Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2012

A queda dentro de nós

Imagem
O que é preciso para que se realizem nossos sonhos de nação?
Talvez seja necessário se fazer mudar a essência do que se convencionou a chamar o povo brasileiro. É preciso mudar lá nos genes a nossa visão de Brasil e de seus problemas.
Dizia a antiga piada de que nossa catástrofe natural é a classe política. De que eles são tão devastadores quanto os terremotos, furacões e maremotos que atormentam outros países e continentes.
Penso de forma diferente: o mal do país está em nós, naquele gene “mau caráter” que se esconde em nosso DNA e que se desenvolve e aparece quando sabemos que estamos errados e ainda assim tentamos levar vantagem em algo.
Quando nas pequenas coisas usamos de artifícios para nos darmos bem, ou pelo simples fato de sermos malvados gratuitamente. Como aquele motorista de ônibus que mesmo com o farol fechado para si acelera o coletivo e força os pedestres a apressarem o passo ao atravessar a rua.
É esta a nossa singularidade enquanto povo tal como o “ão” é uma singular…

Permitam-me definir beleza em dois atos.

Imagem
Primeiro: Spa-Francorchamps

Quem gosta de automobilismo, gosta de Spa. Não há como dissociar.
A pista é um espetáculo, sempre foi. E mesmo agora em que com o passar dos anos, por necessidades nem sempre inerentes ao automobilismo ou a competição a pista foi sendo –pontualmente – modificada, nem assim conseguiram tirar a majestade desta seqüência de subidas, decidas, curvas para os dois lados, freadas fortes e muito flat - out no acelerador.

Começa-se pela La Sorce. Travadissíma e que faz com que a largada seja muito, mas muito mais tensa do que normalmente é. Com chuva então é quase um desafio de Titãs.
Não é raro que os pilotos usem – sem vergonha alguma – a área de escape desta curva.
Logo desembocam em uma reta em descida que precede um mito das curvas.
Eau Rouge não é apenas uma curva, é uma entidade.
Vencer a Eau Rouge com o pé em baixo é como chegar ao topo do Everst.
Berger disse que: “-enquanto se desce a pequena reta, a cabeça diz que não é possível contorna-la de pé embaixo.…

Fórmula elétrica? Vai dar apagão

Imagem
Veja ai se consegue se lembrar.
Aquela junção (ridícula) do automobilismo com futebol da Superleague formula, lembra?
E a A1GP?  Em que os carros eram pintados com cores de países, lembra?
Ou ainda aquela ideia meio maluca de colocar ex-pilotos de F1 para andar a mais de 200 por hora, mesmo os que já passavam dos cinquenta anos de idade? Grand Prix Masters, se não me engano.
Pois é... Nada vingou.

E não vai ser esta nova categoria oficializada pela FIA, a tal Formula E, que chega erguendo a bandeira de “categoria verde” que vai vingar.

Primeiro: O treco é movido por eletricidade.
E para gerar eletricidade é necessário construir usinas.
Sejam elas hidrelétricas monstruosas ou os cataventos das usinas eólicas, de qualquer forma vai se mexer com ecossistemas, seja desviando cursos de rio, inundando áreas inteiras ou influindo na rota migratória de pássaros.
Isto sem falar nas usinas nucleares e seu lixo que tem de ser enterrado e quando dá merda...
Então, verde é o cacete!

Segundo: O barul…

A onda dos irônicos

Imagem
Tem uma onda rolando nas redes sociais em que fotos de gente famosa ou nem tanto são agregadas a frases “engraçadas” ou irônicas.
Grande ícone da brincadeira talvez seja o Willy Wonka Irônico, em que o personagem principal da primeira versão da Fantástica Fábrica de Chocolates aparecia desancando alguns lugares comuns da “intelitzensia” interneteira. Desde socialistas de botequim, aqueles que bradam contra as empresas que “escravizam” seus funcionários pagando salários baixos, mas não abrem mão dos seus produtos Apple ou Samsung, até torcedores de futebol hipócritas...
As mais recentes são uma em que aparece a garota dos palitos de dente sendo mal educada ao responder perguntas e o apresentador do Top Gear, Jeremy Clarkson, ironizando proprietários e supostos conhecedores de carros.
A brincadeira é legal, embora às vezes torre o saco de forma rápida.

