14 de mai de 2015

65 anos de F1 (13/05)

O que mais irrita na F1 atual não são nem as corridas ruins.
Nem as vitórias de pilotos meia boca incensados como “geniais” por terem carros muito superiores à concorrência. (Não estou falando do Vettel)
Também não são os circuitos pasteurizados e padronizados (curvinha, retinha, grampo, curvinha, retinha, grampo) do alemão Tilke.
Muito menos a dependência de pequenas falsidades tipo asa móvel para que haja ultrapassagens.
Nem a porcaria dos motores híbridos com som de liquidificador...
Tudo isto ajuda a irritar, mas o que mais pega são pessoas que vivem insistindo que o fã de F1 tem que ir assistir outras categorias. Que a salvação do automobilismo está fora da F1

Não. Não está.
Aliás, o automobilismo não precisa ser salvo, ele vai muito bem, obrigado.
Há sim um monte de categorias com corridas bacanas dentro de suas propostas, incluindo aquele treco horroroso da FE e seus carros equipados com motores de dentista, mas quem gosta de F1, gosta de e pronto.
A categoria completou sessenta e cinco anos de existência e por lá passaram gênios como Fangio, Clark, Senna, Schumacher e muitos outros.
Viu brigas na pista de tirar o fôlego e até fora dela.
Tirando Salazar, duvido que alguém tenha ficado impassível ao ver Nelson Piquet soltar os socos do tipo “lango-lango” no capacete do chileno.

Obviamente o fã de F1 também pode – e deve – gostar das outras categorias, mas quando fala sobre F1 até mesmo reclamando, não está querendo que a solução para a categoria seja pura e simplesmente ir assistir outro tipo de corrida apenas por “ser de carro”.
Quando se reclama das corridas ruins é porque se quer apenas que sejam corridas melhores na F1.
Não é para ter indicação de melhores corridas com os hotweels das categorias de protótipos, nem das aberrações da Indy, nem dos taxis e seus manetas da Nascar... Enfim.
Que venham mais sessenta e cinco anos pela frente... Mas com melhores corridas, porque as outras categorias podem até ser bem boas, mas não são a F1.
Até sonham em ser, em ocupar o lugar de destaque que a F1 ocupa, mas...
Gosta-se da F1 por sua história e seu potencial.
Precisa de alguns ajustes (muitos), mas ainda é a joia da coroa das corridas, ainda é a categoria máxima.
Durmam com isto.

3 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

Nós gostamos muito da categoria é verdade, mas na boa, esse ano está duro demais de assistir.

Até aqui, apenas uma corrida razoável, isso em cinco etapas...

Apesar de tudo, continuo a acompanhar a categoria, mas confesso que o interesse está diminuindo.

abs

Anselmo Coyote disse...

Basta mesmas equipes e mesmos pilotos correrem com carros da GP2.
Abs.

Magnum disse...

"pilotos meia boca incensados como “geniais” por terem carros muito superiores à concorrência" e não está falando do Vettel??? Aff

Mas eu também estou esperando um retorno da F1 para 2017 quando, de acordo com a lenda, vai voltar o reabastecimento e escolha livre de pneus (exatamente essas duas coisas sim as maiores responsáveis pela transformação da F1 em rally de regularidade onde todos se ignoram mutuamente na pista pensando apenas no tempo total ao final da prova...