13 de ago de 2015

Comédias da vida real na F1 #19: Michael Andretti, o injustiçado

Na Indy, ainda nos tempos da CART ele era o cara.
Agressivo, incisivo, campeão, duro na batalha... Um vencedor.
Ao se transferir para a F1, alguns chegaram a comentar (e acreditar) que Michael Andretti incomodaria e seria um companheiro de equipe e adversário à altura de Ayrton Senna.
Mas não foi bem o que se viu...

Durante os testes chegou a andar bem próximo ao brasileiro tri campeão.
As especulações cresciam e a ideia de ter novamente um norte americano em condições de vencer na F1 deixava os dirigentes da categoria sorrindo de orelha a orelha.
Os EUA sempre foram um mercado complicado...
Mas ai o campeonato começou efetivamente e... Um banho de água fria
.
Das cinco primeiras provas terminou apenas uma: um quinto lugar na Espanha. (Pista ruim, piloto ruim, dirão alguns.).
Oitavo em Mônaco, décimo quarto no Canadá e sexto na França sinalizaram uma melhora, mas nas três provas seguintes não conseguiu terminar. (Grã-Bretanha, Alemanha e Hungria).
Oitavo na Bélgica e – finalmente – um pódio: terceiro lugar na Itália.
O irônico? Foi dispensado da equipe logo após seu melhor resultado.

Das sete corridas em que abandonou, seis foram por acidentes ou rodadas e apenas uma (Hungria) abandonou por falha do carro: um problema no regulador que, curiosamente, também foi o motivo do abandono de Ayrton Senna neste GP.
Ainda assim, o americano após ser fritado da McLaren (e da F1) saiu atirando para todo lado e dizendo que seu fracasso era parte de um plano sórdido da F1 para desqualificar a Indy e seus pilotos.
Se não é roteiro de comédia, nada mais é...

2 comentários:

Anônimo disse...

Tem também a história dele querer levar a carreira na F1 morando nos EUA e não na Europa, onde os testes eram realizados com mais frequência.
Mas na verdade, ele não se adaptou à F1 que dizem, tem o ambiente muito diferente do ambiente familiar da Indy.

Paulo.

Marcelonso disse...

Groo,

Andretti foi uma piada na F-1...


abs