5 de nov de 2015

O poço não é tão fundo que não possa ter um subsolo

Uma figura estranha, com jeitão de gringo, subia a ladeira do Pelourinho vestida de agasalho esportivo – apesar do calor de Novembro – com capuz e tudo.
Desconfiado, olhava de um lado para o outro, aparentemente preocupado se alguém o reconheceria ou não.
Em um sobrado na ladeira histórica, mal conservado como só os prédios históricos brasileiros costumam ser, atravessou o umbral sem hesitar, subiu as escadas de forma decidida. Lance por lance.
Passou sem olhar para os lados e nem prestou atenção à fauna exuberante que habitava e frequentava o casarão.
Punguistas, prostitutas, cafetões, travestis, populares, políticos, artistas famosos e infames...
No sétimo andar, chegou à porta que o indicaram.
A cortina de bilros e rendas imaculadamente brancas, a mesa coberta por uma fina toalha de seda com um jogo de búzios ao centro, o forte cheiro de incenso e som de tambores ao fundo... Tudo como haviam dito que encontraria.
-Não posso estar errado. Este é o lugar.

Esperou pacientemente por dez minutos até que outra figura, vestida com um longo abada branco entrou no recinto.
Sentou-se sobre um amontoado de almofadas e acendeu um charuto.
Embora não tivesse aparência de importado, o aroma mostrava que era um bom charuto.
-Então suncê chegou! – disse a figura dando uma baforada no charuto. Sabia que viria desde o momento em que a ximbica te deixou na mão. Duas voltas? Aquilo foi a gota d´água.
O gringo nada disse, apenas assentiu com a cabeça.
-Mas eu tenho boas notícias pra suncê.
-Os olhos do gringo brilharam.
-Eu não vou pedir nada... Nem oferenda, nem despacho... Aliás, vou pedir sim... Vou pedir para suncê ter paciência.
A expressão no rosto do gringo era de questionamento.
-Paciência sim... A vida é uma grande roda, uma hora a gente está em cima, na outra a gente está embaixo. E se às vezes parece que estamos em baixo por tempo demais é que a nossa roda é maior que as outras. E se move mais lenta. Não tão lento quanto sua ximbica, mas lento.
-Só tenha paciência, você vai voltar a andar na frente, a vencer... E pode até ser com uma ximbica destes teus parceiros de agora mesmo, que nada é impossível.
Quando o gringo fez menção em se levantar e pegar a carteira foi contido.
-Não precisa. Só me prometa que quando suncê voltar a estar entre os gigantes, não vai ser trouxa e nem ser tão pequeno e babaca quanto um serzinho desprezível que se acha grande agora e fica fazendo declaração “polemiquinha” com pessoas que não podem se defender no momento... Tenho sua palavra?
-Por supuesto!

E o gringo sai do prédio em direção ao aeroporto, onde pegará um voo para S. Paulo, onde espera ter apenas mais um capítulo ruim na história deste ano tão difícil.

6 comentários:

Manu disse...

Sensacional! :D

Rafael Schelb disse...

Se tá ruim pro Alonso, imagina pro Button...

Marcelonso disse...

Groo,

Dessa vez senti falta da celebre frase "Chupa Alonso".

Cê gosta de sacanear o espanhol, hein?


abs

Magnum disse...

Mas ele fez so consulta??? Não comprou nenhum despacho pra mudar a sorte ano que vem??? Lástima...

Aline Rodrigues disse...

Epa! Será que é a volta dos que não foram?

Aline Rodrigues disse...

Epa! Será que é a volta dos que não foram?