Fico imaginando aonde chegarão com a ideia, se é que vai continuar por muito tempo.
Algumas que podem aparecer ainda...

Uma mulher qualq…

Man on the moon?

Imagem
Neil Armstrong foi à lua... Bom para ele. Acho...
Tem gente que duvida, diz que é armação americana.
Não sei para que.
Qual a vantagem em se engambelar o mundo alardeando ter ido para um lugar tão ermo, sem ar, sem cerveja e sem graça quanto à lua?

Gastar uma caralhada de dinheiro para fazer voar um foguete (porque o foguete decolou e isto não teve como simular) levando gente e correndo o risco de explodir para - daqui da terra - fingir que pousaram no satélite natural da terra?
Besteira...
Depois daquela história dos milhões de dólares gastos para desenvolver a caneta que funcionasse em gravidade zero enquanto os russos apenas levaram um singelo lápis para o espaço. Duvido que fizessem algo do gênero correndo o risco de serem descobertos e passarem a história não como os grandes empreendedores, mas sim como os grandes farsantes da história.

Mas dizia que foi bom para o Sr. Armstrong ter ido à lua.
Poucos estiveram por lá e penso sinceramente que poucos irão.
Até porque, como disse, o…

O incidente do espaguete?

Imagem
Em 1990 o Guns`n`Roses era a maior banda de rock do mundo.
Claro que há controvérsias na frase, mas a bordo do excelente – ainda que pretensioso – par de álbuns duplos Use Your Ilusion, era impossível não conhecer a banda ou ficar impassível a sua exposição na mídia.
Porém não é difícil enxergar sua importância no cenário da época.
Basta lembrar a quantidade de bandas que de uma forma ou de outra os imitaram: Skid Row, Bon Jovi, Extreme, Motley Crüe, Poison... 
Muitas, graças aos deuses do rock (e a Kurt Cobain) não passaram de um ou dois discos de sucesso e caíram no ostracismo, ou, na melhor das hipóteses, ficaram na ativa apenas em seus nichos.

Por tudo isto, Roberto Medina e a sua Artplan – esperta e acertadamente – contratou o Guns como a principal atração para a segunda edição do Rock in Rio que aconteceria no mês de Janeiro de 1991 no estádio do Maracanã.
Tocando nas rádios a exaustão, eram alvo dos gritos histéricos das meninas que surfavam na onda do hard rock, mas admiravam …

Futurologia F1: Mercedes

Imagem
O blog do amigo Marcelonso diz que a Mercedes estuda fazer uma reengenharia em sua equipe de F1.
Quando uma montadora diz: “fazer reengenharia” ela quer dizer mesmo é “sair da categoria.”, e na Mercedes a coisa parece mesmo caminhar pra este lado.
Três anos após comprar uma equipe campeã – ainda que naquelas... – o saldo é negativismo: uma vitória apenas.
Fala-se pelos lados da equipe germânica que, a principio, eles ficariam apenas fornecendo motores e sua equipe ficaria a cargo apenas da AMG, que é responsável pelos veículos de alta performance da marca, ou seja, deixaria de ser um time oficial.

Em um exercício de futurologia digno de Pai Tião, o e-macumbeiro, oficial do blog, apresentamos as manchetes que aparecerão em sites, jornais, blogs, facebook e twiter do fim do ano de 2013 até o fim do ano de 2014.


17 de Novembro de 2013: Mercedes deixa a categoria.
Agora é oficial. Após temporada extremamente ruim e sem marcar um ponto sequer, A Mercedes AMG Petronas anuncia que deixará a c…

Semana do folclore também na F1

Imagem
Estamos na semana do folclore e por todas as escolas de educação básica do país os professores estão mostrando às crianças algumas figuras curiosas como o Curupira, a Iara, Saci Pererê, Boitatá e outros trecos esquisitos.
Aqui não...
Como diria Muricy Ramalho, técnico do Santos: “-Aqui é F1!”.
E assim sendo as figuras folclóricas são bem outras...


O Piloto sem cabeça.

No folclore brasileiro há um ser que é uma mula que não tem cabeça e em seu lugar sai uma labareda de fogo e que corre pelas florestas assustando caçadores.
Na F1 tem uma mula que também não tem cabeça.
Não tem labareda de fogo, é verdade, mas é tão mula quanto.
Dizem que aparece nas corridas e espanta pilotos.
Lewis Hamilton jura que já viu e conta com o apoio de Sérgio Perez.


