12 de jun de 2014

#vaitercopasim

Vai ter copa sim, e vai ter muita copa.
Se ela foi feita em cima de um monte de sujeira é assunto para outro dia e outro lugar: as urnas.
Mas enquanto o dia de dar o recado não chega, ficamos com os jogos que podem – ou não – ser emocionantes.
Com os micos deste e de outros mundiais, como o da seleção boliviana que em 1930 que para adular os donos da casa resolveu bordar camisas com as letras da frase: "Viva Uruguay".
Os andinos só não contavam com a dor de barriga que assolou o jogador que usaria a camisa com o segundo “U”.

Ou como contam diversos jogadores (Pelé, Jairzinho, Gerson, Carlos Alberto com pouca variação entre si) que resolveram pregar uma peça – com o consentimento e auxílio de Zagallo – no cantor Wilson Simonal - que estava com a seleção para animar e entreter - que se dizia muito bom de bola.
Disseram que haveria um corte por conta de lesão e que na falta de tempo hábil (já estavam no México) para convocar outro jogador aqui no Brasil, Simonal faria um teste com bola e, aprovado, seria integrado ao time.
Simonal então se paramentou.
Vestiu uniforme, se aqueceu, fez o sinal da cruz e foi para campo. Deu piques, dominou, passou, chutou, porém, sem o preparo físico necessário tanto para jogar futebol, quanto para aguentar os efeitos da altitude da cidade de Guadalajara e com alguns minutos de treino desaba desmaiado no gramado.
Acorda mais tarde, com uma máscara de oxigênio e um monte de risadas.

3 comentários:

Rafael Schelb disse...

kkkkkkkkkkkkkk Morrendo de rir de ambas as histórias. E que venha a Copa, e que venha o hexa!!

Rafael Schelb disse...

Antes que eu me esqueça: E que venha a Argentina!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Rubs Cascata disse...

Nota aos hermanos: considerem-se avisados! Continuaremos sendo ajudados. Um jogo no Iataquerão tinha de ter um roubo.