5 de ago de 2014

F1 summer vacation

A prova da Hungria fechou a fase um do campeonato.
Agora uma parada de quase um mês para férias de verão e a categoria volta com baterias recarregadas em Spa.
Mas o que se pode apurar da primeira parte da brincadeira?
Que a Mercedes começou arrasadora, tanto equipe quanto motores.
Que Nico e Lewis são engenheiros de obras prontas.
Que não se pode duvidar da Red Bull.
Que o poço da MacLata é mais fundo que se pensava.

Apenas carros com motor Mercedes fizeram pole, onde se verifica (quase sempre) qual carro é realmente melhor e mais rápido.
Quando não foi um Mercedes oficial, foi a Williams de Massa com motor alemão.
Porém, nos últimos GP´s, a confiabilidade já não era tanta quanto no começo.
Quer pela ascensão das Williams de Felipe Massa e Valteri Bottas, quer pelas quebras nos carros prateados.
Problemas com freios, incêndios...
O que antes era certeza passou a ser dúvida e já não se aposta tão cegamente em uma vitória de Lewis ou Nico a cada corrida.
Aliás, outro ponto interessante é ver como se comportam torcedores e pseudo-especialistas quando falam da performance de Lewis ou Nico em comparação a Vettel, por exemplo.
Até ganhar se segundo título, Vettel era tido como um pequeno gênio, futuro da categoria.
Logo após ganhar o terceiro e principalmente o quarto título, passou a ser visto como pequena fraude produzida apenas pelos carros fantásticos criados por Adrian Newey.
Lembrando que antes de ir para a Red Bull, pilotava para a irmã menor, Toro Rosso e ainda assim conseguiu sua primeira vitória.
Lewis só havia pilotado pela Maclata, e só conseguiu suas vitórias quando o carro era tão fantástico quanto. Quando o time começou a fazer água, pulou fora.
Nico nem isto... Só vencendo já pela Mercedes.
Não que sejam ruins, pelo contrário, mas só Vettel é fraude?
Vai entender.

Outro dado curioso é que quando não venceu o time oficial da montadora alemã, não foi um cliente também a subir no degrau mais alto do pódio.
As duas vitórias que escaparam às mãos da Mercedes foram exatamente da equipe que muitos davam como carta fora do baralho durante os treinos de pré-temporada: Red Bull.
Mais curioso ainda é que as vitórias foram daquele que é – teoricamente – o segundo piloto do time: Daniel Ricciardo.
Pouquíssimas pessoas diriam antes do começo da temporada que esperavam algo de bom vindo do australiano risonho.
Agora, duvido que haja alguém que não diga que ele está sendo o nome do campeonato até aqui.
Mas penso que, se ele começar a ganhar de fato, levar dois ou três campeonatos, começam a chamar o cara de fraude também.
Deve ser a tal síndrome do underground... Só pode.

E a Maclata? Bom...
Um time que insiste em Button e traz um membro do clã Magnussen para pilotar – já substituindo o mala do Perez – tem mais é que se fuder mesmo.
Só falta a Honda chegar e ao invés de trazer aqueles motores conhecidos pela potência e confiabilidade, trazer um monte de motor de Civic brasileiro.
Na torcida desde já.

E quando a brincadeira recomeçar? Será que tudo permanecerá do jeito que tem sido?

10 comentários:

Vander Romanini disse...

Acho que o Vettel vai começar a dar graça na bagaça!!
Já a McLaren... Aí virou bulling.

Marcelonso disse...

Groo,

Esperamos que a segunda metade da temporada tenhamos mais algumas belas corridas. E por que não dizer, que os problemas da Mercedes sejam ainda maiores...

Penso que a Red Bull conseguirá uma boa recuperação e consequentemente Vettel reagirá no Mundial.

abs

Manu disse...

Eu estou ansiosa por uma única coisa da segunda parte: Spa.
No resto, na primeira parte o seu resumo diz tudo.

Abs!

Rubs Cascata disse...

