1 de dez de 2015

Lado B do GP: Abu Dhabi sem graça

Um casal de abumdabenses (cidadão natural de Abu Dhabi) resolveram que seu único filho teria uma educação totalmente ocidental.
Que não seria criado sob as leis islâmicas e muito menos seria atrasado das ideias, apesar da quantidade de dinheiro absurda que os cidadãos abastados daquele lugar são capazes de gerar e ganhar.
Resolvem então que, ao completar quatro anos de idade, mandariam o pimpolho estudar na Europa.
Vinte anos se passaram e a família, que mantinha contato por carta, e-mail, e mais tarde por vídeo conferencia decide que já era hora de se juntarem novamente, que o menino, já então um homem feito, deveria voltar para casa.

Contrafeito, o rapaz aceita, mas apenas se puder voltar para casa em um navio de cruzeiro, com festas, luxo e toda a mordomia que o dinheiro (farto) pudesse pagar.
Assim, segundo ele e com o consentimento dos pais, iria se despedindo da vida boa que levara até ali e se prepararia psicologicamente para as dificuldades vindouras.
Assim embarcou em um navio em um porto inglês e alguns dias depois viria a atracar no porto de Yas Marina.

A família foi toda ao cais para receber o filho pródigo e com muita alegria e festa esperavam que aparecesse no convés.
Assim que o navio atracou a expectativa aumentou.
Cinco, dez, quinze, vinte minutos.
Uma hora e nada do rapaz aparecer e todos já estavam preocupados quando ouviram um assobio e se puseram a procurar de onde havia vindo.
-Aqui! Aqui em cima! – gritou o rapaz que colocava a cabeça por uma das escotilhas nas cabines de passageiros.
Houve mais festa, mais sorrisos, lágrimas de contentamento.
Porém, os pais do rapaz ficaram intrigados de uma maneira insólita: após anos pagando para que o filho tivesse uma educação ocidental de primeira, para que não precisasse nunca mais fazer serviços braçais ou que envolvessem algum tipo de esforço físico e quando o menino volta para casa trazendo o navio em volta do pescoço?

2 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

Essa corrida não merecia nem lado z. Ainda que seja bonito o local, não dá pra fazer corrida boa com F-1 naquele traçado sem graça.

abs

Magnum disse...

Lado b do gp... hm... Não entendi nada... De qualquer forma, essa foi a primeira corrida em muitos anos que perdi e não assisti nem "vt".

Aliás, acabei de perguntar prum aluno aqui e ficar horrorizado que a repetição dum evento esportivo ainda é chamada de "vt"!!!