoal da cozinha e limpeza.

Aquilo sim era viver bem. Na entrada da casa, uma imensa área coberta abrigava uma espécie de museu de carros de F1. Lá se pode ver os carros de vários pilotos que passaram pela scuderia: Lauda, Gilles, do Schumacher tinha uns três, Surtees, Ascari, Prost, Raikkonen e até do Berger...
No hall de entrada, pinturas de grandes artistas italianos que retrataram os carros vermelhos e outras obras de arte além de capacetes de pilotos da equipe em todos os tempos.
Piscinas cobertas e aquecidas para o inverno, outras ao ar livre, óbvio, para o verão.
Salão de jogos, um imenso living para receber os convidados e uma sala intima, onde dizem, o chefão da Ferrari trama as falcatruas, as quebras de contrato e mais, muito mais que não se ousa dizer. Até porque nest…
Imagem
Monza não tem muitoo que ava(ca)liar.
É a pista que mais gosto, a primeira em que assisti um GP inteiro, e entendendo o que se passava na pista.
E nesta primeira corrida, além de ver Nelson Piquet ganhar a prova, de quebra levou o campeonato mundial. O segundo em sua carreira. Fica ai a imagem daquela prova.

Alonso e Massa na mesma foto, que é para não sujar o blog... Note que Alonso está um pouco atrás e que Massa está freando para que ele passe... Maldade? É... E dai?

Segundo lugar na prova, mas primeiro em honestidade. Ao menos isto o Button leva...
-Signore Bernie, nostro Alonso non pode perdere questa carrera...
-Não vai perder... Não vai.
-Assim esperamos. Se non....

Da série: Encontre o Alonso.
De Peter Pan Vettel para Nico Rosberg: "-Tá bom, eu não cresço e amadureço nunca né? E você vai virar homem quando?"
E por falar em Rosberg, ele não lembra a viúva Porcina? Para os que não conhecem, ela era a que foi sem nunca ter sido. Era a viúva de Roque Santeiro oficialmente, sem nun…