Ron, eu gosto de underground. Curto um ambiente sinistro. Passei a gostar de coisas esquisitas, como Kaiser Chiefs. Vi os caras tocarem de muito perto num ambiente pequeno, bastante undergorund, e com poucas pessoas. Tomei 6 copos de 1L de cerveja irlandesa... Vi o dono do underground pessoalmente, com chifre e tudo.
Dizem que Frentzen sempre andou na frente de Schumacher, menos na F1.
Vettel ganhou o a F BMW alemã e, em 2006, quando foi correr a F3 européia, terminou atrás de seu companheiro de equipe, Paul di Resta, e de Lucas di Grassi...
É muito difícil sustentar a tese de que um tetracampeão seja fake. Talvez fosse mais fácil dizer isso de Villeneuve, como vc sempre fez.
Vettel pode ter se tornado um piloto excepcional dentro da F1, como aconteceu com Schumacher. Ou pode ser o mesmo piloto da F3 européia que teve a sorte de contar um um carro três segundos mais rápido do que a concorrência.
Só o tempo dirá, já que todo comentarista, seja ele especialista ou não, não passa de um profeta do acontecido.
Quanto a McLata, todo mundo sabe que o motor não é o mesmo da Williams, a única equipe a receber as atualizações e um motor idêntico ao da Mercedes. Eu poderia provar isso citando a fonte, mas estou com preguiça.
abs.

Rafael Schelb disse...

Qualquer um que empate ou supere, em número de títulos, o "Santo", toma pecha de fraude...

Anselmo Coyote disse...

A comparação do Vettel c/Hamilton nivelando-os desconsidera que embora a McLaren tivesse um foguete ele, ainda estreante, bateu o bicampeão Fernando Alonso. E agora está duelando com um piloto que também está aproveitando as oportunidades. Já o Vettel chutou a bunda de defunto por quatro anos seguidos, inclusive o parceiro Webber que não guiava merda nenhuma, estava em final de carreira e era sistematicamente preterido na equipe. Agora que a Red Bull está precisando de alguém que explore todas as possibilidades do carro quem está fazendo isso é o Ricciardo e não o "genial" Vettel.
Agora... criticar a McLaren por insistir em Button e Magnussen e silenciar sobre a Williams que contratou Rubinho, Maldonado e agora Massa... Sem comentários.
Abs.

Anselmo Coyote disse...

A comparação do Vettel c/Hamilton nivelando-os desconsidera que embora a McLaren tivesse um foguete ele, ainda estreante, bateu o bicampeão Fernando Alonso. E agora está duelando com um piloto que também está aproveitando as oportunidades. Já o Vettel chutou a bunda de defunto por quatro anos seguidos, inclusive o parceiro Webber que não guiava merda nenhuma, estava em final de carreira e era sistematicamente preterido na equipe. Agora que a Red Bull está precisando de alguém que explore todas as possibilidades do carro quem está fazendo isso é o Ricciardo e não o "genial" Vettel.
Agora... criticar a McLaren por insistir em Button e Magnussen e silenciar sobre a Williams que contratou Rubinho, Maldonado e agora Massa... Sem comentários.
Abs.

Anônimo disse...

Falou tudo

Anônimo disse...

A McLaren precisou do Senna também, e oque ele fez? Vazou!!!! Foi pra Williams, escolheu o caminho teoricamente mais fácil. Outra coisa, se os títulos de Vettell não valem nada por ter batido em cachorro morto, oque dizer dos títulos do santo em 90 e 91? Ah, claro, mas alí também não é válida a comparação por se tratar do santo-melhor-piloto-de-todos-os-tempos-de-todas-as-galáxias, né... Schumacher 7 títulos, é fake; Vetell 4 títulos, é fake; todos os outros (Hamilton incluso, claro) com 3 ou menos títulos, são super pilotos. Mais previsível impossível....

Anônimo disse...

Mais um detalhe: Vettell é fake porque Webber era fraco, né. Berger foi o segundo melhor piloto de todos os tempos, né...