7 de mar de 2013

Alex Dias Ribeiro: Jesus versus suecas


O amigo jornalista Marcio Kohara me disse uma vez: “-Se a versão é mais interessante que o fato, publique-se a versão”. – e também – “-Jornalismo é saber separar o joio do trigo... E publicar o joio.”
Seguindo estes sábios conselhos, eis aqui minha contribuição com uma versão que tem tudo para ser joio...

O ano era 1975 e o campeonato era o europeu de F3.
A corrida era no circuito de Anderstop, na Suécia, preliminar da prova de F1 daquele ano.
A equipe era a March, que também tinha seu braço na F1, oficialmente, seus pilotos para a F3 daquele ano eram o sueco Gunnar Nilsson e o brasileiro Alex Dias Ribeiro, provavelmente o primeiro “Atleta de Cristo” e que um dia correria com a inscrição “Jesus saves” na carroceria de seu carro.

Gunnar Nilsson disputava a liderança da prova com o também sueco Connie Anderson, que pilotava um carro não oficial da mesma equipe March.
Atrás dos dois vinha Alex, que por conta de um pneu furado e um trabalho de boxes nos moldes da época (bem mais lento...) era retardatário em uma volta.
Restava ao brasileiro apenas tentar dar a volta mais rápida da prova, porém, no décimo quinto giro, Alex perde o controle do carro e acerta Nilsson, tirando-o da disputa pela vitória e também da prova.
Gunnar fica irado, porém... O que fazer? Ao fim do campeonato ainda se sagraria o campeão.

Ao voltar para a sede da equipe algum tempo depois, Alex, meio desconsertado, pensa que se o trabalho na troca dos pneus tivesse sido um pouco mais rápido, não teria voltado naquela posição - logo atrás dos lideres - e resolve perguntar aos mecânicos o porquê pareciam cuidar melhor do carro e das corridas de Gunnar.

-Às vezes parece que vocês gostam um pouco mais do Gunnar Nilson do que de mim... Por quê? – perguntou o piloto brasileiro.
-Sabe Alex, gostamos de você... Sempre simpático, muito educado e nos presenteia sempre com bonitos exemplares da bíblia... Mas o Gunnar trás umas revistas lá da terra dele... – sorriu meio constrangido o mecânico

Talvez por estas histórias é que algum tempo depois surgiu a piada no meio da F1 “Jesus fail to saves Alex...”

5 comentários:

Vander Romanini disse...

Que dó!!!!!

Anônimo disse...

... HA ! Revistinhas suecas. Um jornaleiro mostrava para a molecada lá no bairro. O safado cobrava ! Engraçado que todos os meninos mantinham segredo. Quem falasse, morreria ! Mas um, sempre tem um..., dedurou. Língua frouxa. Os pais, mais pelas mães, pediram para que ele, o jornaleiro, parace de mostrar as revistas. Ou o cara sumia com as revistas ou teriam que chamar a polícia. Alguns pais compraram dele( sei de um amigo das antigas, do grupo. O pai dele...). As mães estavam umas feras ! Leoas mesmo. Sabe como é quando as donas se unem. A banca sumiu da rua. Restaram para mim as Status, International( Big Man) e Playboys. Papai deixou uma americana esquecida num dos quartos. Com a Angie Dickinson nua num filme prá lá de quente ! Nem de perto das revistinhas suecas. Tinha os desenhos de Carlos Zéfiro ! Esses são bem da antiga ! Fazer o quê... Hoje, qualquer moleque com um computador... vê de tudo mais um pouco. Vê de tudo mais um muito ! Pergunta minha: Pela proximidade, será que existem revistas norueguesas e finlandesas ?

Alex Dias Ribeiro... falar dele é difícil. Fica a foto aí que o fotógrafo foi fera ! Linda foto. Uma das mais lindas do automobilismo.

Senhor Groo. É verdade que o Chorão trocou o Charlie Brown pela Sepultura ?


M.C.

Lombardi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristiano Silveira disse...

hehehehehe! Concorrência desleal pro Jesus! Assim Ele não tem chance!

Marcelonso disse...

Groo,

Alex não teve a sorte que merecia na F1. Essa história explica muita coisa....hehehehe.

abs