9 de dez de 2014

Após o roubo na sede da Red Bull

E na casa de Vettel, na Alemanha toca o telefone.
-Alô?
-É da residência de Sebastian Vettel?
-Sim... Quem deseja?
-Diga a ele que é do Santander.
-O banco ou a cidade?
-O banco.
-Um minuto, por favor.

A governanta da casa usa o ramal para avisar ao patrão que o banco Santander solicita falar-lhe.
A principio o piloto estranha um contato do banco. Tem certeza de que todas a sua vida financeira está em ordem, mas atende.

-Aqui é Sebastian Vettel, com quem falo?
-Muito boa tarde senhor Vettel, aqui e Alejandro, do banco Santander.
-Muito prazer, Alejandro, em que posso ajudar?
-Senhor, soubemos por meio de sites de noticias que a sede da equipe ao qual o senhor pertencia até esta temporada foi assaltada recentemente.
-Sim, uma lástima...
-E ficamos sabendo também que foram roubados de lá mais de sessenta troféus ganhos pelo senhor, por Mark Weber e por Daniel Ricciardo, confere?
-Bem... Acho que sim, não sei precisar quantos foram e nem quem os ganhou, mas parece que foi isto mesmo.
-Pois bem... Ficamos penalizados com o ocorrido e gostaríamos muito de poder ajuda-lo a reaver as peças subtraídas.
-Nossa, ficaria muito feliz com isto... Mas por que o interesse em devolver?
-Bem... Como sabemos, o senhor vai ser piloto Ferrari na próxima temporada e como o senhor sabe, somos um dos principais sponsors do time de Maranello.
-Sim... E?
-Sendo o senhor um novo “bambini” como dizem por lá, gostaríamos que tivesse em suas galeria troféus recebidos em corridas nas quais a instituição detém o naming rights.
-Hum... Publicidade... Claro!
-Sim... Questão publicitária, óbvio.
-Se é por isto, não é necessário se preocupar tanto. O banco terá o naming rights em corridas na temporada 2015, não?
-Sim terá.
-Então... Posso reaver alguns troféus na temporada... Dentro das pistas.
-Sinceramente? Não é pelo senhor, não entenda mal, mas com os carros que a Ferrari vem fazendo... Duvidamos um pouco. Por isto nossa oferta.

Um silencio constrangedor toma conta da conversa telefônica por alguns instante, até que o piloto se manifesta.
.-Então? Como nos ajudariam a recuperar os itens?
-Bem... É só abrir uma conta corrente com a gente... Sabe como é? A cada depósito, a cada investimento ou produto que o senhor adquirir, um daqueles pesos de papel com o logotipo da instituição lhe será entregue... E se o senhor conseguir convencer tanto Ricciardo quanto Weber de fazer o mesmo...
-Entendi... Vou pensar no assunto e volto a entrar em contato.
-Agradecemos sua atenção... Só mais uma coisa: assim que eu desligar o telefone, por favor, aguarde na linha para avaliar este atendimento sendo: zero igual a muito insatisfeito e 10 muito satisfeito. Tenha um bom dia.
-Bom dia...  – e desliga o telefone pensando sobre como conseguiria digitar algum numero negativo nas teclas do telefone.

3 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

Esses cocozinhos são feios de mais.Fico tentando imaginar o que farão com essas trapizongas.

abs

diogo felipe disse...

Faltou o Ron suar o Button hj. :P

Paulo Alexandre Teixeira disse...

Ainda não entendo quem queira roubar uma coisa daquelas. Ou é muito estupido (porque não sabia que a maior parte é réplica) ou têm uma falta de gosto enorme, por causa dos cocozinhos corporativos...