30 de jun de 2015

F-Iphone

Um título é sempre um título, ok... É melhor ser campeão que último colocado.
Um título mundial é ainda mais relevante. Ok!
Mas a forçada de barra para que o título de Nelson Piquet jr. seja reconhecido como “a grande coisa” chega a ser hilária.

Quem hoje se lembra do primeiro campeão da A1GP?
E o campeão da Grand Prix Master?
E do campeão da Superleague Formula?
Em dois anos, no máximo três, ninguém vai se lembrar do campeão da Formula E.
Isto se não se esquecerem do que catzo era a Fórmula E com seus carros tristemente feios, sem som (ou com aquele irritante barulho de motor de dentista) e seus pilotos manetas rejeitados em outras categorias.

A coisa chega a lembrar daqueles times de futebol que passam às vezes dez, quinze anos sem ganhar nenhum título e então ganham o torneio municipal, um torneio amistoso, um campeonato de masters ou mesmo um desfile de escola de samba e todos os seus torcedores querem ir para a praça gritar é como se tivessem sido campeões mundiais em cima do Barcelona jogando em Tóquio.

E para terminar um fato que diz muito sobre esta categoria de liquidificadores sobre rodas: O troféu é – e tinha de ser – um ventilador.
E nem é Arno...

5 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

Os caras não tem nada de relevante pra noticiar, dai exaltam o feito desse bunda suja. Um Senna ajuda um Piquet a ser campeão - quanto idiotice...

Grandes merdas esse campeonato de enceradeiras. Um campeonato ridículo demais.

Me recuso a escrever uma linha no blog sobre esse corrida de geringonça.


abs


Paulo Alexandre Teixeira disse...

Perimta-me que discorde, caro Ron. A razão porque umas categorias tem sucesso e outras não é saber o que trazem de novo para as pessoas e para as construtoras, e até que ponto são apoiadas pela entidade máxima do automobilismo, a FIA. E a Formula E tem algo diferente, que é a fonte de energia.

Coisas como a A1GP, a Superlegue Formula ou outros tiveram pouco sucesso ou desapareceram em menos de cinco anos foi porque não trouxeram nada de novo em termos de chassis e motor. E não tiveram apoio de qualquer marca de automóveis. Na Formula E, tiveste uma equipa oficial (Mahindra), e duas equipas apoiadas por marcas, a e-dams, pela Renault, e a Abt, pela Audi.

As marcas estão neste momento a investir centenas de milhões de dólares para construir os seus próprios sistemas de baterias, para alargar o seu alcance, e no caso da Tesla, parece que já chegam aos 400 quilómetros. E enquanto as marcas quiserem fazer carros elétricos, continuarão a apoiar esta competição, porque sabem que é um laboratório ideal para as suas pesquisas. É uma questão de tempo até que as baterias dobrem de duração e apareçam novos componentes no fabrico das baterias. Foi assim que os celulares partiram de onde partiram e chegaram onde estamos hoje, bem como os computadores portáteis e outros. Isto evolui e daqui a dez anos, as coisas serão bem diferentes do que é agora. E têm o apoio da FIA nisso.

Anselmo Coyote disse...

Relaxa que dói menos.😂😂😂😂😂

RodIshiCi Mobile disse...

Com o Piquet, teria que ser Faet a marca. :D

Anônimo disse...

Senhor Seth !


Uma alma inteligente pousou por aqui ! Aliás, se meu comentário passar, duas !

O PAT ! Paulo Alexandre Teixeira ! Segura ele, Seth !




M.C.