5 de abr de 2016

F1 2016 - Crônica do GP: The eagle Haas landed

Gene Haas não é bobo.
Nunca foi.
É verdade que vem de um outro mundo do automobilismo: a Nascar. E nada pode ser mais diferente da F1 que a categoria de taxistas manetões americana, porém na essência está o automobilismo, que como canso de dizer é simples: alguns imbecis constroem carros e outros os guiam, o mais rápido ganha.
Haas sabe disto.
Ainda que muitos digam que seu princípio de sucesso na F1 se dá pela ajuda técnica e componentes da Ferrari.
O time tem motor e câmbio italiano debaixo da carroceria americana, mas creiam, não é só isto.
A Catherham também tinha (ok, era um motor defasado em relação aos carros rossos, mas...) e nunca deixou o fim do grid. Pelo contrário, passava vergonha.
Some o bom trabalho feito no carro com a ótima escolha de pilotos e temos o começo de uma novata mais impressionante em muito tempo.
A sexta posição na Austrália e o quinto lugar no Bahrein são a prova.
Romain Grosjean sempre foi bom piloto.
Claro, teve tempos ruins. Bem ruins. E que piloto não tem?
Já Gutierrez... Bom. É melhor dar tempo ao tempo.

Posto isto, a pergunta que não me deixa em paz: Por que caralhos Gene Haas quer (e vai) abandonar o desenvolvimento deste carro com apenas uma corrida disputada (ele anunciou antes da segunda) em detrimento do projeto para o ano que vem?
Não que haja alguma chance de vencer corridas, mas há a possibilidade real de o time seja o melhor estreante desde 1951 (esqueça a Brawn, lembre-se que antes de ser o time vencedor de 2009 eram apenas a Honda passando vergonha)
Isto em um cenário em que cada ponto vale muito, muito dinheiro mesmo além das comodidades e despesas de viagem pagas pela F1 caso consiga ficar no top 10.

De qualquer forma, Gene e sua equipe lá da terra das águias tem sido o motivo pelo qual ainda aguentamos firmes e fortes esta F1 artificial, politizada e altamente monetizada.
The eagle Haas landed, salve Gene.

3 comentários:

Francisco J.Pellegrino disse...

Ano que vem muda tudo...não vale a pena desenvolver a ronha atual....prá quem é, tá bom demais !

Marcelonso disse...

Groo,

A Hass, surpreendentemente, começou muito bem. Hoje na classificação está a frente da McLaren, Sauber, Manor, Renault, Force India e Toro Rosso. Se não desenvolver o carro, a tendencia é sofrer como a Sauber no ano passado a partir da metade do campeonato.


abs

Grid GP disse...

Caríssimo Groo,

Eu sinceramente acho que algo foi "lost in translation" nessa declaração do Haas. Não estou 100% convencido de que nada mais será investido nesse carro

Tem um detalhe importante que poucos lembram: há um GP dos Estados Unidos no final do ano. Claro que faz parte dos "planos estratégicos" da Haas, concorda?

Meu caro, estou "ajeitando" um novo endereço para voltar a escrever sobre corridas (e a frenquentar a esfera dos blogs). Como você foi um dos grandes responsáveis (o principal, provavelmente) pela minha entrada nesse mundo da internet e dos podcasts, sentiria-me honrado se pudesse ter a minha nova página entre seus links indicados.

http://alemdavelocidade.blogspot.com.br/

Por enquanto, apenas colei lá umas colunas do ano passado, mas em breve faço o lançamento "oficial" e dou a largada (estilo Ferrari, não Mercedes).... Prepare o blazer, certo?

Abraços, Fábio Campos