6 de abr de 2015

Apanhadão do fim de semana

Jackie Stewart disse em entrevista que: “A F1 precisa respeitar mais a sua história.”.
Entenda-se “sua história” como a da categoria e não a do tri campeão mundial.
Concordo, há de se olhar para o passado e entendê-lo para poder apontar as baterias de artilharia para a construção do futuro, mas... Que ficou parecendo conversa de ex-jogador de futebol brasileiro que sempre reclama que não é valorizado o suficiente, ficou.

Eric Boulier elogiou a evolução da McLaren do GP australiano para o da Malásia.
Não se esperava outra coisa dele.
Mesmo com o cenário apontando o pior inicio de temporada em todos os tempos da equipe, se ele sai fuzilando a coisa só pioraria.
Eric ainda se diz otimista... Ai é obrigação!
Se a coisa piorar o time fecha as portas...
Mas Boulier é o cara certo para a crise do time neste momento. Afinal, já trabalhou com desastre bem pior quando era chefe na Lotus: Romain Grosjean.

E por falar em Lotus, Alan Permane, chefe da engenharia do time disse que pretende melhorar o desempenho do time na China e finalmente conseguir os primeiros pontos na temporada.
Só faltou completar: “Esperamos que Pastor não tente passar o Romain, ou vice e versa. Ai quem sabe conseguimos pontuar com pelo menos um dos carros...”.

Red Bull nega a vendo do time para a Audi.
Até ai normal.
Também nega que vá fazer motor próprio.
Também... Se a Honda, que sabe fazer motor como ninguém, tá se ferrando de vermelho, prata e preto, imagina um time que só sabe fazer bebidas com aspecto de xixi de boi e – de vez em quando – grandes pilotos?

Por outro lado, parece que o negócio entre a Toro Rosso e a Renault vai se encaminhando.
Curiosamente, quanto toquei neste assunto há um ou dois anos atrás, disseram que eu tava viajando na maionese.
Se o negócio sair de fato, o chupa grafado aqui vai ser tão grande que vai ocupar um post inteirinho...

3 comentários:

Anônimo disse...

É, Seth. Passei aqui pensando em não escrever nada - só na sexta, aquele nosso papinho íntimo - e tu discordou mal do grande Jack que, assim como o outro, mas este outro em outra 'atividade', o Daniels, sabe que tradição é importante veja-se, pois.
Futebol. Por quê o pénabola se tornou um sucesso no mundo todo ? Até Nozeuááá ! Por ser extremamente tradicional. Mudaram as regras do jogo, sim, e, mudaram, em 155 anos, sempre para melhor ! Bom, veja desde 1950, ano que a F1 começou. O que mudou nos dois esportes ? No começo, tudo seguiu bem neles. Futebol e F1( a rainha do automobilismo) mas sendo a F1, servindo como 'teste' para a indústria automobilística, uma fórmula, necessária mais mudanças mas as regras quase não mudaram até o carro do outro universo da sua Williams ! Aí, o samba do crioulo doido tomou conta da cabeça dos dirigentes formulaúnicos. Sendo o futebol um ótimo conservador - porque um conservador aceita mudança desde que seja para aprimorar o que já está implementado, e estabelecido -, os velhinhos da FIFA só mexiam nas regras quando necessário e sempre para melhor !
A F1 é progressista ! Mentalidade esquerdóide de seus bobalhocas dirigentes é esta ! Quantas mudanças vimos desde o início dos anos 1990 ? Piorou, de 15 anos para cá ! Mudam as regras todo ano. O caso dos pneus é ridículo. Daqui à pouco, testarão pneus para a neve, para deserto... Pior. A asinha que abre e fecha foi fatal ! Parece ultrapassagem de estrada ! Motores... Toda troca, parece para dar uma ajudinha a equipe chorona do momento. Foi assim com a Ferrari. Depois a Mercedes. Tirando a Braum Canalha GP que o 'estrategista' sabia mais das regras que os outros. HA ! Tá acabando. F1 está acabando

Seth. Vai bater panela, domingo que vem ?




M.C.

Marcelonso disse...

Groo,

O negocio entre a Renault e a Red Bull parece estar bem encaminhado. Se bem que li na semana passada que os franceses também cogitavam recomprar o que chamam de Lotus hoje.

E por falar em Lotus, time com Maldanado não vira. O sujeito é muito ruim...


abs

Jaime Boueri disse...

Gostei do M.C