29 de mar de 2015

F1 2015 - Malásia: Paixão

As corridas da madrugada dão o álibi perfeito para um texto ruim: o sono.
Acordar às três e meia da matina, mesmo para quem é jovem, não é fácil.
Só a paixão explica...
Atrativos? Até tinha...
Ver Alonso na última fila não é algo corriqueiro (a Manor não conta...) embora possa ser este ano.
Vettel em boa forma e com um carro relativamente rápido também.

Mas a largada extremamente limpa tirou as esperanças.
Mesmo com Vettel mantendo posição, com Felipe Massa ganhando algumas não dava para ter muitas esperanças.
E ai feio o safety car na quarta volta, por conta de uma manetada de Ericson até tentou dar molho jogando as Mercedes para o meio do pelotão.
A estratégia de trocar os pneus e ficar livre para usar a melhor configuração era a melhor aposta.
Voltar à ponta era questão te tempo.
Se utilizando do handicap de ter o melhor equipamento foram ultrapassando sem muitas dificuldades até que na volta dezoito, na parada de Vettel (nem para ter uma briguinha na pista...) os carros prateados pilotados por cones já eram primeiro e segundo novamente.

Só não contavam com o fator Vettel.
O alemão com uma estratégia de pneus diferente levava vantagem e ultrapassou primeiro Nico, depois Lewis sem muito esforço.
Desconte-se que após ultrapassagem o cone número 44 foi aos boxes, mas ficou latente a diferença.
Quando há adversários, Hamilton não é lá grandes coisas.

Enquanto isto, pista afora, a corrida se desenrolava com alguma emoção e boas ultrapassagens.
A briga já no fim da prova entre Felipe e Bottas foi excelente.
Deu Bottas, mas não sem briga, não sem disputa.
Não houve “faster than you” desta vez.
Assim que tem que ser sempre: perder sim, mas na pista, no braço.

É fato que ninguém ganha corrida com carro ruim, logo, a Ferrari não é carro ruim e não dá para ficar falando em “tirar leite de pedra”, mas logo após a segunda rodada de pit stops, Vettel ainda era líder e a estratégia de pneus lhe dava vantagem.

O chato é que não houve nem tensão.
Vettel manteve a ponta da corrida com certa tranquilidade.
E enquanto isto, Kimi se recuperou e não fosse os problemas no inicio da prova teria mais que o quarto lugar certamente.
Não dá para cravar que o domínio da equipe alemã está ruindo, mas que houve uma balançada no império, ao menos na Malásia, isto dá!

A paixão que explicava agora está justificada.


14 comentários:

Mário Salustiano disse...

talvez seja cedo para achar que a Mercedes não leva esse campeonato até com facilidade, mas foi uma grata surpresa eles errarem na estratégia e a Ferrari surpreender trazendo uma possibilidade de Vettel se manter na briga.
Ainda vou apostar que o mais interessante desse ano é saber entre Hamilton e Vettel quem quebra a marca de 41 vitórias de Senna

Vinicius disse...

Quem falou mesmo que o aposentado finlandês iria entubar impiedosamente a farsa alemã?

E farsante alemão ainda deu de lambuja uma volta em cima de sua equipe antiga...


Eu me divirto.....

Anselmo Coyote disse...

Groo, até que enfim uma corrida melhor. O Kimi correu demais. Largar em 11o, ter um pneu furado na reta dos boxes, cair para ultimo lugar ainda na pista, dar uma volta inteira se arrastando com a roda sem pneu ralando no asfalto, cair para o ultimo lugar, deixar as Williams para trás e ainda chegar em 4o, colados nas Mercedes.... tudo isso com um carro que não é o melhor... tem preço. Isso sim, é correr, mostrar braço. Recuperar todas as posições perdidas por causa do pneu furado e da volta inteira dada só com a roda e ainda ganhar mais 7 posições, tudo no braço... realmente não tem preço.
Não é para qualquer um driblar o azar assim. Para mim, por tudo o que aconteceu, foi "o cara" da corrida. Essa é a história atrás da história que estão nas manchetes. Cada um faz o que sabe.
Abs.

Anselmo Coyote disse...

E a "perda de potência" do Massa quando ele precisou de braço? Depois a potência voltou... assim, do nada. Impagável rsrsrs.

Marcelonso disse...

Groo,

Dessa vez tivemos uma corrida interessante. Mas por vias das dúvidas, preferi assistir de manhã cedo na Sportv, sem ainda saber do vencedor.

