21/07/2011

Cockpits cobertos, e ai? Contra ou favorável?

O que você acha da idéia da FIA de cobrir o cockpit dos F1?
Muitos dirão que é válido.
Que é uma mostra da preocupação que a entidade tem com a segurança dos pilotos, principais astros da brincadeira.
Outros diriam que é ruim.
Agride o formato de fórmula acabando com uma de suas características: o piloto com capacete ao vento. A outra são as rodas descobertas.
Mas é só isto?
É desta forma simplista apenas que se pode enxergar os testes feitos pela entidade máxima do automobilismo mundial?
Sim e não...

Fato é que entre as equipes – parte tão importante quanto os pilotos – ao serem informadas dos testes com a tal bolha protetora se manifestaram - pasme! – em unanimidade contra a tal inovação.
A gritaria se deu apoiada no viés da própria segurança argumentada pela FIA.
Se por um lado, dizem eles, a cobertura protege a cabeça do piloto de pneus soltos, molas e afins, por outro poderia – repare no tempo do verbo – dificultar a sua remoção do cockpit em caso de acidente.

Felipe Maciel, editor do Podium GP aventou a hipótese dos testes não passarem de uma “bacia de Pilatus”.
Em caso de acidente na F1 como o que vitimou Henry Surtees, a FIA se eximiria de culpa argumentando que uma precaução foi testada e oferecida, mas rejeitada. Transferindo assim a responsabilidade para as próprias equipes.
Em outras palavras: lavando as mãos.

Curiosamente, todos os argumentos parecem válidos e tem lá seus fundamentos.
Claro que a segurança é de longe o mais importante de todos e para aqueles apresentados pelas equipes exista a contrapartida de mais estudos para desenvolver e aprimorar dispositivos que permitam remover o piloto do carro com rapidez mesmo com a cobertura, como acontece com os carros protótipos e de endurance.
Prova disto foram os acidentes da Audi em Le Mans este ano.
É só uma questão de investimento.
E quanto à descaracterização, para os mais românticos, basta lembrar que nos anos sessenta os carros eram charutinhos sem spoilers, asas traseiras ou penduricalhos aerodinâmicos quaisquer.
Para os fãs daquela época talvez tenha sido tão ou mais difícil que para alguns de nós aceitar a revolução que tomou conta da estética dos carros na virada para os anos setenta e em diante...
É como dizem: não há nada com que você não se acostume mais cedo ou mais tarde.

12 comentários:

Fábio Andrade disse...

Nos acostumamos com os carros com essas asinhas minúsculas de 2008 para 2009, então podemos nos acostumar com tudo.

Eu acho que uma bolha protetora implicaria num outro problema: com os recursos de hoje, existe a tal sobreviseira, que vai sendo substituída a medida que vai sujando. No caso de uma bolha externa transparente, por exemplo, como fazer para mantê-la sempre limpa?

Vitor Viegas disse...

Quer coisa mais descaracterizada que a F1 atual? Os carros atuais, de tecnologia limitadíssima, em nada se parecem com uma categoria que teve na inovação e vanguarda tecnológica sua marca.

Abraços.

Joel Gayeski disse...

Deveriam fazer os carros baseados no formato do Lotus 49 com um V8 3.0 que não girasse mais que 10 mil rpm, sem spoilers e com tecnologia atual.
Chega de pilotinho apertando botãozinho.

TW disse...

daqui a pouco, querem cobrir os pneus também e transformar em turismo!

Imagina essa proteção acima do capacete, o calor infernal lá dentro. E se chovesse então...

F-1 A.L.C. disse...

tenho por ahi uma foto de um auto union da pre WWII com cockpit fechado. iguauzinho ao cockpit de um Stuka! os safados dos naziz se aproveitarom de um carro de F1 para testar tecnologia de aviação!

se achar boto no Tuite, se empolgar escrevo um post.

Anselmo Coyote disse...

Nem contra nem a favor, muito antes pelo contrário, sou a favor do contrário.
Abs.

Francisco J.Pellegrino disse...

Não me surpreenderia se a "capota" viesse a se tornar um ítem nos fórmula Um...fazem as regras do jeito que querem, logo vão usar até motor AP turbo !

Marcelonso disse...

Groo,

A FIA não costuma divulgar imagens de testes, acho que tem coisa ai...

Particularmente é muito estranho, mas como alguém disse, a gente estranha, mas com o tempo acostuma!

abs

PH Miniaturas disse...

Ia ter duto de drenagem de suor? Ia ter ar-condicionado? Essa bolha seria à prova de bala? Se um pneu (ou mola...) se soltasse e atingisse um carro, os estilhaços da bolha não poderiam ferir o piloto?

Pra mim é ridícula essa ideia. Deixa como está e pronto.

Manu disse...

Eu não sei. Fico pensando na dificuldade do piloto sair em caso de acidente e no calor...
Acho que a idéia deve ser muito bem pensada.
Realemnte não dá para saber.

Abs!

Rubs Cascata disse...

Quem será o flanelinha do Alonso? Jogar uma aguinha ensaboada no vidro, passar um rodinho?

ander010 disse...

A não ser que transformasse carros de formula 1 em carros de categoria de turismo, tirando isto não tem nada a ver a questão de descaracterizar a formula 1.
Quanto aos aspectos de segurança concernente a "bolha de vidro" consideramos que se trata de itens de alta tecnologia, muito difícil acontecer aquilo que a gente imagina.