16 de abr de 2017

F1 2017 - Corrida Bahrein: Because the night belongs to lovers. Because the night belongs to us

Um fato curioso: depois que passou a ser disputado a noite (lá) as corridas no Bahrein ficaram mais atraentes.
Seja pela temperatura diferente da pista (no deserto a variação dia/noite é bem grande) seja pelo espetáculo das luzes brilhando nas carenagens que dão um colorido diferente ou pelo que for, está menos torturante e até prazeroso assistir.

Esta edição, impulsionado pela nova velha rivalidade Vettel/Hamilton que estão rigorosamente empatados na ponta da tábua de classificação, ainda há outros motivos para ficar atento.
São eles: Bottas em sua primeira pole, Vettel pulando logo atrás (em terceiro, mas na parte emborrachada da pista), o fator Verstappen nas largadas e uma onda crescente de melhora dos carros da Red Bull. Nunca subestime Adrian Newey.

Antes, na preliminar da corrida, a F2 mostrou um show.
Um dos novatos, Charles Leclerc, piloto de Mônaco e membro da academia da Ferrari liderava, foi aos boxes caindo para a décima quarta posição e ultrapassou (de verdade) um por um dos adversários até chegar – na última volta – ao primeiro posto e vencer a prova.
A torcida era para que aquilo fosse um bom prenuncio da prova principal.
E ao menos na largada, as coisas caminharam bem.
Vettel pulou de terceiro para segundo utilizando o lado mais emborrachado.

Massa ganhou uma posição para ficar na sua zona de sempre (sexto/sétimo).
Já pensando no ritmo de corrida, que na Ferrari é melhor que o de classificação, Vettel foi aos boxes tramando um undercut nas Mercedes.
Foi seguido por Max Verstappen que pensou a mesma coisa.
Verstapinho, o mais novo objeto de ódio dos torcedores de padaria do Brasil, só não contava com uma falha em seus freios que o colocou para fora da prova.
Na sequência Carlos Sainz Jr. tirou da prova por pura manetice Lance Stroll, que não tem tido sorte (nem mostrado muito talento) em sua estreia.
Safety car na pista e Vettel na frente.

Na saída do SC da pista, Bottas e Vettel protagonizaram uma briga digna de gente grande enquanto Hamilton não dava bola para Daniel Ricciardo.
Se a Ferrari tivesse peito para dar dois carros iguais para seus pilotos, o campeonato estaria muito mais interessante.
Não culpem Kimi, ele não tem culpa nenhuma.
Vettel resiste as investidas de Bottas e embarca em uma tática muito parecida com a que outro alemão, o Sete Estrelas, usava: voltas voadoras de cara para o vento para garantir uma segunda parada tranquila e – se não conseguisse voltar ainda a frente – numa posição que lhe permitisse usar seu jogo de pneus mais novo para ultrapassar quem estivesse com pneus gastos.
E iria contar com a punição de cinco segundos acrescida ao tempo final por atraso na entrada de boxes dada a Hamilton.
A Mercedes, em uma tática um tanto antipática, solicitou inversão de posição entre seus pilotos para proteger a posição final de Hamilton e, claro, seus pontos no mundial de construtores. É do jogo.
Um pouco mais atrás, Massa brigava com o carro e com Kimi para manter a quarta posição.
Durou pouco, Kimi passou até com certa facilidade.
Mais atrás ainda, dava dó ver Fernando Alonso brigando com Ericsson, Kyviat, Palmer.... Um piloto entre tantos motoristas.
Culpe a McLaren e sua parceria com os nicômicos (contração de nipônico com cômico).

Na volta 34 o movimento que em tese decidiria a corrida: Vettel foi aos boxes para uma segunda parada, enquanto não se esperava mais nenhuma de Hamilton. Exatamente como na F2, guardando as devidas proporções.
A diferença de pneus gastos era de mais de vinte voltas e já se fez sentir imediatamente com Vettel virando em média um segundo mais rápido que Lewis.
E Hamilton contrariou – ou não – as expectativas e foi aos boxes, cumpriu sua punição e voltou em terceiro invertendo a vantagem dos pneus novos e andando muito. Fim das semelhanças com o show da F2, mas a corrida ainda estava aberta mesmo com a distância entre os carros e com Bottas entre eles.
Por mais rápido que fosse, e foi muito, o ritmo de corrida (quase um relógio) da Ferrari de Vettel determinou sua vitória.
A Lewis sobrou a honra de ter feito uma de suas melhores corridas ajudando a termos mais uma corrida memorável na noite do Bahrein.
A noite pertence a nós, ao menos na F1...

