11 de ago de 2014

Gentlemans: the silly season

Férias da F1, tempo de silly season e algumas bobagens.
Melhor é sempre ver os carros na pista e – se é para ler e ouvir bobagem – que sejam os mimimis de Alonso e Vettel em uma disputa ou as choradeiras da dupla da Mercedes do tipo: “-Não faz isto que a mãe mandou não fazer!”.
Mas como os caras também precisam de descanso, vamos às besteiras extra pista.

Sério Perez, o mexicano batedor disse que a engenharia da Force Índia está no mesmo patamar da Maclata.
A se discutir: A engenharia da Force Índia deu um upgrade ou a da Mclata piorou muito?
Se levarmos em conta a última temporada do time inglês, voto na segunda hipótese.

Ainda da Mclata, Jenson Button disse que deseja continuar correndo em 2015.
Um ponto: Jenson corre?
Disse também que é: “-Jovem e rápido.”.
Ouvi e li isto de outro piloto sul americano que disse isto também já em fim de carreira.
A diferença é que o inglês tem um título mundial, porem... Quem liga?

Para finalizar com o time de Woking, boatos correm sobre uma possível ida de Vatteri Bottas para lá.
Talvez isto explique a declaração do... Do... Bom, do piloto velho de lá.
É um ótimo nome, que vem fazendo uma temporada fantástica na renascida (e linda) Williams.
Se é bom para a Mclata, também pode ser bom para Felipe Nasr que pode chegar à titularidade em 2015.
O que também seria bom para os torcedores pachecos que teriam dois pilotos brasileiros para torcer. E dentro da mesma equipe em ascensão, o que garantiria que se o time sacaneasse, de qualquer forma teria um compatriota levando vantagem.
Ruim mesmo só para o coitado do Bottas... Tadinho.

Na Red Bull as coisas andam invertidas.
Este ano quem está dando as cartas é o novato do time que, aliás, é o nome do ano na F1.
Subestimado por muita gente, Daniel Ricciardo ganhou o direito de vencer corridas com o tetra campeão na pista e sem ter de pedir licença à equipe.
Consistente, ousado, corajoso, bem humorado entre outras coisas, só não tinha o direito de ser trolador.
Falar para o filho do Carlos Sainz a ingressar na F1 pela Caterham é maldade, pura maldade...

Por último.
Este povo é esquisito demais.
Asfaltaram a área de escape da curva Parabólica na sagrada pista de Monza e foi o que bastou para começar a gritaria: “-Mataram a curva, acabaram com o desafio...”.
A curva continua lá e tão complicada e desafiante como sempre, a diferença é que agora quem escapa tem uma chance de não ir acertar o muro e ainda voltar para a pista.
“-Ah, mas a caixa de brita punia quem ia parar nela, às vezes o cara nem voltava...”.
Agora vai voltar, mas se usar a área asfaltada será punido pela direção de prova.
É diferente? Sim.
É ruim? Provavelmente.
Mas vá por mim... Melhor a Parabólica com a área de escape asfaltada do que o que houve com a Peraltada, por exemplo.

5 comentários:

Vander Romanini disse...

Texto otimamente escrito.
Fora os mimimi dos motoristas, esse mimimi da parabólica já deu no saco, nénão???
Ô povinho pra cornetar!!
Aí vem a corrida, ela é sensacional e os mesmos morde-fronhas vão dizer: "Ah, a parabólica asfaltada ficou sensacional!"
Não acha?

Anselmo Coyote disse...

O Bottas ir pra Mclaren é ruim pra ele? É pessimo. Mas, só pra ele que é um racer, um competidor de verdade. Pra essa equipezinha de merda está tudo bem. Apequenada e já há mais de uma decada acostumada a se arrastar lá no rabo da cobra, bem que podia chamar de volta o morto-vivo Barrichello. Seria o triangulo amoroso perfeito - Williams/Massa/Barrica.
Abs.

Robson Santos disse...

Com relação à curva Parabólica emMonza, concordo em genero, numero e grau contigo! E realmente é melhor ter Monza no calendário com Parabólica asfaltda de que Hermanos Rodriguez 'sem' Peraltada!
Ah sim! E esse povo é chato de doer. Nunca estão satisfeitos com bosta nenhuma e nem entendem de neda tbm!

Marcelonso disse...

Groo,

Essa história do Bottas na McLaren começa a tomar corpo, diria que é uma possibilidade crescente.

Quanto a Parabólica, concordo que é melhor asfaltar que ceifar, tal qual a Peraltada.

abs

diogo felipe disse...

Concordo integralmente contigo com relação à parabólica e a peraltada.