Aconteceram pegas interessantes, principalmente nas posições intermediárias.

Hoje Vettel mostrou seu talento e capacidade. É obvio que contou com uma dose de sorte e também com a soberba da Mercedes. Mas tá valendo...

Só quero ver o que dirão os corneteiros que insistiam em duvidar da sua capacidade.

abs


Vinicius disse...

Vettel lhe mandou lembranças Anselmo...

Anselmo Coyote disse...

Marcelonso, eu sou o corneteiro e repito que o Vettel fez o que ele faz melhor: empurrar bêbado escada abaixo aproveitando-se de duas cagadas homéricas da Mercedes que acabaram com a corrida do Hamilton. Desde que o Hamilton deu aquela traulitada no Alonso em seu ano de estréia os torcedores do Alonso ficaram cegos para os pontos positivos do neguinho. Mas eu lhe mostro o que vc não consegue ver. E repito, a Mercedes fez duas cagadas homéricas.

A 1a foi chamar os pilotos para os boxes na 4a volta, tirando Hamilton da 1a posição e devolvendo-o à corrida em 6o lugar a quase 10s do 5o lugar. Essa cagada obrigou o piloto a fazer uma parada a mais do que fez o Vettel.

A 2a cagada foi a Mercedes ter colocado pneus errados no carro dele forçando-o a fazer 17 voltas com pneus que são quase 1s mais lentos por volta.

Para ficar só na cagada de uma parada a mais, todos sabemos que cada parada tira do piloto pelo menos 25s em seu tempo final. E o Vettel chegou apenas 8s à frente do Hamilton.

Mas tudo bem. A corrida mostrou sinais muito positivos. É só aguardar, mas a Ferrari embora esteja com um bom carro não é melhor do que a Mercedes.

Abs.

PS. O Nasr deve ter aprendido hoje que quando ele caga na corrida de alguém ele também pode acabar com a própria. Se tiver, ótimo. Se não, vai durar pouco na F1. Não vou chamá-lo de burro ainda porque ele é apenas um estreante.

Vinicius disse...

Pode chorar a vontade,Anselmo...

O Choro é livre.

E cadê o Ricciardo,Anselmo? Cadê o Newey,Anselmo?

Vinicius disse...

Se ao invés do Aposentado Finlandês,o Nasr tivesse acertado a ``farsa alemã´´ duvido que Anselmo teria aberto o berreiro....

Manu disse...

Quando há adversários, Hamilton não é lá grandes coisas.[2] Fato.

Excelente texto, quase igual ao meu, só que bem melhor escrito! ;)

A disputa entre Massa e Bottas foi boa, e Bottas ganhou tão bem que foi sem uso da asa! \o/
Se tiver mais competitividade assim nas próximas, 2014 é aniquilado da memória para sempre.

Abs!

Net Esportes disse...

Acho que diversos fatores fizeram a Mercedes ir "mal". Três paradas, temperaturas alta, os compostos de pneus. Perde de tempo após primeira parada e por aí vai.

Seria legal ver a Ferrari brigando, mas acho que é cedo para dizer que o domínio da Mercedes acabou.

Marcelonso disse...

Anselmo,

É bem verdade que a Mercedes errou, mas também reconheceu que foi a primeira vez que foi derrotada de forma normal na pista. Aquelas do ano passado, nem foram levadas em consideração...

Vettel soube aproveitar muito bem a situação que se apresentou,e pasme, dessa vez não era num carro produzido por Adrian Newey...

É importante lembrar que para fazer a estratégia funcionar é preciso fazer por onde, e ele fez.

Mas você tem razão, Vettel não é isso tudo mesmo. Bom mesmo era o Nelsinho Piquet, como você insistiu durante muito tempo.

Os quatro campeonatos de Vettel devem ter sido obra do acaso...


abs




Rubs disse...

Coyote, quando o azar é recorrente, desconfie dos dados. Eles podem ser viciados. A Ferrari nunca deu tratamento idêntico a dois pilotos, mesmo na ocasião em que o primeiro piloto esteve com a perna quebrada e o segundo podia ser campeão. Se a história mudou, então Raikkonen pode estar em decadência. Acontece. Aconteceu com o Piquet. Por outro lado, falsa indução também é vício. Basta a Mercedes cometer um erro estúpido e o Gênio está de volta. Essa generalização burra não foi feita com o Ricciardo, que deu uma surra no quatro-estrelas.
Abs.

Vinicius disse...

Cade o Newey,Anselmo?
Cade o Ricciardo,Anselmo.