Old brown shoes

Então o jornalista iraquiano se abaixou, tirou primeiro o sapato do pé esquerdo e atirou contra Bush, depois atirou o do pé direito.
Bush, como um personagem da série Matrix se esquivou, dos dois.
Alexandre Garcia disse que o cara estava errado. Que como jornalista ele não deveria ser noticia e sim relata-la, simplesmente.
Sei da ética que rege a profissão. Ou que deveria reger.
Sei que Alexandre Garcia não estava errado, mas não posso deixar de sentir uma simpatia pelo cara. O iraquiano, não pelo Bush.
O jornalista iraquiano fez o que três em cada dois habitantes do planeta gostaria de fazer.
Pouco antes, Bush disse que o Iraque devia aos americanos estarem livres da sombra opressora de Sadan Hussein.
Mas e da sombra opressora dos americanos? Quando é que eles vão ficar livres?
E se a moda pega?
Em quem atiraríamos os sapatos?
Dando uma editadazinha, só pra mostrar a verdadeira intenção do post.
Gostaria de saber de vocês, em quem vocês atirariam os sapatos... Desculpem se não me fiz entender.

Comentários

Felipão disse…
Nessa caso, mesmo que não tenha acertado, valeu a intenção...

Tudo pq, me disseram que trata-se da pior ofensa para uma pessoa, segundo os costumes árabes, ter um sapato atirado em sua direção...

Quanto mais dois...

Eu acho que ética fica completamente de lado, quando vc mora num país cercado de guerra e miséria, provocada por vaidade...

Na guerra, cada um sobrevive do jeito que dá...

Apoio completamente a atitude desse jornalista...
Anônimo disse…
JOgar o sapato em alguém é algo um tanto quanto... agressivo. Mas se eu pudesse atirar, algo menos doloroso em alguém, talvez um tomate, eu acho qu minha vítima seria a Marta.

Não tenho lá muita simpatia pelo Kassab, e muito menos pela Marta, mas a campanha política que ela engendrou contra o homem (ou não, e daí?) foi muito menos que baixo nível...

Enfim, tomate na Marta...
SAVIOMACHADO disse…
Groo... Estou publicando alguma coisa sobre isso. Eu tinha certeza que tu iria postar alguma coisa também. Agora quanto a jogar os sapatos, realmente o reporter Muntadar Al-Zaidi teve um momento raro. Ficar frente a frente com o maior inimigo do mundo. Responsável por toda a crise americana que desencadeou tantas outras pelo mundo. Eu não tenho dúvida que jogaria meus sapatos em Busch também. Fico impressionado como um homem conseguiu abalar toda a humanidade em tão pouco tempo.
Belo post.
Grande abraço.
SAVIOMACHADO
Henry disse…
"Alexandre Garcia disse que o cara estava errado. Que como jornalista ele não deveria ser noticia e sim relata-la, simplesmente."

As vidas ceifadas nos 2 lados dizem muito mais do que essa frase antiséptica de manual de jornalismo...

Não é questão de estar certo ou errado. A guerra é indigna.
Ron Groo disse…
Henry Ninguém aqui disse que a guerra não é indigna, mas que do ponto de vista da ética jornalistica ele estava errado. Porém também é errado receber dinheiro de entrevistado e mesclar merchandising com noticia e tem muito jornalista que faz... To errado?
E tem mais, jornalista que toma partido corre o sério risco de ficar desacreditado. Veja o caso de Paulo Henrique Amorim defendendo Edir Macedo. Cê concorda com isto? Eu quero tirar as minhas conclusões do que os jornalistas escrevem e não saber as conclusões deles.
E quanto a ser asséptica. Bem... Não tinha intensão nenhuma de ter profundidade sheakesperiana mesmo. É só a minha opinião, que nem sou jornalista. (Ainda)
Abraço e volte sempre.
Henry disse…
Ron Groo,
Não entendi o "Ninguém aqui"

Estou comentando a declaração atrubída a Alexandre Garcia:
"Alexandre Garcia disse que o cara estava errado. Que como jornalista ele não deveria ser noticia e sim relata-la, simplesmente."

