27 de set de 2015

F1 2015: Japão - A maior emoção foi segurar o sono

Suzuka trás em si a esperança de que a corrida seja boa.
Nos últimos anos o monstro da previsibilidade e da monotonia tem ganhado a briga contra o Ultraman de goleada, mas como a pista é boa...
E parecia até que desta vez seria diferente.

A largada pareceu animada, mas no fundo era só o velho azar de Felipe Massa dando seu alo.
O brasileiro largou muito mal e sofreu um furo de pneu em um toque com Daniel Ricciardo.
Lá na frente, cone#44 sem muito esforço toma o lugar de cone#6 e ainda por cima o joga para fora da pista e segue na ponta até a bandeirada quadriculada.
Se não fosse uma área de escape asfaltada, a corrida provavelmente teria acabado para o alemãozinho.
Que, aliás, perdeu posição para a Ferrari do Vettel e para a Williams do Bottas.
E foi só.

E assim começou a parte estratégica da corrida.
A procura por uma estratégia ideal para vencer o sono tomou conta.
Para animar só mesmo ver Alonso puto da vida com a carroça que a McLaren lhe deu aliado ao motor de cortador de grama que a Honda fez.
-GP2 engine, aaaaargh! – gritou o espanhol no rádio que foi ao ar.

Depois disto foi modo automático na espera pelo fim da prova.
Nem a briga pela décima segunda posição serviu para espantar a monotonia da corrida.
E mesmo sendo o Japão suscetível a grandes desastres naturais, eles nunca aparecem quando se precisa realmente deles.
Deste jeito fica difícil a cada ano acordar de madrugada para assistir a corrida nipônica.
Melhor iluminar logo a pista de Suzuka e fazer a corrida a noite lá.
Ao menos para nós aqui seria melhor.

Um comentário:

Anônimo disse...

Cara, desculpe, mas a corrida foi tão chata que nem deu vontade de comentar.
abs.
Everton