12 de abr de 2017

F1 2017: Chamando para prestar contas

E na Itália, mais precisamente na sede da Scuderia Ferrari, Sérgio Marchionne e Maurizio Arrivabene conversam com Kimi Raikkonen em uma sala com moveis de madeira maciça, escura e enfumaçada, sob os olhares atentos e ameaçadores de diversos funcionários. Todos vestidos com ternos escuros e alguns de óculos escuros.

-Kimi, figlio mio.... Queremos saber por que catzo você tem uma performance tão abaixo do bambini Vettel?
-E por que reclamava tanto de nostro carro na corrida da China?
Raikkonen apenas olhava para os dois impassível.
-Temos que lembrar que já rasgamos uno contrato uma vez?
-E que se quisermos, rasgamos outro...
Nenhum sorriso, nenhuma expressão.
-Vamos te lembrar que a scuderia é una famiglia.... Se um ganha, todos ganham. – Dizem sérios enquanto outros empregados seguram o riso.
-Sempre damos equipamentos iguais para nostros bambinis.
Kimi se mexe de forma incomoda na cadeira e fixa o olhar em uma foto de Barrichello.
-Então? O que tem a nos dizer?
-Podemos contar com uma melhora sua já na próxima corrida?
-Kimi volta a posição original na cadeira, esboça um sorriso e se levanta. Caminha em direção a porta e olha para trás de forma enigmática.
O ar carregado faz com que os empregados da Ferrari suspendam a respiração por um instante enquanto Kimi abre a porta e sai sem responder nada.
-Acha que ele vai se esforçar? – Pergunta Marchionne.
-Ninguém sabe, particularmente, duvido... – Responde Arrivabene.


Enquanto isto, na Alemanha Dieter Zetsche, Toto Wolf  e grande parte do staff da Mercedes se reúnem com Valteri Bottas.

-Hail Bottas... Só queríamos agradecer por usa performance até aqui...
-Sabíamos que não nos desapontaria.
-Mas.... Eu tenho me esforçado e...
-Relaxe.... Está ótimo! Se continuar assim te daremos um aumento!
-Não só aumento, mas extensão de contrato! Logo, logo ninguém mais vai nem sentir falta do Nico.
-Lewis já não sente...  Obrigado Bottas.

4 comentários:

Anônimo disse...

. Que filme ! Que foto ! Pacino ! Apesar de, em filmes mais recentes, estar um canastrão de responsa. Pior que o Jack Nicholson. Aliás, o Jack é o melhor canastra que existe. Adoro ele. Iluminado.
. Boa, senhor Groo, mas, sinceramente. Kimi Bottas. Kimi e Bottas. Kimi já está coroa, só pensa naquilo. Grana, nome escrito prá sempre na história do automobilismo, só pensa em morenas( é finlandês) e vodkas. Bottas, pela primeira vez pega um torpedão. O companheiro de equipe quer o 4º título mundial para esfregar na cara daqueles jornalistas ingleses e no Jack, Stewart, amigo e ex-chofer do George, Harrison. 4° título perdido prum alemãozinho penélopiano e na corrida da Malásia do ano passado de forma esquisita. A equipe sabe disso e deve ter dado um toque no também finlandês, que deve gostar de morenas mas, me parece, não ser adepto de vodkas. Vai ajudar, será segundão. Deve ser difícil já que na Ruimlliams ele era o primeirão mas fazer o quê ? De repente, GH, virando, 4, pode enfim realizar o verdadeiro sonho e, em 2018, virar Didjei.
Imagine o senhor, que ama o Lullapaluizza, não perde uma edição, ano que vem, no show do DJ tetra campeão mundial Lewis Hamilton, hein ?
Em Interchattos !


M.C.

Manu disse...

Hahahahaha... Para dizer a verdade, não tenha dúvida alguma que a reunião com Kimi foi assim. Só acho uma coisa, se ameaçaram rasgar de novo o contrato, ele deve ter sorrido mais ainda. Iriam ter que pagar uma fortuna boa de novo. rsrsrsrs...

Qt ao Bottas, eu tive pena, mas ele sabia que ia dar nisso.

Abs!

Rubs disse...

As fontes não revelaram tudo. Havia um arcebispo na reunião que contou a história completa para o padre da minha paróquia.
Raikkonen falou bastante na reunião. Em linhas gerais, usando a voz passiva para não revelar o sujeito, explicou que o problema é fundamentalmente de escolha de set up. Ou seja: alguém vai lá na calada da noite e bagunça o set up do carro.
Além disso, Raikkonen chegou a alterar a voz, quando disse: - "I've been in the sport long enough and it's not very often that it's all smiling and happy. It's a part of the job. It's frustrating. But I know what we need and we have a very clear picture of what we want to do."
Pela expressão de Arrivabene, é tido como certo que cabeças vão aparecer cortadas.

Na saída, Raikkonen percebeu que havia uma magnífica viola italiana Stradivari sobre um móvel de carvalho do século XVII. O finlandês pegou o instrumento, examinou-o com olhar acurado e tocou uma antiga melodia norte-americana:
I am a man of constant sorrow,
I've seen trouble all my day
I bid farewell to old Finland,
The place where I was born and raised
(The place where he was born and raised)

For six long years I've been in trouble,
No pleasures here on earth I found
For in this world I'm bound to ramble,
I have no friends to help me now
(He has no friends to help him now)

It's fare thee well my old lover (Victory)
I never expect to see you again
For I'm bound to ride that northern railroad,
Perhaps I'll die upon this train
(Perhaps he'll die upon this train)

You can bury me in some deep valley,
For many years where I may lay
Then you may learn to love another,
While I am sleeping in my grave
(While he is sleeping in his grave)

Maybe your friends think I'm just a stranger
My face, you'll never see no more
But there is one promise that is given
I'll meet you on God's golden shore
(He'll meet you on God's golden shore)

Depois disso, Raikkonen terminou dizendo: "See you all in Valhalla guys".

Rubs disse...

https://youtu.be/ALcdFAAojt4