6 de out de 2014

Crônica do GP: - #ForzaJules (ou: Abaixo os profetas do milagre feito)

Jules é um piloto promissor. Note o tempo do verbo.
E tudo correrá bem para que continue sendo. É o que todos desejam, sem duvida.
Foi o único piloto até aqui que conseguiu pontuar com uma nanica atual: dois pontos na prova de Mônaco.
Ainda que assim não fosse, Jules É um piloto promissor.
#ForzaJules
Sobre o acidente...
A escolha da ambulância ao invés do helicóptero para o transporte do piloto dá para entender.
Basta lembrar que o país estava sob alerta de tufão, fato este que limita e proíbe o levantamento de voos.
A corrida sob chuva idem.
Não é a primeira vez que se corre sob estas condições e provavelmente não será a última.
E sempre aparecerão aqueles que com ar sabichão dirão que o acontecido era óbvio e que só não enxergava quem não queria ver.
Toda fatalidade é composta de diversos erros em série e sempre há de se achar algum culpado e apontar as falhas.
Não é invalido isto, pelo contrário, mas realmente não é hora.
Jules aceitou o risco de que algo grave pudesse acontecer quando escolheu a carreira.
Por mais segura que a categoria - e o próprio esporte a motor - tenha se tornado, nada é cem por cento isento de riscos.
Esta é a vida e o ser humano se mostrando – ainda – relevante dentro do esporte. E assim será sempre.
E aqui não se trata de diminuir ou relativizar o acidente e suas (possíveis graves) consequências.
Talvez nada tivesse acontecido se a prova fosse adiada, ou até mesmo adiantada como chegou a ser cogitado.
Mas o “se” não é permitido. Não tem função nenhuma em caso algum a não ser em exercícios literários.

E tão triste quando o próprio acidente é a caça as bruxas que se segue a cada evento destes.
A falta de coerência nos discursos é grande e os mesmos que reclamam da “frescura” de não correr sob chuva, da entrada de safety car ou da chamada de red flags nestas condições são os que abrem a caixa de ferramentas para bater na decisão de se correr “normalmente” com a mesma chuva quando algo assim ocorre.
Os engenheiros de obras prontas, profetas do acontecido não ajudam em nada, pelo contrário: acaba-se punindo coisas que tem pouca ou nenhuma culpa.
Ai uma curva e destruída ou aposenta-se uma pista e os mesmos tipos saem reclamando novamente da “frescura” e evocando que “antigamente era melhor”, que os “pilotos eram mais machos” etc., etc.
Lamentável.

Mas algumas perguntas ocorrem no momento e talvez fiquem sem resposta:
Por que o carro de Jules passou tão rápido pelo local?
Teria ele desrespeitado a bandeira amarela no local?
Teriam lhe falhado os freios?
Por muito menos que um trator (estilhaços de bico na pista seca) o SC já foi acionado em outras ocasiões, por que não desta vez?
Alguém se habilita a responder? Duvido...

6 comentários:

Vander Romanini disse...

Foi que disse ontem.
Tem culpados? Óbvio que tem.
Serão punidos? Óbvio que não.
Triste, mas simples assim.

Manu disse...

Tudo agora é chance para achar os profetas mesmo. Eu não profetizei nada. Chorei mesmo, e me envergonhei disso. Mas simplesmente não me controlei e desde então só penso em como pode estar Jules e a família, tentando mandar pensamentos positivos.
Em todo caso, já aconteceu, há muito que ficará sem resposta e provavelmente sem solução.

Abs!

José Coutinho disse...

Agora a pouco foi divulgado um vídeo do momento do incidente, em que mostra o fiscal da torre 12, logo ao lado do trator, tremulando uma bandeira VERDE ! Talvez o Jules tenha visto e acelerado. TALVEZ. A não liberação das imagens oficiais só demonstra que a FIA só mostra o que lhe convém. Para ficar imune as críticas preferiu esconder as imagens. Graças a uma bem maior ele não morreu, mas poderia ter ocorrido e os velhotes dono do evento não vão querer ninguém morrendo dentro da pista. Vide um caso parecido 20 anos atrás lá em Imola.

Net Esportes disse...

Esse negócio de procurar culpados é normal ... eu acho que deveria haver um meio do trator não entrar na pista. Não é a primeira vez que ocorre choque entre carro e trator, foi inclusive o Schumacher no Brasil se não me engano .....

Fora isso, vendo o vídeo, fica claro que houve algum problema no carro que o impediu de frear, se não aquilo ali é tentativa de suicídio ... ou homicídio do fiscal de pista que quase foi de embrulho junto ....

Marcelonso disse...

Groo,

Foi uma fatalidade.

Essa história de procurar culpados não leva a lugar algum. É preciso aprender com tudo o que aconteceu e não permitir que algo semelhante possa se repetir.

Quanto ao Bianchi, desejamos que consiga sair dessa.

Se vai voltar a correr, não é importante nesse momento.

abs

Anselmo Coyote disse...

Aquaplanagem não é brinquedo.