17 de mar de 2015

Duas coisas quer não interessam a ninguém

Caramujo Africano é uma espécie que chegou ao Brasil trazido com a intenção de ser comercializado como scargot, o que logo depois se viu que era impossível devido ao fato do bicho ser o hospedeiro natural do verme causador da meningite.
Registros dão conta de que a primeira aparição do molusco em terras brasileiras se deu no ano de 1980 em uma feira agropecuária no Paraná.
O bicho, por não ter predadores naturais por aqui, se procriou com muita facilidade e alguma rapidez.
Outro ponto sem interesse algum é que seu nome popular por aqui é errado, já que caramujo é um molusco de água doce, o que não é o caso deste bicho que pode – em raros casos – chegar a quinhentos gramas de peso...
O que ninguém explica é que mesmo tendo aparecido primeiro lá no Paraná, o animal hoje ocorre em vários estados do país...


A emissora oficial da F1 no Brasil montou um programa de espera para o inicio das corridas de F1 que transmite.
O bagulho é chato para caramba.
O narrador chato comanda uma pauta chata, com convidados também chatos e sem nenhuma ligação com a F1.
No primeiro teve Bia Figueiredo (vá lá... Pelo menos é piloto), Giba do vôlei (que já é um esporte meia boca...), um ator que não sei o nome e não me importo de não saber e tenho preguiça de procurar no Google e Raul Boesel que ao invés de falar de F1 ficou tocando discos.
Luciano Burti e Reginaldo Leme ficaram com aquela cara de “o quê que eu to fazendo aqui?”.
Chegou a dar muita saudade do grid walk do Barrichelo.

3 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

O novo esquema da Globo é patético. Parece programa para retardado...


abs

Anselmo Coyote disse...

Cara, quanto mais melhor. Como se não bastasse a Quenga-mor, quero que eles continuem enfeitando o pavão. Mico pouco é bobagem.
Abs.

Magnum disse...

O grid walk custa dinheiro (tem que ter um passe especialíssimo), e a Globo quer investir o mínimo na F1 atualmente...

Sobre o caramujo, se o Barrichello ia até o Japã... Epa, não, péra aí, essa piada é sua, não minha!

Digo, é a coisa mais fácil esses "bichinhos" grudarem em uma caixa, container, chassi, o que for e viajarem pra tudo quanto é lado do Brasil...