20/07/2011

Mambo

Era um concerto com varias bandas e vários estilos musicais.
Evento grande, cheio de pompa agendado para o teatro municipal e com bilheteria esgotada com lotação máxima e varias autoridades – reais e nem tanto – presentes.
Ele, malandro velho queria muito assistir aos shows e quem sabe fazer bons contatos.

Chegou à porta do teatro algumas horas ante do inicio das atividades já sabendo que não conseguiria bilhete algum.
Tentaria sua influência, ao menos a que pensava ter.
Nada.
Falou com todos os conhecidos da portaria do teatro, da administração e até com alguns convidados.
Nada. Tentou a porta dos fundos e lá também não conseguiu entrar.
-Por que não tenta a entrada dos músicos?
-Mas eu não sou musico...
-Pouco importa.... Faz como esta fazendo aqui e como me contou que fez na porta principal.
-Como?
-Encha o saco...

E ele foi para a entrada dos músicos.
Por sorte uma banda de mambo acabara de chegar e transportava os instrumentos para dentro do teatro.
-Posso ajudar ai, companheiro?
-Precisa não...
-Já entraram todos os instrumentos?
-Já.
-Mesmo? Não sobrou nenhum tambor, nenhuma caixa clara, um saxofone?
-Não...
-E o piano? Já entraram com o piano?
-Não... Vamos usar o do teatro mesmo, por isto nem trouxemos...
-E os bailarinos? Já entraram os bailarinos? Mambo sem bailarino não tem graça...
-É... Não tem... E os nosso são os melhores... Já entraram sim. À tarde, para o ensaio e ficaram lá dentro.
-Hum.... Então não falta ninguém?
-Acho que não... Bem... Eu vou entrar. Tenha uma boa noite.

Vê o membro da banda sumir porta à dentro e depois de alguns minutos um outro funcionário do teatro chegar à porta.
-Opa! Que bom que cê apareceu... Eu atrasei e não tinha ninguém para abrir a porta.
-Quem é você?
-Sou da banda que acabou de entrar...
-É? Não te vi nos ensaios...
-Mas eu tava lá...
-Bom... Dançarino cê não é. Não tem porte.
-Sim... Verdade.
-Não é dos metais, que eu vi entrar todos... Sax, trompete, trombone, pistão... Da percussão também não. O baterista e os percussionistas estão lá dentro e cantor... Bem... Cantor não é mesmo, com esta voz de taquara rachada... O que cê faz?
-Olha... Isto ai é um conjunto de mambo não é?
-É...
-Então... No mambo não tem aquele breque? Tipo assim... Pã parã parã pãpã... Vem o breque e um cara grita “uh!”?
-Tem sim... Mas não vai me dizer que você é o cara que dá o grito, por que este eu vi que também entrou...
-Não, não... Eu sou o cara que cutuca ele para gritar...


5 comentários:

Paulo Levi disse...

Para produzir o verdadeiro "Uh!" do mambo, é preciso aplicar a cutucada em um chakra estratégico, abaixo da linha do equador. A técnica do "chutazo" também dá bom resultado.

Ron Groo disse...

Graças ao bom Deus, a gente não canta estas coisas né Paulo? Chutazo, ou o equivalente gaúcho (vide Analista de Bagé) joelhaço devem ser o apocalipse pessoal...

Renato Cruz disse...

Mas ô escriba...
Quem faz uh! não é cantor de salsa?
Bom o texto.

Ron Groo disse...

Obrigado Renato, volte sempre...
Agora, quanto a ser de salsa, mambo... Eu não sei. Talvez seja até de rumba, mas me falta cultura latina pra dizer hehehe

Paulo Levi disse...

Tá certíssimo, Groo - é mambo mesmo.

Renato, na salsa não tem esse lance de "Uh!". Mas tem expressões bacanas como "Azúcar! Azúcar!", imortalizada pela grande Célia Cruz.