7 de ago de 2013

Silly texto sobre a Silly Season - ou - Os oportunistas (Red Bull e Alonso)

Red Bull quer Alonso e ele também quer a equipe.
É o que dizem algumas manchetes.
 Será?
-Finjo que vou, não vou e acabo fondo...
Alonso é sem - dúvida nenhuma - um dos três melhores pilotos pós Senna, o parâmetro mais aceito, mas não unanime de comparação.
Seria uma jogada de marketing genial da turma do Didi e sua fantástica fábrica de envasamento de xixi energético.
Mas até onde?
Já se sabe que, como todo campeão, Vettel pode apitar na escolha de um novo companheiro de equipe.
Piquet e Prost vetaram Senna, que um dia havia vetou De Angelis entre outras histórias.
E Vettel já disse que prefere Kimi.
Além do que, o ambiente no time poderia ficar insustentavelmente belicoso na hora de decidir por um dos dois numa possível luta pelo título contra outro time e piloto qualquer.
Vale lembrar que equipes muito mais tradicionais (Williams em 86 e –vá lá que seja – McLaren em 2007) já perderam títulos por conta de brigas internas.

Ainda há também o outro lado: a Ferrari.
O time de mafiosos de Maranello gastou os tubos para se livrar de Kimi, que ainda tinha contrato e empregar Alonso, então piloto da extinta Renault.
E mesmo com todas as alfinetadas do Don Corleone rosso, o time sabe que não vai encontrar no mercado ninguém a altura do espanhol marrento.
Talvez Lewis Hamilton, mas a equação para tirá-lo da Mercedes é muito mais complicada do que foi para tirar o chiliquento da Renault.

E mais, o próprio Alonso sabe que o único time com capacidade técnica (leia-se grana e competência) para lhe dar um carro que lhe permita enfrentar de igual para igual o alemãozinho que corre para os austríacos é a Ferrari.
E se não for só pelo carro, vale lembrar que a Cosa Nostra do automobilismo é a queridinha da FIA (Ferrari Intenational Aid, ou em alguns casos, Fernando International Aid) que – coincidência das coincidências é presidida por um alto ex-funcionário ferrarista. E isto pode ajudar de alguma forma...
Por estas coisas é que esta reunião do tal Abad com a Red Bull, descrita por Christian Horner como: “para tratar do assunto Alonso” me parece mais um dos pontos de pressão exercidos pelo piloto espanhol para que os italianos melhorem o carro logo ou – ao menos – não cometam os mesmos erros nos próximos.

Dito isto retorna-se a pergunta inicial: Será que a Red Bull quer mesmo Alonso e vice e versa?
Provavelmente não.
Mas e esta declaração do Horner? Não cheira a uma oportuna tentativa de desestabilização?
Alonso mostra – ou quase isto – interesse em ir para a Red Bull e a equipe se mostra receptiva ao cara. Será que a Ferrari continuaria trabalhando duro para manter o carro competitivo para Alonso sabendo que ele pode ir embora (e falando mal do time) ao fim da temporada?
Como diria Dona Milu, personagem de Jorge Amado em Tiêta do Agreste: mistério...

5 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

Tem muito jogo de interesse nesse meio.
Chega a incomodar essa noticia a toda hora. Me faz lembrar quando colocavam Alonso a todo momento na Ferrari.

Fico imaginando - já pensou se o espanhol se muda e a Red Bull deixa de ser a melhor equipe...O cara vai a loucura.


abs

Anselmo Coyote disse...

Detesto silly session, mas parece que houve ou vai haver até uma reunião. Se houve é fato. O que se buscou nela então? Óbvio. Reunião de bacanas (e espertos). Simples. Alonso pressionando a Ferrari e Red Bull pondo o bode na sala. Sim. Especulou-se com a contratação do Kimi e Vettel falou da boca pra fora, leia-se também "imprensa", que não seria um problema, mas internamente disse que prefere um João-ninguém. Diante do "bode" Alonso o Kimi fica palatável. E é aí que mora o perigo, pois se não houver cláusula de "segundo piloto" o Finlandês vai engolir o desobediente Vettel.
Abs.

Vander Romanini disse...

Mas acho que a experiência que ele teve na Mclaren, vai falar mais alto!!
Ou ele é uma Anta Bípede!!!
Pra variar, belo texto!!

Manu disse...

Creio que a RBR tá fazendo um jogo muito chato. Se alguma vez comentaram de pilotos como Alonso em suas dependências, simplesmente querem acabar com toda a chance de concorrência e continuar ganhando de forma folgada... Talvez. Afinal, vai que falam em um nome e a contratação dá certo. Embora, é silly season...
Mas se houve pressão para que a Ferrari melhore o carro, digo que não servirá de nada. A Ferrari me parece que acha mesmo que o único milagre é a peça entre o banco e o volante.
Mas vai saber, né?!

Abs!

Rubs Cascata disse...

Um cigano do Brasil blefaria melhor do que o cigano Alonso. Não é bom negócio chantagear máfias italianas. Prost foi demitido por menos do que isso. Se a Família cansar do jogo, são bem capazes de rescindir o contrato e mandar o Cigano reclamar seus direitos nas varas dos tribunais. Há dois campeões mundiais mais baratos: Kimi e Button. O último jamais reclamaria do carro e sempre faria corridas meia boca.