20/04/2014

F1 2014 - China: Tudo como dantes no quartel de Abrantes. Chato pra caramba

Claro que a expectativa, otimista ou não, é de que a corrida chinesa fosse tão boa quanto no Bahrein.
Obviamente que cada corrida tem sua história e esperar que duas corridas em pistas bem mais ou menos promovessem grandes corridas seguidamente era pedir um pouco demais.
Porém, começou bem, mas...
Não demorou em tudo voltar a ser modorrento e monótono como as duas primeiras corridas do ano.

Preocupação com consumo de combustível dominou os assuntos e a seca por emoção era tão grande que muitos otimistas enxergaram uma possibilidade de briga entre Nico Rosberg e Sebastian Vettel.
Ainda que o segundo viesse com mais de um segundo mais rápido que o primeiro volta após volta...
Chegou, colocou de lado, passou e foi embora.
A “briga” que se viu foi mais desespero de causa de um tetra campeão tentando – em vão – não ser humilhado em uma parte um pouco mais sinuosa que qualquer outra coisa.
E acabou ai.

Claro que dá para entender perfeitamente os toques nos carros da Williams de Massa e Bottas por Alonso e Rosberg respectivamente foram coisas de corrida, sem mais.
Só gostaria de saber se assim seria tratado caso fosse o contrario os causadores.
Muito provavelmente por conta do toque, Felipe ficou nos boxes com problemas para trocar os pneus traseiros.
Caiu para penúltimo e passou o resto da prova tomando bandeira azul.

De resto, Lewis saiu na frente e lá ficou.
Nico fez valer o fato de ter o melhor carro da temporada nas mãos e chegou onde lhe foi possível.
A grande surpresa ficou por conta de um Alonso melhor na classificação final.
Não precisou comemorar um nono lugar.
Sinal de que a troca no comando do time deu resultado.
O tal Marco Matiacci acertou mais vezes na estratégia que em toda a gestão Domenicali: uma.

E para quem achou que veria uma corrida com brigas uma dica: dá próxima vez tente UFC...
A corrida no Bahrein foi a exceção que confirma a regra: a F1 está chata para caraca com esta poupança toda.

18/04/2014

Macondo está triste

"Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o coronel Aureliano Buendia havia de recordar da tarde  remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo.(,,,)
O mundo era tão recente que muitas coisas careciam de nome e para mencioná-las se precisava apontar o dedo."

Foi assim que começou meu encanto com as histórias deste colombiano genial.
Não é justo pedir que alguém viva para sempre, viver cansa... Mas tem gente que gostaríamos que fossem eternas.
Gabriel Garcia Márquez é um destes.
O parágrafo acima é a abertura de Cem Anos de Solidão.  uma de suas obras primas.
Quem leu A aventura de Miguel Littín clandestino no Chile, ou Relato de um Naufrago sabe bem que são muitas.
Aliás, todos são.
Mas não precisa acreditar no que está lendo aqui, faça melhor: leia você mesmo o mais famoso dele clicando aqui: => MACONDO

Muitos anos depois, diante da luz fria da tela de um computador, o pretenso escritor Ron Groo havia de se recordar daquela tarde remota em que abriu Cem Anos de Solidão pela primeira vez e leu seu primeiro parágrafo. (...)
As letras eram tão recentes para ele que muitas coisas careciam de explicação, menos o encanto daquele livro mágico.
Nunca mais esqueceu.
Pensando bem... Quem disse que Gabo não é eterno?
Valeu Gabo! Valeu...

17/04/2014

De páscoa

Provocavam-se o tempo todo.
Os amigos estranhavam e achavam que um dia aquelas peças que pregavam um no outro acabaria em uma briga mais séria.
Sempre se aborreciam um pouco, ficavam alguns dias sem se falar, mas nem assim deixavam de comemorar as datas festivas como o natal, dia dos pais, das mães e até o dia dos namorados. Sempre se provocando mutuamente.

Na páscoa não poderia ser diferente, ela queria uma forma de provocá-lo e ele idem...
Na manhã de Páscoa ele acordou, foi escovar os dentes e lembrou que a viu com dois ovos de páscoa pequenos.
Achou que desta vez não seria sacaneado.
Talvez tendesse a pensar que foi sacaneado no tamanho dos ovos, que ele achou realmente pequenos. Quase duas balas de chocolate.
Logo ele que tinha comprado um enorme, quase dois quilos de chocolate.
Saiu pela casa a procurar os seus dois minúsculos presentes.
Não achou nada... Voltou para cama de onde ela não tinha saído.
Ele deitou resmungou e logo dormiu de novo.

