12 de out de 2014

F1 2014: GP da Russia: Na Russia a corrida chateia você

O clima não era dos melhores.
Não pela tensão do perigo, mas pela tristeza com a situação de um dos colegas de trabalho.
As homenagens a Jules Bianchi antes da prova foram, em minha ótica, sinceras.
Infelizmente o tom excessivamente sentimental da transmissão não ajudava na compreensão da situação.
O adiamento da corrida nem sequer foi cogitado.
Obviamente não por motivos humanitários, mas pela quantidade de dinheiro e interesses envolvidos.
Sendo assim, o melhor que se podia fazer era proporcionar um espetáculo ao qual o próprio Jules gostasse de ver e fazer parte.
Pobre Jules se dependesse disto para sobreviver...

Difícil de entender a lógica de forçar uma ultrapassagem, fritar os pneus arriscando tudo e logo em seguida ir para os boxes.
Na primeira volta, lembre.
Devolver a posição foi normal até.
Rosberg ao fazer a ultrapassagem furou a curva seguinte e ganhou um espaço considerável.

Também Felipe Massa foi aos boxes logo na primeira volta. Mas já largava no fim mesmo...
A estratégia era de trocar para os macios e fazer a prova até o fim sem parar.
Talvez na esperança de um SC.
Só se caísse um caça na pista. Por batida dos carros no muro ou um nos outros, sem chance tanto pela largura da pista quanto pelo cuidado com que todos estavam tocando. Sintomático, talvez.

Logo atrás Vettel e Ricciardo discutiam posição de forma vigorosa.
Ok, Vettel vai embora do time, mas sejamos coerentes e honestos: brigaram livremente durante toda a temporada até aqui.

E foi só.
A prova entrou em modo automático, os carros se espalharam e nem Rosberg e Massa vindo do fundo em corridas de recuperação a coisa deu graça.
Rosberg chegou ao segundo lugar logo depois da metade da corrida e Felipe Massa parou novamente.
Péssima estratégia da Williams. Péssima.

Até a transmissão oficial da prova acabou se rendendo a chatice da corrida.
Mostrou com muito mais ênfase a chegada de Vladmir Puttin ao circuito do que a corrida.

E fazendo valer a reversal russa: Na Rússia a corrida assiste você.
Tamanha a sonolência da prova.

5 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

A corrida foi horrível. O circuito é bacana, instalações maravilhosas, mas o traçado é muito ruim.

De longe a corrida mais chata da temporada, conseguiu ser pior que Cingapura.


abs

Anônimo disse...

Ron, quando um piloto toma uma surra do companheiro, a humilhação toma conta das redes. Mas, e quando a estratégia de uma equipe é humilhada? Se tivessem imitado a Merrcedes, com pneus duros, a Williams poderia fazer um quarto lugar. Mas, não, acabar atrás do Perez?
Já sei! O ronquifuço do engenheiro ouvia Fear of the Dark como lullaby. Devia ouvir a bailarina?
Ass: Rubs Cascata.

Anônimo disse...

Ron, quando um piloto toma uma surra do companheiro, a humilhação toma conta das redes. Mas, e quando a estratégia de uma equipe é humilhada? Se tivessem imitado a Merrcedes, com pneus duros, a Williams poderia fazer um quarto lugar. Mas, não, acabar atrás do Perez?
Já sei! O ronquifuço do engenheiro ouvia Fear of the Dark como lullaby. Devia ouvir a bailarina?
Ass: Rubs Cascata.

Mário Salustiano disse...

eu não consigo entender como um piloto com a experiência de Massa não consegue dar um pitaco junto aos seus engenheiros sobre a estratégia da prova, no final foi um dos raros a parar duas vezes e ainda ficou reclamando do trânsito
Achei a pista até razoável, tem muita lergura o que permite pontos de ultrapassagem, a corrida desse ano pagou o preço de sendo a primeira não ter nenhuma equipe querendo ariscar algo mais diferente, acho que para os próximos anos vai melhorar

Manu disse...

Acabou sendo um evento inútil. Parou só no momento de apoio ao Jules, e em si a corrida acabou desnecessária, de tão monótona. Se fosse para ver o quadro de imagem Putin com Ecclestone, eu preferia estar vendo "Esquenta". ¬¬'

Abs!