A serpente adormecida...

No folclore maranhense tem a figura da cobra gigante que dorme ao redor da ilha de São Luiz e que se for acordada, abraçará a ilha por baixo da água fazendo com que a cidade afunde no mar.
Há quem diga que quando a família S…

Curtas de mau humor

Imagem
Bela vitória de Nelson Ângelo Piquet como, aliás, toda vitória é bela.
Mas por que catzo resolveu vencer só depois que abandonou o automobilismo?
Se Nascar (primeiro time, nationwide ou sei lá como se chama aquilo) já não é automobilismo, imagina a truck séries?
E isto, veja bem, não é só a opinião deste escriba.
Pergunte ao Nelsão o que ele acha de oval...

Felipe Massa diz que não é a primeira vez que tem dificuldades para negociar renovação de contrato.
Verdade...
Da última vez ele pediu um pouco mais que a Sauber queria dar e para resolver ele cedeu...
Agora a coisa meio que se inverte.
A scuderia está pedindo muito mais do que ele pode fazer...
E duvido que um dos dois vá ceder agora.

Interessante ler em alguns sites que após vitória na Hungria, Lewis Hamilton dá sinais de amadurecimento.
Fãs do cara e jornalistas sem pauta são todos iguais.
Faz merda o ano inteiro, ai vence uma e pronto, já é o bam bam bam novamente.
Mas, na boa? O cara melhorou.
Aos poucos vai largando o osso pa…

F1 nos EUA? They don't care

Imagem
A F1 não atrai muito a atenção dos americanos e ao que parece nem os carros de fórmula de uma maneira geral.
Tanto que a F-Indy, categoria local com fumaças internacionais (uma corrida no Brasil e outra no Japão) perde em popularidade para o futebol americano (aquele dos armários que se chocam), basquete (o melhor esporte do mundo), Nascar (stock car com pilotos velhos, gordos ou simplesmente ruins de braço) e até do hóquei no gelo (que de tão bizarro, nem parece esporte).
Ainda mais depois do vexame de 2005, com uma largada de apenas seis carros no grid. Na verdade: quatro, já que dois não podem ser considerados carros ainda hoje.
E o mais impressionante: apenas um piloto de verdade. Os outros cinco eram – com muito boa vontade - apenas motoristas que às vezes excedem a velocidade.

Recentemente, na tentativa de criar algum interesse no povo do Tio Sam – ou atrair a audiência de hispânicos e estrangeiros em geral – os donos da categoria máxima do automobilismo resolveram tentar – de n…

Voa?

Imagem
Estes dias li um artigo, sei lá onde, sobre a vitória do bumdamolismo... Me recuso a capitular e reconhecer tal vitória. 
Por isto vou dar um re post neste texto...

-Tio, me ajuda com uma coisa?
-O que cê precisa?
-Eu quero escrever um e-mail.
-Te ajudo sim... Mas, quer que eu escreva o e-mail pra você?
-É!
-Pra quem é?
-Pro Luan Santana.
-Quem?
-O Luan Santana, tio... O cantor que eu mais gosto!
-Mas não era do Reestart que você gostava?
-Era... Mas aquilo é muito ruim... Coisa de criança.
-Ah, e você com seus onze anos é muito adulta, né?
-Vai me ajudar ou não?
-E por que você mesmo não escreve?
-Quero que fique bom.
-Tá... O que quer que eu escreva?
-É assim... Tem uma promoção que pede para gente dizer no e-mail o que mais impressiona no show dele... Quem escrever o melhor texto ganha um dia junto com o Luan e ainda vai ver o show do palco! Não é o máximo?
-Bem... Pra quem gosta... Mas como posso te ajudar? Nunca vi este cara. Nem sei quem é.
-Eu mostro. O you tube tá cheio.
-Mas nã…

Quando a paixão vira vexame

Imagem
Já passava das três da madrugada e o silêncio era quase palpável.
A separação, que aos olhos do mundo era o caminho natural, mas aos seus próprios havia sido traumática.

A verdade é que a relação estava desgastada pelo tempo.
Nada dura para sempre e pior ainda quando o amor é unilateral.
E era o caso.

