17 de out de 2014

Financiamento e consórcio: diferenças e vantagens

Não é grande o número de pessoas que conseguem adquirir um automóvel pagando o valor integral à vista; aliás, é um número bem pequeno. Muito em virtude disso que os consumidores à caça do sonho do veículo próprio vêm aderindo cada vez mais a duas modalidades mais amigáveis para tornar o sonho realidade: o financiamento e o consórcio de carros. Neste artigo, você saberá as diferenças entre os dois e as peculiaridades de cada um.

Como funciona o financiamento de carro
O financiamento de carro é o modo “clássico” de aquisição de bens, não apenas de automóveis (o financiamento é muito utilizado também para imóveis). O nome “científico” é Crédito Direto ao Consumidor (CDC) e funciona da seguinte maneira: o consumidor contrai um empréstimo junto ao banco para adquirir o seu carro e toma posse do bem, mas o veículo só será, de fato, propriedade do comprador quando ele quitar todas as parcelas do financiamento.
Essa modalidade requer o pagamento de uma entrada à vista, geralmente de 40% do valor do veículo desejado – quanto maior o valor da entrada, menor o valor das prestações e, por conseguinte, a tendência é uma diminuição das parcelas e dos juros cobrados pela instituição financeira.

Como funciona o consórcio de carro
O consórcio de carro, em um curto resumo, é uma poupança coletiva destinada à aquisição de bens – e assim como no CDC, não apenas de automóveis. Os consorciados (também chamados de cotistas) contribuem com parcelas que formam uma poupança comum a todos os cotistas, que periodicamente são contemplados com crédito destinado à aquisição do bem almejado.
No consórcio de carro, os cotistas adquirem o bem através de sorteio mensal ou lance mais alto, seguindo sempre os termos do contrato celebrado entre os consorciados. Ademais, as parcelas do consórcio tendem a sofrer alterações, consoante a valorização ou desvalorização do veículo objeto do contrato.

As principais diferenças entre financiamento e consórcio de corro
A principal diferença entre o financiamento e o consórcio de carro é que, no primeiro, o consumidor recebe o veículo dentro de semanas; no consórcio de carro, somente após a contemplação, seja por sorteio mensal ou lance mais alto. Assim, o financiamento de carro seria a opção mais indicada para quem tem certa urgência na aquisição do automóvel, enquanto o consórcio é o meio mais indicado para quem deseja planejar com mais calma e não tem tanta urgência na aquisição.
Outra diferença fundamental diz respeito aos juros, que só existem no CDC – com efeito, trata-se de um empréstimo contraído pelo consumidor junto a uma instituição financeira. O consórcio, embora não pratique juros, cobra uma série de taxas (adesão, administração, seguro, etc.), que ainda assim tendem a ser menores do que os juros de um financiamento.

A título de comparação, em agosto de 2013 a revista Época Negócios realizou simulações para a compra de um veículo de R$ 30.000,00 junto à Caixa Econômica Federal. No CDC com prazo de três anos e entrada de R$ 10.000,00, o custo total do financiamento seria de R$ 37.087,94; no consórcio com prazo de 70 meses (pouco mais de cinco anos), o custo total seria de R$ 35.420,40.
Enfim, é mais vantajoso financiar ou consorciar carro?
Pelo que expusemos acima, as vantagens entre essas duas modalidades de aquisição de bens ficaram bem nítidas.
A principal vantagem do financiamento de carro é que o consumidor toma posse do veículo em um curtíssimo período de tempo e, como o contrato é celebrado diretamente junto à instituição financeira, os juros do acordo podem ser negociados livremente.
O consórcio de carro, embora condicione a posse do bem ao sorteio ou lance, não pratica juros, não exige entrada e possui uma série de garantias para o caso de eventuais cotistas deixarem o acordo. Apesar de cobrar várias taxas, elas dificilmente chegarão ao mesmo patamar dos juros cobrados em um financiamento junto a um banco.
Conclusão
Este artigo expôs as principais características, diferenças e vantagens do financiamento e do consórcio de carros. Para que você encontre o que é mais adequado ao seu perfil, recomendamos que você realize cotações junto a diferentes bancos e consórcios.
Se você tem urgência para adquirir o automóvel, o financiamento é a melhor opção. Por outro lado, se você não tem tanta pressa e prefere planejar mais e pagar menos, decididamente o consórcio é o meio mais indicado.

Um comentário:

José Coutinho disse...

Utilidade pública Ron, esta é novidade hein! De qualquer forma. Valeu