12 de fev de 2015

Running with the devil

Nos anos oitenta o Van Halen era uma das principais bandas do rock.
Seu som, classificado por alguns críticos como “Big Rock”, seja lá o que isto queira dizer era facilmente reconhecível entre a enorme quantidade de bandas concorrentes.
O guitarrista Eddie Van Halen era (e provavelmente ainda é) considerado um dos maiores guitarristas do rock e até havia sido chamado para contribuir com Michael Jackson, o que então na época não era pouco.

Tudo que a banda fazia, acabava virando evento.
Em 1985 a banda iria receber um prêmio da MTV americana, quando seu produtor, Ted Templeman, resolveu provocar o vocalista original da banda, David Lee Roth propondo uma aposta. David teria que fazer o percurso entre Los Angeles e Nova Iorque em três dias a bordo de um Mercury Lowrider fabricado em 1951 e chegar a tempo para a premiação.
A mobilização pela viagem de Roth só terminou quando, alguns minutos antes do inicio da cerimônia, o vocalista estacionou em frente ao teatro de onde tudo seria transmitido ao vivo para todo país.

A história é bacana e é verdadeira, mas hoje fica difícil crer que foi assim mesmo, de forma tão natural e espontânea.
Peter Hince, roadie do Queen escreveu em seu livro Queen Unseen (2011) que os integrantes do Van Halen não saiam de seus quartos de hotel sem a presença de pelo menos três seguranças devidamente paramentados de terno, óculos escuros e pontos eletrônicos e intercomunicadores, iguaizinhos a agentes da CIA.

3 comentários:

Anônimo disse...

Queen Unseen, um grande livro

Rafael Schelb disse...

Não tem como não curtir o som do VH. "Running" é uma das minhas preferidas!

Marcelonso disse...

Groo,

Concordo com o Schelb, impossível não gostar do som desses caras.

abs