Onde foi que o trem saiu dos trilhos?


Primeiro foi um piloto bundudo.
Daniel Ricciardo foi avisado que poderia ter problemas ao ser promovido para a Red Bull por ter os quadris largos demais.
Agora o peso de Nico Hulkemberg pode ser entrave para que ele pilote um McLaren no ano que vem.
Daqui pouco tempo o pré-requisito para ser piloto de F1 vai ser, um dia, ter sido garoto colírio de alguma revista teenager qualquer...
Pensando nisto, da até vontade de saber se o Montoya ainda cabe num cockpit de F1.

Alie isto ao fato de agora quem tem que trazer vantagens é o piloto para a equipe.
Pacotes de patrocínio, dinheiro vivo, exposição em sua terra natal...
Antes o piloto é que estudava o que cada equipe podia lhe oferecer.
Mudou muito.

Tentar ultrapassar pode custar punição.
Defender também.
Não se pode mais mostrar do dedo do meio para um Zé roda presa que te atrapalhe.
E Bernie Ecclestone vive pedindo para os pilotos pensarem muito antes de falar qualquer coisa em entrevistas...
Espontaneidade?  Para que?
Só Kimi salva?

Fico imaginando se daqui a algum tempo também não vão proibir os caras de acelerar, contornar a Eau Rouge de pé em baixo.
Subir em zebras também vai ser considerado falta de educação...
Onde será que a coisa toda perdeu o rumo?

Não demora e a visão americana sobre o circo da F1 – de que não passa de uns afeminados pilotando carros – acaba por se tornar real.
Que quadro sinistro...

Comentários

Daniel Consorti disse…
Se bem que os americanos estão indo pelo mesmo caminho! Logo log o automobilismo deixa de ser um esporte competitivo para ser um desfile de carros!
nenhum motor turbo conseguiu ainda em bancada completar uma prova simulada em bancada com a limitação de 100 litros de gasosa.
Corremos o risco - sério - das equipes fazerm a primeira parte da corrida em fila indiana a 80 km/ h e aí sim, quando os verdadeiros donos e senhores do espetáculo que são os computadores derem ok começar a prova de verdade............
Eu não ando comentando nada por aqui porque simplesmente eu bani a F-1 da minha vida.
Realmente viraram as "sissies" que os americanos tanto chamaram....
Vander Romanini disse…
É... o negócio tá ficando Coxinha demais!!!
Mas, até os Estadunidenses estão ficando Coxinha!!!
Não viu o que fezeram com Piquet Jr??
F1 Coxinha, cada vez mais...
Manu disse…
É, está ficando muito cheio de "mimimi"...

Abs!
Rafael Schelb disse…
Será que se eu falar que isso é uma viadagem, eu vou ser punido?...
Carlos Gil disse…
A F1 já morreu há (muitos) anos!
Infelizmente não destruiram o cadáver, e ele continua andando por aí, talvez até convencido que ainda vive.
O que agora existe chamado de F1 é a sua versão de "The Walking Dead".
Com a nova versão do Pacto da Concórdia iremos ter ainda mais umas temporadas das "Zombie Productions" by Bernie E. & sus Muchachos.
Esta coisa que chamam de F1, com mais de metade das equipas falidas, e as restantes lambendo as botas do Bernie E. para terem acesso aos restos do seu prato, é apenas um entretenimento ao nível dos "reality shows" deste começo do século XXI.
Isto é mau, mas não há nada tão mau que não possa piorar ainda mais...

CG
Marcelonso disse…
Groo,

Essa F1 que assistimos está uma merda, com uma penca de pistas que não valem nada...


abs