11 de jun de 2017

F1 2017: Canadá - Sweet (maple) Leaf

Uma semana com o windows10 totalmente bugado, mas por sorte (e competência do técnico de informática, obrigado Leandro!) vai ter texto para o GP do Canadá.
Diferente da corrida australiana, o GP canadense não é um “tudo pode acontecer”.
Os carros já chegam testados (alguns aprovados) e com as atualizações que geralmente chegam na primeira corrida da fase europeia.
É neste contexto que temos uma pole position que não surpreende mais ninguém há muito tempo: Lewis Hamilton com direito a novo recorde de velocidade da pista, a igualar seu ídolo Senna em quantidade de pole positions e tudo o mais.
Porém, colado em sua Mercedes vem Vettel e sua Ferrari, não por acaso, o líder da coisa toda.
Sobre a festa pela igualdade no número do brasileiro a gente comenta em outro texto.

A largada por lá é sempre tensa. A segunda curva é um aperto só e a velocidade é bem pequena, mas até chegar lá é um crescendo doido de marchas e aceleração.
Hamilton larga bem, mas é completamente ofuscado pela largada de Max Verstappen.
E por sorte do inglês, lá atrás Carlos Sainz Jr. fez das suas e (após ser tocado também, mas tô nem ai) tirou Felipe Massa (que está fazendo uma temporada maravilhosa!) da corrida com uma porrada por trás, e evitou que Verstapinho fungasse em seu traseiro ao fim da primeira volta.
Bandeira amarela e safety car.
Na relargada Bottas faz as vezes do companheiro de equipe tradicional e pressiona o Red Bull de Verstappen para que ele não incomode o chefe no carro 44.
Notinha sobre a largada de Max: Passou tão lotado por todo mundo que acabou levando um pedaço da asa de Sebastian Vettel.
Desdobramento: Vettel acabou indo aos boxes trocar a peça logo após o safety car sair da pista e – naquele momento – dava adeus a possibilidade de vitória.
Pouco tempo depois foi a vez de Max também abandonar a briga pela vitória, mas definitivamente.
Hamilton sorria de orelha a orelha com seu fim de semana.

E com as duas Mercedes nas duas primeiras posições, restava assistir à corrida surpreendente das duas Force Índia.
Esteban Ocon chegou a andar por várias voltas em segundo e só não liderou uma prova de F1 na carreira porque resolveu trocar seus pneus na mesma volta em que Hamilton trocou os seus.
Também Sérgio Perez fazia corrida muito consistente e não dava chances para as Ferrari de Raikkonen e Vettel e mais: discutiam via rádio quem era o mais apropriado dos dois pilotos para ultrapassar a Red Bull de Daniel Ricciardo pela terceira posição. Confiança era o que não faltava naquele momento.

Outro que surpreendia era Lance Stroll, que – além de não bater – ainda arriscou algumas brigas e ultrapassagens. Foi premiado com um inédito nono posto e seus primeiros pontos.
Bom para o povo entendido parar de escrever “rico” ao invés de “rookie” em suas resenhas sobre as corridas.

E quando faltavam sete voltas para o final. Quando tudo parecia resolvido a polêmica vazia chega de vez: Kimi erra e perde a posição para Vettel que está à sua frente na tabela do campeonato.
Aparentemente Kimi tinha realmente problemas, mas em se tratando de Ferrari...
Que comece o chororô.
E Vettel ainda aproveitou a briga interna da Force Índia para passar os dois e diminuir o prejuízo em relação a vitória de Lewis Hamilton com direito a volta da vitória com bandeira do Reino Unido, exatamente como fazia o cara de quem ele ganhou o capacete.
Imagem da corrida?
Nem por um Windows 10 bugado... Alonso que havia abandonado a prova com mais uma quebra de seu frágil carrinho de golfe, subiu as arquibancadas indo literalmente para a galera e distribuindo suas luvas aos torcedores.

A liberdade que a Liberty dá aos pilotos é a novidade mais empolgante desta temporada.
Mais até que o ressurgimento da Ferrari como protagonista do campeonato, até porque todos sabiam que hora ou outra isto iria acontecer.

3 comentários:

Manu disse...

Tá começando a entrar no modo "morno" essa temporada...
Tanto que a coisa mais legal para mim, foi o Alonso no meio da galera.

Anônimo disse...

Discordo quanto ao Kimi. É segundo piloto. Assistindo no SporTV 2, show de transmissão e narração com o... com o... me esqueci o nome dele, comentários de Reginaldo( engraçado, mais 'contido') e Burti( engraçado, mais 'solto'), todos esperavam uma 'traquinagem' da Ferrari mas quando Kimi 'errou' devagar, devagar, devagarinho, os caras ficaram sem ação. Eu, ri. Ferrari. Eu posso descer a lenha no framengo das pistas. Sabia que a maior torcida do mundo é da Ferrari ? De todos os esportes inclusive o futebol... Tenho que tirar o chapéu para esta informação. Agora, não adianta mais ficar andando de cara amarrada pelos autódromos, Vodka. Está no clube Ferradiano Barrichellino ! Sabemos. Ficaria muito na lata começar a perder tempo, volta por volta, e deixar o Vettelino passar, então, aquela presepada commedia dell'arte que olhos treinados não aceitam mais as gracinhas maranelleanas. Só lastimam. Os inocentes ainda acham que houve alguma 'falha'.
. Quanto a corrida. lá, Canadá, como sempre, bacana mesmo não tendo ultrapassagens fantásticas. Verstappadinho fez bela ultrapassagem logo no início da corrida mas foi Riccardão Sorriso que chegou com direito a champanhe no chulé ! Tem a mania de pegar a sapatilha e colocar o precioso líquido lá e bebê-lo dessa vez acompanhado por ninguém mais, ninguém menos que um professor Xavier, e andando ! Pensei em se tratar do Sir Frank, da Ruimlliams mas, não, era o Sir Patrick Stewart, ator maravilhoso, entrevistando os três no podium e bebendo um gole na chulezenta sapatilha do Ricardão. Então, mais uma jogada fantástica de marketing dos americanos numa F1 mais 'humana'. Mister Indianapolonso indo para as arquibas( 'galera', a Red Gloob pode me processar), após xingar como de costume nos últimos dois anos, e o chefe dos X-Men. Só faltou a Tempestade e o DeadPool. HA !
Fim de semana maneiro, um GP sempre maravilhoso de assistir, só o outro Riccardo, o Paletti, me vem a cabeça quando digo isso para lembrar que tudo por lá não são só flores( e mosquitos. Nossa, quantos !).

. Viva o SporTV 2 !

. HAAAAAAAMILTON ! Rumo ao Schumacher...


M.C.

Marcelonso disse...

Groo,

Não fosse a quebra na asa de Vettel após a largada, a corrida seria mais divertida. De todo modo foi interessante.



abs