Dezenove anos de relacionamento.
Não se pode dizer que não houve bons momentos. Onze, para ser mais exato.
E o resto do tempo foi preenchido por polêmicas bobas, desculpas esfarrapadas, ameaças, momentos de ódio e juras de amor.
De tanto repetir roteiro, cansou, esgarçou, roeu a corda e o inevitável aconteceu.

Ela seguiu sua vida, dizem que em tanto tempo nunca esteve tão bem, apesar da aparente artificialidade.
Ele, bem... Sem outro jeito, se enveredou por outros relacionamentos e até procurou – ou foi procurado, não se sabe direito dos detalhes – alguém parecido fisicamente, mas de temperamento e personalidade completamente diferente.
Até se pensou que, por algum tempo, que estava feli…

Mantendo a personalidade, sempre

Imagem
Uma das maiores virtudes de um homem é o poder de manter sua personalidade intacta em qualquer que seja a ocasião.
É horrível ver um cidadão se moldando igual água em pote apenas para agradar.
Nada mais odioso que um cara que ao se sentar em uma mesa alheia elogia o fígado frito mesmo odiando a iguaria.

Chega a ser nojento a pessoa ter que se vestir a caráter para ir a um determinado local apenas porque é moda.
Um exemplo?
Um ser tipicamente urbano, criado à fumaça de diesel saído dos escapamentos dos ônibus das grandes cidades que no fim de semana veste calça apertada, cinto com fivela enorme, botas, camisa xadrez e um descomunal chapelão e sai arrastando erres para se parecer com cantor sertanejo.
E faz tudo isto apenas porque “as muié gosta.”
Total falta de personalidade.

Em suma, é uma merda fingir que é outro apenas para agradar. Seja lá uma mulher, uma empresa, uma platéia ou mesmo apoiadores e patrocinadores.
Estes então...
Para que agradar apoiadores e patrocinadores tentando …

A gente bronzeada não quer só bronze

Imagem
E acabou a festa olímpica em Londres.  Agora começa a contagem regressiva para os jogos no Rio e junto com ele o ufanismo cego e a hipocrisia oficial em dizer que no Rio em 2016 poderemos – finalmente – despontar como potência olímpica.
Balela, falácia, besteira, burrice e mentira.

O Brasil nunca será potência olímpica nem que se faça uma edição dos jogos a cada dois anos em seu território.
E não é pela falta de vontade de seus atletas, mas pela forma como o esporte é visto pelo governo e por parte da sociedade: assistencialismo para evitar que os pobres se tornem problemas.

Não é raro encontrar “incensados” declarando que o esporte é o único caminho para livrar os jovens dos perigos da rua.
Ok! Também, mas não só isto.
O esporte tem que ser visto como possibilidade de carreira que gera lucro e ascensão social.
Muito mais que apenas uma tábua de salvação.

Não se deve incentivar o esportista apenas para que ele não vá para o desvio e sim para que ele vá além. Brilhe e vença na vida.
A …

Caetano, 70 e ainda corajoso.

Imagem
Só pelo fato de ter sido um dos responsáveis direto pelo último movimento cultural original brasileiro, a Tropicália, já teria garantido um lugar na galeria da fama dos melhores artistas brasileiros.
Ame ou odeie, fato é que não se fica impassível ante a figura e a obra de Caetano Emmanuel Viana Telles Veloso que nesta semana completou setenta anos de vida.

Caetano é corajoso, lançou discos geniais enquanto ainda no exílio e de volta ao país ataca com uma obra tão experimental (Araçá Azul) que liderou por muito tempo a lista dos discos mais devolvidos no país.
Coragem que mostrou ao formar uma banda de rock para acompanhá-lo na gravação e na turnê de divulgação do álbum Zii e Zie.
Coragem que outro ícone da canção brasileira nunca teve e prefere seguir cantando seus detalhes com orquestra em especiais globais.

Também mostrou coragem ao defender coisas que o “bom gosto” geralmente execra.
Flertou com o rock e as guitarras elétricas quando a ordem era ser “purista”
Flertou com a latinid…

São o que mesmo?

