20 de ago de 2014

E na casa de Jean Eric Vergne...

E pela manhã, quando liga seu ultrabook para conferir noticias e responder e-mails, Jean Eric Vergne se depara com um raro correio eletrônico vindo da equipe pela qual disputa a temporada de F1, a Toro Rosso.


To: Jean Eric Vergne (Prostismygod@gmail.com.fr)
From: Toro Rosso (pilots_fryer@ToroRosso.com)
Subject: Your job.

Cordiais saudações, Jean Eric, como vai a gloriosa França?
Muitos perfumes fedidos e queijos cheirosos? Ou será o contrário?
Tanto faz...
O motivo deste e-mail é para lhe comunicar que a Toro Rosso não contará mais com seus serviços como piloto para a temporada 2015.
Nada pessoal.
Bem sabemos que você está à frente de Danill Kyviat na tábua de classificação e possivelmente se mantenha até o fim da temporada, mas cá entre nós: ele é russo. Logo... Bem... Quem tem c* tem medo.
Em seu lugar, guiará Max Verstappen, um jovem promissor, filho de um antigo piloto da categoria, Jos, já deve ter ouvido falar nele.
É certo que o rapaz só tem dezesseis anos, mas tem grande talento e apostamos em seu futuro.
Mas, queremos deixar bem claro que este não é o fim de nossas relações e nem significa que esteja demitido. Pelo contrário, por ser o novo piloto da equipe ainda um menino, precisamos que você continue conosco para que possamos dar suporte ao jovem Verstappen nos momentos difíceis que acreditamos que passará...
Por isto, aguarde em sua casa as novas instruções e novas ferramentas para que possa continuar conosco.
Por hora é só.
Nos vemos em Spa-Francorchamps.

Duas horas depois de ler o e-mail, uma camionete do Fedex encosta frente ao seu portão e lhe entrega uma caixa vinda diretamente da Áustria, da sede da equipe.
Ao abri-la, entendeu perfeitamente o que Franz queria dizer com “dar suporte aos momentos difíceis que o jovem Verstappen” passaria.
Dentro havia alguns pacotes de fraldas, lenços umedecidos, talcos e pomadas para assaduras.

4 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

Foi surpreendente o anuncio da Toro Rosso, bem antes do normal e ainda por cima com um piloto tão jovem.

Quanto a Vergne, é muito provável que não tenha mais espaço na F-1. O jeito é aprender a lidar com o novo kit entregue pela Toro Rosso.


abs

Fabiano disse...

Tá osso né?

Vander Romanini disse...

E o compatriota do Prost, Siferrou-se...

Danilo Candido disse...

Provavelmente o Vergne mandou logo em seguida seu CV com foto e pretensão salarial para f1eletrica@fe.com...