11 de jun de 2014

A cronica do GP: Os coelhos e a tartaruga

Era uma vez uma tartaruga que vivia no meio de coelhos.
Só porque uma vez venceu um campeonato, ainda se achava a tartaruga mais rápida da história.
Ignorava que estava envelhecida e esquecida de que naquele campeonato não correu contra coelhos, mas contra outra tartaruga que por anos se disse injustiçada.
Mas isto não vem ao caso.
O que importa é que a tartaruga ainda vivia entre os coelhos, porém, ninguém lhe dava atenção.

Levava a vida por ali, devagar e sempre.
Quando tinha uma chance, se metia entre os vencedores.
Não no lugar mais alto, mas por ali.
Diziam que para voltar a vencer os coelhos, ela dependia de N fatores externos: chuva, desgaste excessivo das patas dos coelhos, etc.
Um chorume daqueles.

Eis que um dia, em uma prova de coelhos disputada na terra do lombo canadense, os coelhos (mais jovens e talentosos) dispararam na frente e sumiram.
Durante setenta voltas ninguém, como era de costume, ouviu falar da tartaruga e a vida seguia seu curso normal.

Até que, na última volta, dois coelhos (um burro e um azarado) se enroscam e saem da brincadeira.
Quem está exatamente atrás deles?
Ponto para quem disse: a tartaruga.

Moral da história?
Não tem moral nenhuma... Ganhar posição com porrada dos outros é coisa de piloto medíocre.
E não me venham falar que ele tem um caneco.
O armário de pratos da minha casa tem um monte...

5 comentários:

Vander Romanini disse...

Rapaz, não sei de quem você tem mais bronca: McLaren ou Button!!!
Mais texto Bão dimais da conta pra coleção!!

Marcelonso disse...

Groo,

Button está fazendo hora extra na categoria. Seu tempo de vida está chegando ao final.


abs

diogo felipe disse...

Ron, o armario de pratos da tua casa também é um piloto medíocre? :P

Ron Groo disse...

é... mas é melhor que o Butts

Magnum disse...

Tinha um monte de coelhos e a tartaruga estava em terceiro. Então ponto pra tartaruga.

Mas o texto é uma delícia de ler!