5 de out de 2014

F1 2014 - Japão: muito tenso.

Havia todo um drama sobre a etapa japonesa: haveria ou não corrida.
A todo o momento as atualizações das noticias davam conta de chuvas muito fortes devido à chegada de um tufão.
Chegou-se a especular um adiantamento no horário da largada, mas é certo que nem um ataque de monstros de poluição comandados pelo Dr. Gori seguido do aparecimento do Spectremen fazem com que Bernie Ecclestone perca dinheiro.

Por fim houve a largada, mas sob safety car.
Duas voltas completas, muita reclamação (justificada, diga-se) do Hamilton no rádio e aparece a bandeira vermelha.
Carros para os boxes e segue a indefinição.

Então surge a noticia (ou seria boato?) de que Bernie Ecclestone e a FOM quiseram adiantar a largada para as 11 horas (horário local) e a Honda não aceitou.
Quando a chuva deu uma trégua e os carros voltaram para a pista, Alonso ficou fora da prova.
Está difícil a vida para o asturiano.
Deve estar pensando: “-Ainda bem que está acabando...”.

A corrida começou efetivamente após dez voltas sob o safety car e já na volta doze um monte de gente foi aos boxes por o intermediário.
De volta, começa o show dos pilotos da Red Bull.
Vettel e Ricciardo ultrapassam as Williams (sem DRS).
Vendo o australiano guiar dá para cravar que o time austríaco não vai sentir falta alguma do alemão quatro estrelas.

De animado, além das ultrapassagens dos dois da Red Bull só teve mesmo a ultrapassagem de Hamilton sobre Rosberg.
Claro, afinal Rosberg nunca foi um ás no piso molhado, mas em que piso ele foi?

A corrida foi encerrada na volta 46 após uma entrada misteriosa do carro médico junto com o safety car que atenderia – em tese – o acidente de Adrian Sutil.
Pouco depois soube-se que na curva 8 a Marussia de Jules Bianchi se acidentou.
O clima ficou muito tenso e – aparentemente – algo realmente grave aconteceu.

Com o fim antecipado da prova, a vitória ficou mesmo com Lewis Hamilton seguido de Rosberg.
Porém tudo ficou em segundo plano na espera de noticias e quando chegaram tudo ficou ainda pior.
Jules Bianchi bateu no trator que retirava o carro de Sutil da pista.
As piores lembranças possíveis vieram à tona.

Até o momento em que este texto era finalizado, as noticias eram de que o piloto estava inconsciente e havia sido levado para o hospital de ambulância, apesar do helicóptero de resgate ter sido acionado.
Mas ao que parece, devido às condições climáticas e a iminente chegada de um tufão, o helicóptero não pode ser usado.
A torcida é que tudo termine bem desta vez.

4 comentários:

Rui Amaral Jr disse...

Dirigente na verdade defeca montes para vida de pilotos...aquele trator é uma tragedia anunciada, penso nisto à muito tempo, já deveria existir uma opção melhor...Lewis deu um show, um passarinho me disse que talvez saia da MB e volte para casa, vamos ver!Tião como Lewis "apenas" fizeram o que sabem...

Anônimo disse...

Dúvidas: No local agitaram as bandeiras amarelas? Biachi as obedeceu e diminuiu a velocidade? Algum outro carro tocou o seu? Quem teria sido? Dúvidas e mais dúvidas. Everson Abreu.

Magnum disse...

Anônimo, havia bandeira amarela no local, mas ela apenas obriga o piloto a não ultrapassar nem ter velocidade superior à sua última volta. Com a pista escorregadia como estava, mesmo sob bandeira amarela, qualquer um pode derrapar... e ir a bem mais de 100 por hora de encontro ao guindaste. Safety Car sim faria com que todos tirassem o pé o máximo possível, até para poupar equipamento, e teria evitado um acidente tão trágico.

Com um guindaste a poucos metros da pista em uma curva escorregadia, deveriam ter acionado imediatamente o aviso de safety car, e não esperado uma volta até fazê-lo como aconteceu.

Marcelonso disse...

Groo,

A corrida ficou relegada a segundo plano, após o ocorrido com Bianchi.




abs