Ela aproveitou e se levantou para procurar aquele enorme ovo de chocolate que ele fez tanta força – em vão – para que ela não visse.
Pé ate pé e vasculhou a casa toda.
Nada.
Voltou para a cama e dormiu também.

Mais tarde ao acordarem quase simultaneamente sorriam um para o outro se perguntando:
-Cadê? – disseram juntos.
-Cadê o que? – continuaram em uníssono.
-Os chocolates! – disse ele.
-E o meu? – cobrou ela.
-Coloquei no local onde você não pensaria em procurar. Em um local que no fundo até parece com certa parte de sua anatomia...
-Que curioso, fiz à mesma coisa com o seu...
A já ira era visível nos olhares de ambos.

Ele foi até sua gaveta e encontrou os dois chocolates dentro de uma cueca sua. Ele odiava quando ela o chamava de “bolinhas”.
Ela foi até seu closet e descobriu o gigante ovo de páscoa, já aberto, separado e com suas duas metades devidamente instaladas uma em cada bojo de um sutiã seu. Odiava quando ele gracejava com o tamanho de seus seios.
Provavelmente não vão se falar até o natal...
A todos, uma feliz páscoa.

16/04/2014

Perdeu a chance...

No último dia 12 de Abril completaram-se cinquenta e três anos que a frase “A terra é azul” foi pronunciada pelo astronauta russo Yuri Gagarin.
Sua nave, a Vostok, foi lançada às 9h7min de uma plataforma no Cazaquistão (Borat curtiu isto) e foi a primeira prova de que o corpo humano sobreviveria sob a condição de gravidade zero.
Reza a lenda de que no lançamento teria dito: “E lá vamos nós!” (A bruxa do Pica Pau curtiu isto agora...).

O voo também serviu para reafirmar a dianteira dos russos em relação aos americanos na corrida espacial.
Já haviam colocado em órbita o primeiro satélite artificial, o Sputnik e o primeiro ser vivo em órbita, a cadela Laika (Luiza Mell não curtiu isto).
Conta-se também que os russos passaram a perna nos americanos, que estavam preocupados em desenvolver uma caneta que escrevesse em qualquer posição e na gravidade zero mandando junto com Gagarin um arcaico e ultrapassado lápis.

Curiosamente, ninguém duvida dos feitos russos descritos ai em cima, mas uma corrente enorme defende que a chegada dos americanos à lua é falsa, montagem...
Vai saber.

Particularmente, penso que se Gagarin tivesse dito “A terra é azul, mas seu povo é multicolorido”, teria dado uma contribuição ainda mais gigantesca para toda a humanidade.
Teria sido a maior ação contra a intolerância racial já feita na história.

15/04/2014

Domenicali fora, por que não Briattore?

E a Ferrari jogou o sofá fora.
Fez um carro muito abaixo do esperado, ficou em posições às quais seus pilotos não estão acostumados a andar, perderam pessoas do corpo técnico e não fizeram reposição.
De quem é a culpa?
Do chefe de equipe, claro!

Domenicali não pilota.
Se pilotasse não poderia fazer melhor que os titulares do time.
Talvez fizesse melhor que o piloto reserva, mas até ai penso que até o Stevie Wonder.
Domenicali não desenha carros.
Mas pelo que a equipe tem feito nos últimos anos, não faria muita diferença.

Ele pediu demissão, é fato.
Mas foi aceita de bate pronto, como se já tivessem em mente mandá-lo embora.
Mas não é para ficar triste, torcedor dos outros times.
O substituto também é italiano.
Ou seja: a zona continua.

Mas por que este Marco Mattiacci e não Briatore como andaram bafejando?
Explicação simples:
Dizem que ao chegar ao inferno, ACM encontrou o capeta e este lhe disse.
-Aqui você sossega!
-Sossego não... – respondeu o político baiano.
-Como não? – quis saber o capiroto.
-Veja bem... – explicou – Eu quando morri, por acaso era prefeito de Salvador?
-Hum... Não.
-Mas quem mandava lá?
-Você?
-Sim... Eu era o governador da Bahia?
-Não...
-E quem mandava lá?
-Você?
-Isso! Eu era o presidente do senado?
-Errr, não!
-Certo de novo. Mas quem mandava no senado?
-Você.
-Exato! E por acaso eu sou o capeta?
-Não... Sou eu.
-Pois é, mas adivinhe quem vai acabar mandando aqui?

Troque o Coisa Ruim pelo Montezemolo e coloque Briattore no lugar do ACM que a escolha do italiano sem experiência estará explicada totalmente.