E fica a lição: o que acontece na classificação não define mais o que será a corrida no domingo.
É melhor assistir e prestar atenção.

6 comentários:

Vinicius Vergueiro disse...

Mais um corridaça de Vettel,mostrando cada vez mais que será mesmo o maior adversário de Hamilton nessa luta pelo título.

Enfim,teremos um campeonato. E torcendo pra Red Bull melhorar pra termos mais dois pilotaços(Verstappen e Ricciardo) nessa luta!

E mais uma vez a naba foi enfiada sem dó,nem piedade em cima do aposentado finlandês(e muitas outra mais virão,pra desespero de certos coyotes....)

Aguardando ansiosamente os chavões dos humoristas coyotianos sobre o vareio impiedoso de Vettel pra cima do aposentado finlandês(que largou do lado limpo da pista,assim com Vettel,e ainda assim perdeu três colocações...) Não faltarão mirabolantes teorias da conspiração...

Atualização do placar:

Farsa Alemã 3 x 0 Aposentado Finlandês.

Rubs disse...

"In Formula One, everything heads back, sooner or later, to the figure of Enzo Ferrari, a figure out of Grand Opera; or a John Grisham novel; or the Middle Ages. Ferrari was scary: not only was he never seen without his Mafia Don sunglasses, he gave the impression that he might even wear them in bed, just to intimidate the dark."
Charles Jennings
Ferrari podia dormir com óculos escuros só para intimidar a escuridão. A filosofia do time é mafiosa, como nos conta o historiador Jennings. Nunca houve, e nunca haverá, dois carros iguais na Ferrari. Basta um contra-exemplo para provar o contrário. Estou aberto à argumentação e razões baseadas em fatos.
As estratégias da Ferrari são favas contadas. Ninguém é mais rápido do que Amiltinho, sobretudo, numa Mercedes.
O resto da temporada se encarregará de contar o resto da história.

José Coutinho disse...

Ron,

Vettel, dominou e fez melhor estratégia.
Hamilton, boa corrida;
Bottas, se sujeitou, fez cara de marrento, mas vai renovar contrato.
Kimi bode expiatório, até concordo, mas ele tá muito reclamão tb;
Massa, 6 "Like always",(larga bem e tal, mas o ritmo dele é uma desgraça)

Você não falou nada dos "resto". Na minha opinião Perez é o cara a ser observado pelas grandes equipes pro ano que vem. Já teve uma ótima temporada em 2016 (regularidade e oportunismo: classificou em TODAS as provas, pontuou em 16 das 21 etapas sendo 2 pódios), este ano segue sempre MUITO acima do companheiro de equipe e constante em ritmo corridas (mais forte que Massa que tem um carro melhor) só não foi tão bem na china por condições adversas, mas pontuou.

A minha decepção (ALém do Kimi) está sendo o Hulkenberg. Sempre o considerei acima da média, mas tem se mostrado irregular. a Renault evoluiu muito, até Palmer foi pro Q3!. O alemão deveria ter feito mais até agora.

Equipe alemã pode até ser criticada pela postura que teve não alinhar com o discurso de antes, mas fez bem em inverter as posições.
Bottas, mesmo com a pole no Bahrain, não está no mesmo nível de Hamilton e o campeonato de pilotos está em jogo, será no detalhe.
Está claro que Vettel é o grande adversário, inclusive com status de "a ser batido". Kimi fraco, reclamão e sendo bode expiatório dos italianos tá obsoleto, servirá apenas pra ajudar o alemão em eventualidades, estimo que não fará mais que 8 pódios este ano e acredito fortemente que NÃO VENCERÁ mais na F1. A mesma ajuda espera-se de Bottas no time prateado, senão seria como abdicar do do troféu de pilotos.
Ferrari (de Seb claro) se mostrou superior em condições normais de corrida.
A Mercedes será aquele time "retranqueiro" que jogará no erro do adversário, que joga "correndo atrás" e no contra-ataque. Mas se Hamilton repetir atitudes burras como a da entrada nos boxes pra tentar se dar bem, amargará o vice novamente.

Você já tem algum favorito?

Marcelonso disse...

Groo,

O campeonato começou bem. Foram duas boas provas em sequência. Vamos torcer para que esse equilibrio permaneça ao longo da temporada.


abs

Anselmo Coyote disse...

Rubs Cascata, apenas um conselho: Mt 7, 6.12-14
Abs.

Vinicius Vergueiro disse...

Coyote,chola mais que tá engraçado!