16 de dez de 2015

Pegue o pombo

Num domingo qualquer destes, creio eu, em sua coluna na Folha de São Paulo o poeta Ferreira Gullar escreveu em defesa dos pombos. Aqueles ratinhos de asa que empesteiam as grandes cidades.
Pois eu vou à contramão do poeta.
Lá ele dizia que era contra que se caçassem os bichinhos.
Eu sou a favor.
Sim eu sou a favor da cassação em massa deles. O que, convenhamos é um negócio difícil para caramba!
Cassar pombos... Humpft!

Primeiro. Sabe-se que estes bichos voam por ai em bando.
Da ultima vez que fiz uma contagem de um bando deles voando tinha para mais de quarenta!
É! Quarenta e são uns bichinhos corporativistas que nem comento...
Para se cassá-los é preciso aprovação da maioria. E como disse são uns bichos corporativistas. Ficam naquela encolha:
“-Cassar, sei não. De outra vez quando precisei dele, não me faltou...”.
“-Hum... Cassar, não a gente pode no máximo dar uma reprimenda... Tive negócios com ele e cassar eu nem cogito”.
E assim eles vão se defendendo.

É sabido também que eles têm o desprezível hábito de sair por aí fazendo ‘caca’ em nossas cabeças. Mas vá acusar algum deles disto, vá!
“-Eu repilo. Veemente eu repilo... E repilarei (sic) sempre!”
E tem também a porcaria do voto secreto.
É eles se escondem atrás de uma prerrogativa constitucional que lhes permitem decidir em voto secreto o que fazer com aquele que por acaso falte com o decoro.
Decoro, aliás, é coisa que parece cada vez mais surreal.
Pombo que se presta a receber milho na praça, da mão de velhinho suspeito de ser bicheiro? Que nada isto não fere decoro nenhum.
“-Decoro... Decoro! Pra que decoro? É só um milhozinho, e era pra alimentar meus pombinhos”.  
E são caras-de-pau estes bichos. Negam e juram inocência...
E não adianta gritar espernear. Pombo definitivamente não entende voz humana.
E se esta voz humana vier do povo então.
Pombo não acredita na velha frase ‘vox populi, vox Dei’.

No que acreditariam os pombos?
É certo que existem bons pombos. Já tivemos pombos heróis.
Pombos correio, que prestaram serviços de grande relevância para a humanidade. Agora e aqui é que estes bichos se mostraram uma praga.
É por isto que desta vez me permito ser contrário à opinião de Ferreira Gullar.
Mestre, com estes bichos não podemos dar muito mole não. O melhor era nem deixar nascer. Abater ainda na urna.
Depois só a tiros.
É por isto que sou a favor de se cassar pombos.

2 comentários:

Marcelonso disse...

Groo,

Faço minhas as suas palavras.


abs

Robson Santos disse...

Também acho que devia-se cassa-los(?) todos!