23 de mai de 2016

F1 2016: A hora e a vez do principado

Há quem não goste do GP de Mônaco.
Não vamos julgar, afinal, tem gente que defende partido político.
Gosto é gosto e isto move o mundo.
O sujeito tem o direito de não gostar de Mônaco e de defender partido político.
O sujeito também tem o direito de ser burro.
Ninguém tem nada a ver com isto.
Mas se o GP de Mônaco fosse um partido político eu o defenderia.
Por que?
Porque além de meu direito, é também por ser parte da memória de um esporte fantástico em que gente de coragem (ou burrice) arrisca o pescoço a trezentos e lá vai pedrada passando a milímetros de paredes, cercas, calçadas... E hoje nem tanto, mas também tinham que enfrentar uma espécie de cegueira temporária ao conduzir por dentro do túnel.
Fangio (ou Clark, ou Brabhan ou qualquer outro destes heróis) contava que antes de entrar no túnel deixava apenas um olho aberto e lá dentro o fechava para abrir o outro e diminuir assim o efeito do lusco fusco causado pelo sol.

Há muitas histórias bacanas nas ruas do principado.
A corrida maluca que terminou com quatro carros e foi vencida pela Ligier de Olivier Panis (1996) é uma das prediletas da casa, assim como o pódio em que David Coulthard recebeu o troféu vestido com a capa do Superman.

Porém hoje a história é outra: é a vez de Michael Schumacher, o maior campeão que a F1 já viu.
Em 2006 a briga era com o então campeão mundial Fernando Alonso que rumava para o segundo título.
Após fazer sua volta e cravar o tempo de 1:13.898, o sete estrelas simplesmente estacionou seu carro na curva La Rascasse alegando um problema qualquer e assim trazendo uma bandeira amarela que impediu que o espanhol fizesse sua volta voadora e – talvez – lhe roubasse a pole position.
A direção da prova convencida de que fora ludibriada pelo alemão o puniu com a perda de todos os tempos marcados no fim de semana fazendo com que ele largasse da última posição do grid.

“-Safado, sem espirito esportivo, sem vergonha! ” – Bradaram então os mesmos que achavam que Ayrton Senna ficar dando volta lenta no circuito para atrapalhar os que ainda podiam lhe superar era um grande sinal de sua genialidade.
E para terminar bem a história, Michael ainda terminou em quinto lugar no domingo em uma corrida em que dos vinte e dois carros que largaram, apenas seis não terminaram a prova.
Ah, e lembre-se que o dito popular é de que não dá para ultrapassar nas ruas do principado.

9 comentários:

Rubs disse...

Casos de natureza diferente têm de ser tratados de maneira distinta.
Senna andava lento porque tinha o "self" afastado e perdia a agência sobre a própria pilotagem, quando o Espírito Santo assumia o volante. Trata-se de um fenômeno de estado alterado de consciência, conhecido popularmente como "desdobramento".
Já Schumacher, o sete-estrela, fez um pacto com Lúcifer.
Abs

regi nat rock disse...

Quem disse que trocava de olho dentro do tunel, era o Jackie Stewart. (cultura inútil) Quanto ao partner de Lucifer, na verdade ele queria o lugar pois pilotava melhor, diferentemente do 'santo' que entregava a direção ao espirito santo. Fazer o que? A disputa era , oops, infernal....

Rubs disse...

Regi, o comandante das 11 sombras ligeiras disse que vai me receber. Vou perguntar quem fez pacto com quem.
Abs

Marcelonso disse...

Groo,

A pista do principado é especial. Ainda que as corridas no seco não sejam lá muito divertidas, tem muita história encravada naquelas ruas...

A previsão pra esse final de semana, aponta pra possibilidade de chuva no domingo. Se confirmar, será interessante...

Se me permite a correção, aquela vitória numa corrida de sobrevivência, em 1996, foi de Oliver Pannis.


abs

Ron Groo disse...

Vaelu Marcelo vou arrumar

Ron Groo disse...

Vaelu Marcelo vou arrumar

Anônimo disse...

Eu não gosto. Um verdadeiro saquinho quando não chove. Quando chove, meia bomba. Eu defendo partido político ! NOVO ! 'Novo', é o nome do novo partido político brasileiro. Verdade. O que seria do azul se não fossem as cagadas do vários tons de vermelho ? kkkkkkk ! Mas temos o amarelo e o verde ! O preto e branco. Chega. Isso mesmo ! ... ou de ser inteligente. Se o GP de Mônaco fosse um partido político eu não o defenderia. Defenderia SPA ou Monza. Ou o antigo GP da Alemanha. Ou o antigo GP da Inglaterra. Ou o antigo GP do Brasil( Interlagos. Jacarepaguá era meio chatinho... ).
Que fique bem claro que falo das pistas super velozes, tá ?
Ou Indianapolis ! Que partidões ! Aquela coisa, gosto de velocidade.

