12 de jan de 2015

FIA: dois tópicos

F-E não é categoria de acesso, disse a FIA.
Discordo!
É categoria de acesso se pensar que é possível sim sair daqueles carros feios e tristes para coisas mais potentes e velozes.
O que?
Pô... É só dar uma passada nos sites da Eletrolux, da Arno, da Brauwn e ver quantos aspiradores de pó, lavadoras de pressão, enceradeiras de piso são mais rápidas e potentes que aqueles trecos.

Só que isto gera outro problema: o de não ser categoria de acesso e por isto não servir às exigências novas para a obtenção de superlicença.
Como é que um Zé Mané daqueles que pilotam lá na categoria de carrinhos de bate-bate vai poder fazer o upgrade para um possante Ultra Asper One 56000 da Brauwn, daqueles que sugam até pensamento?

Se bem que... Aquilo vai acabar virando um limbo mesmo.
Reservado ao filho deste, sobrinho daquele, primo do outro e demais rejeitos que não se adaptaram a outras categorias mundo afora.
E – bate na madeira – se aquilo for o futuro do automobilismo, meus caros... Vamos perder algo que nos divertia muito.

Outro ponto.
Agora é necessário ter no mínimo dezoito anos e uma carteira de motorista para se pleitear a superlicença e correr na F1.
Com isto e se não mudarem as regras logo mais, Max Verstapen será ad eternum o mais jovem piloto a alinhar para uma largada em uma prova de F1 na história.
Os novos critérios incluem – além da idade e da CNH – a necessidade do piloto aspirante ter disputado ao menos três anos em categorias de base e ter marcado ao menos quarenta pontos, o que se consegue sendo campeão – por exemplo – da F3 europeia.
A medida, que está bem longe de ser ruim, vai dificultar que coisas como Devagarde, Chilton e companhia bela apareçam no grid apenas por ter uma carteira mais gorda que os outros.
E a palavra usada foi correta: “dificultar” em vez de “impedir” porque com três anos de F3 europeia conseguindo como melhores resultados a terceira colocação no campeonato, o piloto tem direito a pleitear a superlicença, não sendo, portanto necessário ter sido o campeão em ano nenhum, logo, se a equipe que vier a buscar seu piloto nesta categoria quiser optar pelo mais rico ao invés do melhor colocado, tudo bem...

Ia fazer uma piada, mas... Deixa para lá. A FIA, em minha opinião, acertou esta.
Principalmente na regra da idade.
Fico de cabelos em pé em pensar o que aconteceria com a categoria se algo ruim acontecesse nas pistas á um menor de idade, um adolescente...

Um comentário:

Marcelonso disse...

Groo,

Dessa vez os velhinhos da FIA deram uma dentro.

Quanto a essa formula elétrica, é muito esquisita.


abs