Imagem
-O que são os candidatos?
-Como?
-O que eles são?
-Ainda não entendi...
-Veja bem... Eu sou povo. Certo?
-Certo. Todos nós somos povo.
-Até os candidatos?
-Sim... Todas as pessoas de um país formam o povo.  O povo de um país.
-Então por que eles falam que vão trabalhar para o povo?
-Hum... É que depois de eleitos eles passam a ser representantes do povo.
-E representante do povo não é povo?
-Você está me confundindo... Sim, continua sendo povo, mas passa a ser representante dele.
-Hum... E depois de eleitos eles ficam acima do povo?
-Não, porque a lei é igual pra todos.
-Eles são eleitos pra fazer as leis só pro povo?
-Não... Servem pra eles também.
-Mas como? Eles não ficam falando antes de ser eleito que vão trabalhar pro povo?
-É... É isto mesmo.
-Mas eles não são povo também?
-São...
-Então vão trabalhar pra eles também...
-Trabalham.
-Mas por que dizem que é só pro povo?
-Eles não dizem de verdade, é só para a propaganda...
-Então eles mentem?
-Não, quer dizer... Sim... Ah! Para,…

Quebrando o cabresto

Imagem
E começou a campanha eleitoral nas ruas.
Você já deve ter ouvido ai em suas cidades as infames musiquinhas berrados por sistemas de sons instalados em carros de passeio travestidos de trio elétrico.
E tem de tudo, desde paródia de sertanejo, forró até coisas originais que são tão sem graça quanto, mas que cumprem fortemente seu papel: grudar no ouvido e fixar na mente o nome e o numero da cambada.
Nem que seja por insistência.
Aqui o hit parede dos candidatos a usurpadores, digo, vereadores tem a seguinte ordem de uso:

Em terceiro lugar está a versão do abominável tchu e tchá o que é bem apropriado porque se eleitos os safados vão fazer exatamente isto com os eleitores: tchutchá a mandioca em todo mundo e encher o tchu da grana pública.

Em segundo lugar estão os jingles que usam como base outra imbecilidade criada pelos “universitários”: o tal tchê tchererê tchê tchê.
O que mais salta aos ouvidos é a criatividade dos boçais.
Tem um moleque que resolveu apenas enfiar o nome dele no mei…

A culpa do fracasso?

Imagem
Não...
Não podemos dizer muita coisa da participação brasileira nos jogos até aqui.
As duas medalhas de ouro ganhas fizeram história: judô feminino e a ginástica, que todos sabem, não tem gênero sexual.
Histórias bonitas como aquele saltador em distância que é grande promessa para a próxima edição dos jogos aqui no Rio.
Tudo muito bem...
Esta é a parte boa.

Mas e os que perderam?
Pode-se dizer que Ciello perdeu, não?
Perdeu para gente que estava tão bem preparado quanto ele, mas perdeu. Ainda que em jogos olímpicos um terceiro lugar, medalha de bronze, jamais possa realmente ser encarado como uma derrota.
Assim como perdeu a seleção de futebol dos homens que usam saia.
Também perderam aqueles irmãos que tem cara de cavalo...
E nem queria citar a menina que salta com vara.
Em outra edição sumiram com as dela e desta vez foi o vento que atrapalhou.
Ou será que o que atrapalhou mesmo, de verdade foi ninguém ter sumido com as varas?

Conjecturas, tudo conjecturas
Mas há uma corrente que us…

De volta ao samba

Imagem
“Pensou que eu não vinha mais, pensou...”

Mas não tiveram tanta sorte, voltei!
Aos poucos as coisas vão indo para o lugar e a vida vai retomando a rotina.
E como diz o título da canção do Chico Buarque: “De volta ao samba”.
Foram alguns dias fora e claro, a vida não parou. Foram dias de sim e não.

Não.
Não vi a corrida húngara, que diferentemente de muitos, até gosto.
Sei que Hamilton ganhou.
Sei que Raikkonen chegou em segundo depois de passar o Felipe Mas... Digo... O Rubens Bari... Não... O Romain Grosjean que, no fundo, não passa de um Massa ou 1B. Só que mais feio, se é que é possível.
Não é demérito e sei que a pista magiar é mesmo complicada para se ultrapassar, mas ao menos uma tentativa deveria caber.
Pelos compactos que vi na TV, não houve nenhuma e Kimi, de quem até gosto bastante, apenas comboiou o inglês esperando um erro que não veio (surpreendentemente).

Sim.
Vi a abertura dos jogos olímpicos.
Vi uma festa que muitos caracterizaram como “fria” ou “blasé”.
Discordo.
A fest…