Bom, não é bem assim, né... Aqueles caras, das antigas, indo parar na baía de Mônaco, já vai muito tempo, não ? Acidentes brabos por ali, sei não. O último foi o homem de ferro... O Starks quis pilotar ! Dono da equipe, quis pilotar ! Um maluco com a cara do Mickey Rourke( cheio de plástica mau feita mas cheio de talento) entrou na pista, com chicotes intergaláticos e deu maior zebra no GP. Tá no filme. Antes dele, isso sim, brabo, com quase morte, karl Wendlinger, Sauber Mercedes ! Mudaram a curva, fizeram a nouvelle chicane e tudo resolvido. Amansaram o GP totalmente e de vez. Tá, é corrida, pode acontecer algo mas os caras já se contentam sabendo que, por exemplo, as duas mercedocas, as duas touretes mais as duas ferradistas saíndo na frente, para ganhar, só quebrando os ponteiros ou se os carros, tocando de levinho nas ' perigosíssimas' curvas, empenando a rebimboca da parafuseta... Esses 6 carros, hoje em dia, quebram ? A Ferrada anda quebrando. Só para ter ideia de como virou enganação o GP de Mônaco: a última surpresa por lá foi o tiozão Olivier Panis de Ligier Mugen-Honda ! Muuuuuuu gen ! 1996 ! Dali, 20 aninhos até hoje, só fera ganhou ! Ou 'meio-feras' pilotando torpedos. Muito lábia de Gagálvão e uns poucos inteligentes entram e babam.
Histórias bacanas nas ruas do principado, aaahhh... Aquela, da princesa andando peladona atrás de um tripé mágico... Nem te conto.

Sujiro, meu amigo japa, sugeriu, há anos, carros tipos 'baratinhas' ou 'charutinhos', ou 'torpedos', com a tecnolojinha de hoje mais com menos, quem diria, potência. E, minha ideia, sem asinha que abre e fecha. Quem sabe, testar os 4 cilindros em linha, boxster ou V4. O V4, uma verdadeira dor de cabeça tecnológica a ser vencida. Ou vão com os V6 turbeca mermo.
A F- Mônaco ! Custos ? Ah, que que isso... Uma volta ao passado. Só o museu da McLaren seria um divertimento pros nerds da mecânica de hoje.
Aí, sim, teríamos a verdadeira emoção ao principado sem a necessidade de ficar procurando artistas, princesas piranhas e alguma coisa rolando nos quartos de alguns apês. E uma verdadeira homenagem as feras de antigamente que enfrentavam, sim, um perigoso circuito. Ah, tirar as imagens dos iatões foi uma tremenda sacanagem comigo. Corrida chata, pelo menos via umas gostosas com seios de fora neles no finalzinho da primavera quando dava um solzinho por lá. Agora tem arquibancada ! Mas, rico fosse, iria ao GP. Também iria a todos. Grande coisa. Lá, ficaria no cassino. Terno claro e gravata borboleta azul. Chapéu panamá.
“Shaken, not stirred...”

HA !

OBS: O que salvará o domingo é que depois de Mônaco tem 500 milhas !

HA ! HA !


M.C.

Anônimo disse...

Voltando. Um zumzumzum chegou aos meus ouvidos com ruídos sobre o GP de Mônaco poderia acabar.
NÃO ! Longe disso, por favor ! Faço que nem o Johnny Cash aí !
Aí, ó, procês ! Como poderei, todo santo ano, meter pau naquela chatice ? Já me acostumei ! Não vivo sem ele ! E é histórico ! Para o GTS - Gagalvão, sua Turma e Simpatizantes - além de histórico é histérico !
Por favor, pela volta das baratinhas no circuito monegasco( quem escreve assim mesmo ?)! F-Mônaco para gps travadões ! Poderão ser usadas em outras corridas chatas como Hungahorroring ! O GP de New Jersey poderá, enfim, sair do papel !

E tudo ficará tranquilis.


M.C.

Manu disse...

Isso é fato: Mônaco faz parte da história. Mas eu não defendo partido político. Se um dia fizer, já sabe: traga a camisa de força. Mas Mônaco não é o meu circuito favorito, sou fiel à Spa. :D

Abs!