11 de set de 2014

A troca de capo na máfia rossa

-Droga! – ele pensou – Tantos anos dedicados à famiglia e agora não vão me descartar assim... Canalhas.
Sentia-se bem, apesar de tudo. Sentia-se em paz.
Desde que assumira a frente da organização, os lucros haviam crescido consideravelmente.
E não só em seu próprio território.
Lá pelas bandas em que a family de Henry F. dão as cartas, seu a organização obteve seu melhor resultado em anos e anos.
-E nem precisei mandar nossos garotos para aquelas várzeas que eles chamam de negócios indy ou nascar...

Agora não tinha culpa da má fase.
Não entendia porque alguém que ele julgava fazer parte do time o criticara tão duramente.
Sabia que era por estar ficando para trás na briga com os alemães, mas por Dio! Mesmo na frente aqueles germânicos sem charme não conseguem sequer manter as aparências.
Lembrou-se de como passou por uma crise idêntica e de como haviam resolvido as coisas à moda rossa.
Pouco importa se um de seus bambini tinha sido exilado em uma organização japonesa depois.
Os negócios em primeiro lugar.
-Amadores... – pensou ele sobre os germânicos.

Mas ele não deixaria que o humilhassem.
Sairia da organização por cima.
Sairia como o homem que trouxe a boa fase de volta, a prosperidade... O homem que possibilitou a vinda da legenda destes negócios: o alemão de codinome Seven Stars.
E antes até, quando contratou um austríaco aparentemente imortal para ser a testa da coisa.
Mesmo depois de ter convocado uma coletiva para dizer que não sairia da frente dos negócios, agora seria trocado...
-Vão ver só.

Vestiu seu melhor terno, seu melhor relógio, seus sapatos italianos mais caros e se dirigiu à reunião.
Assim que entrou na sala reservada pelos outros cappi da organização já tomou a palavra.
-Senhores... Quero dizer que não vou ficar mais à frente dos negócios. Saio antes, por vontade própria, de cabeça erguida.
O silêncio na sala era enorme. A tensão podia ser cortada com uma faca não muito afiada.
Até que um dos capos menores tomou a palavra.
-Ok Luca... Entendemos sua posição, mas esta reunião era para dizer que você iria ganhar mais poder. Já que não quer... Vamos por qualquer um no lugar. Alguém ai pode me chamar aquele stronzo do Sérgio Marchionni? E que Dio nos ajude...

4 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

No melhor estilo do Poderoso Chefão...

Montezemolo é aquele tipo de sujeito que desperta sentimentos antagônicos.

Seu trabalho a frente da Ferrari como empresa marcou época, e no time também. Afinal de contas, comandar uma estrutura vencedora por anos consecutivos não acontece todo dia.

abs


Vander Romanini disse...

Aí lascô foi tudo pro bambino!!

Manu disse...

Bem, os últimos anos dele lá foram horrorosos. Ainda dou boas risadas desde a confirmação da saída dele. Espero não acordar com cabeças de cavalo na minha cama :D

Abs!

Anselmo Coyote disse...

Senso geral: quando tudo foi bem os méritos são do capo; quando degringolou a culpa é de outros. Por isso foi uma injustiça bla bla bla.
Passe no RH, Luca, segunda feira as 7h23. Não atrase.
Abs.