Para mim, a demonstração de indignação do jornalista é muito mais importante do que o fato de ele não estar agindo de acordo com o manual.

Pelo que eu entendi, foi o Alexandre Garcia que disse "Que como jornalista ele não deveria ser noticia e sim relata-la, simplesmente." Você concorda com ele?
Marcos Antônio disse…
Bem antes dele ser jornalista,ele é iraquiano. E a mão opressora só trocou de lugar,se antes era o Hussein,agora são os EUA. A diferença que os EUA fazem papel de bonzinho.A revolta é válida sim, ainda mais em cima do Bush,que é um babaca.
Henry disse…
Groo,

É revoltante pensar na guerra do Iraque. O que essa guerra conseguiu além de matar iraquianos, matar americanos e vender armas?

Seria bom que o mundo tomasse a sapatada para despertar e refletir como pôde aceitar passivamente esse massacre...

Um grande abraço
Eu jogava no Bush, era o primeiro nome que eu pensaria mesmo. Depois, no pessoal do Pânico na TV, no Lazaroni pela Selecao de 90 e no Norbert Haug (mas aí tinha de ser um bom Stiefel alemao), um sujeito q foi muito mal educado comigo.

Mas como diz Austin Powers: "honestly, who throws a shoe"?
Anônimo disse…
Alguém aí já ouviu o sr. Alexandre Garcia comentar que a imprensa jamais relatou o assassinato em massa de 3,5 milhões de vietnamitas? Ou que a canalha americana tenha calcinado, em segundos, 500 mil em Hiroxima e Nagazaqui? Ou que aquela canalha ceifou a vida de crianças no Afganistão, Belize, Panamá, Iraque? Já disse alguma palavra sobre as técnicas de tortura que aquela canalha ensinou aos nossos algozes da gloriosa revolução de 64? Mas o sapato engasgou de maneira irreversível o nobre jornalista, legítimo representante da direita-profissional tupumiquim. Saudações belgo-monarquistas. carlo paolucci
Olá Amigo

Desejo a vc um ótimo natal e um feliz 2009. Estarei saindo de férias e retorno em Janeiro de 2009.

Grande abraço, De Gennaro
Daniel Médici disse…
Alexandere Garcia, obviamente, não conhece, ou prefere não conhecer Hunther Thompson...

Não consigo escapar à obviedade, se pudesse escolher alguém, seria Bernie Ecclestone a sentir o gosto do meu All Star bege e sujo.
Anônimo disse…
No mundo da F1 a sapatada vai na 'fuça' do 'cara do pirulito' da Ferrari no maldito pit-stop que arrasou o Massa...

Aqui fora tem tantos que não saberia escolher, Groo... mas aproveitando sua dica do post do Oscar... vai pro Datena.

Abraços!
E aí Groo, tudo tranqüilo com você?

Desculpe a ausência, cara. Nem mesmo nas férias da faculdade eu estou conseguindo arrumar um pouco mais de tempo livre. O pessoal do site me colocou para trabalhar também nas editorias de esportes e internacional, além do pit stop. Mas vou tentar passar aqui mais vezes, pode deixar!

Eu jogaria o meu sapato no presidente do Fluminense, aquele idiota que diz que mulheres têm só dois neurônios. Esse cara não é digno de comandar um time como o meu Flu...

Grande abraço!

Gustavo coelho
Anônimo disse…
Ele sintetizou pra fechar com chave de ouro uma gestão tão tosca e cheia de episódios infelizes como essa de Bush filho! Até nos Estados Unidos teve gente que gostou, não tenho a menor dúvida: é só perguntar a qualquer um que tenha sofrido com o Katrina e a negligência desse cara aí lá em Nova Orleans!
Anônimo disse…
Ah, eu não tenho, mas compraria sapatos para atirar contra meu chefe, contra os babões do meu chefe, contra meus vizinhos que têm gosto musical tosco etc etc etc. Vc que é homem me recomenda qual modelo? Tô na dúvida entre um pesado que doa bastante quando bater no alvo ou um mais leve que represente menos risco de errar o alvo...
Ron Groo disse…
Obrigado Pessoal por terem dado este feedback ao texto. Sinto se não me fiz entender direito.