15 de fev de 2016

E os ossos serão nossas sementes sob o chão...

Uma brincadeira inocente no facebook pode revelar muito mais do que a gente pensa, e mais do que quer revelar.
Mas não... Não se trata de meandros intrincados da pisque humana ou de posições político/filosóficas as quais tentamos esconder, maquiar ou evidenciar.
Trata-se - também – da formação do gosto cultural. Entre outras coisas.
Compartilhando uma destas brincadeiras somos capazes de libertar a informação do gene que contribuiu com a origem as nossas preferências. Claro que nem sempre e nem com todos...

Alguns citaram filmes que não despertam aquele sentimento de vergonha que o passar dos anos acaba dando: Xanadú, Velocidade Máxima, As aventuras de Chihiro, 007 (este eu desconfio que ainda com o Sean Conery), Rei Leão... Houve até quem citasse 7 noivas e sete orgasmos, clássico pornô dos anos 80 que... Mentira. Eu não conheço este filme e nem sei que passava em sessões às onze da noite em um dos dois únicos cinemas da cidade que o cidadão que citou morava.
Mas o grosso, a grande maioria citou filmes do combo humorístico mais famoso do país. Sim! Os Trapalhões! Em diversas películas de diversas épocas diferentes.
E aparentemente todos trouxeram elementos destes filmes consigo até chegar aos dias de hoje. Algum tipo de identificação que fez com que as próximas obras assistidas tivessem algo (por menor que seja) identificado com aquele filme ou qualquer outra coisa que me houvesse escapado em uma analise superficial (não vou ficar pensando muito em um domingo de manhã né?).
No meu caso o filme foi O Incrível Monstro Trapalhão onde Didi é Jegue (uma paródia de Jekyll & Mr. Hyde) que sonha ser um super herói nos moldes do Super Man e inventa/descobre uma fórmula que é capaz de fazê-lo mudar não só de personalidade como também de forma física fazendo com que se torne algo mais perto do Incrível Hulk.

“-Tá bom Groo, entendi seu ponto, mas é falho porque a gente sabe que você nem gosta muito de filmes de heróis e muito menos de terror sci fi... Onde tá o elemento que te manteve atento ao cinema e filmes?”  – alguém pode perguntar.
E eu respondo.
A trama do filme gira em torno de um supercombustível feito a partir do marmeleiro do nordeste e que pode ser usada para ajudar uma – agora é o busílis – equipe de Stock Car a vencer uma competição disputada no antigo circuito de Interlagos. Pegou?
Antes de assistir (eu, ok?) RC a 300km por hora, Grand Prix ou Le Mans, eu assisti um filme dos Trapalhões que tinha o automobilismo como pano de fundo e isto ajudou (para caramba) a despertar o amor e a paixão por carros, corridas e o autódromo de Interlagos.
Faça sua reflexão e veja se seu primeiro filme também não te ajudou a cultivar algo dos seus atuais gostos...
PS: À pessoa que citou Lua de Cristal como seu primeiro filme, meus mais profundos sentimentos...

A outra coisa revelada com esta brincadeira é a nossa idade...
Porra gente, como estamos velhos!

13 comentários:

Ricardo disse...

No meu caso, eu tinha 11 anos, minha irmã levou-me ao cine Ipiranga para assistir Grand Prix. A abertura já me deixou completamente alucinado.Quando fui com meu a primeira vez em Interlagos, para ver a Copa Brasil,e ouvi o ronco de uma Ferrari V12 aí a paixão incendiou a alma de vez.

Anônimo disse...

Ué ? Tô vivo ! Sumi, é verdade mas tô na área, manésada ! Seth, com nariz de palhaço ? Venha para o lado bom da força ! Conservadorismo ! Tá, Liberalismo mas com Ordem ! Liberdade, Ordem, Justiça ou Amor ? Aprendam com o M.C.
Ordem, em primeiríssimo lugar ! Justiça, em segundo. Amor - ao próximo, respeito - em terceiro e, por último, Liberdade ! Não fazemos isso, né, Seth Rogen ? Viu ? Eu mesmo sou um mané ! Ron Groo é o seu nome. Uso um nariz de palhaço todos os dias. Tá difícil, mermão. A saída é tirar a esquerda do poder, toda ! Investem na desordem, os progressistas. Bom, vamos lá, meu primeiro filme. Louis de Funes ! Não me lembro o nome do filme. Com vovó morrendo de rir e eu acompanhando na risada ! E tem muito 'carro' nos filmes dele. Ninguém me entende...

https://www.youtube.com/watch?v=SqSiaH5A3WM

https://www.youtube.com/watch?v=O69ikG96sW

HA !

M.C.

OBS: rumo ao tetra! Haaaaamilton !

Manu disse...

E não é que acabei de ver uma pessoa falar dos Trapalhões? Assisti a muitos deles, mas tudo em casa. A pessoa inclusive lembrou que isso acontece porque é mais velho que eu... rsrsrsrs... Isso é fato.
De qq forma, meu primeiro filme foi Mogli, de 64, mas que era um desenho lançado para cinema 30 anos depois, qd fui assistir. Depois fui deixada com meu primo no cinema para ver Space Jam e até meus 13 anos eu não era necessariamente fã, mas gostava de basquete.
Revela bastante, hoje adoro animações e não escondo de ninguém.
E é verdade, teve um cara que escreveu Lua de Cristal nos meus comentários... Até qd eu tinha o discernimento do bom gosto de base infantil achava aquilo um horror!! kkkk...

Abs!

Marcelonso disse...

Groo,

O tempo está cada vez mais veloz...quanto ao filme, não tenho lembrança do meu primeiro no cinema, mas é possível que tenha sido Trapalhões.

Mas um filme que marcou quando jovem foi " De volta para o futuro"...até hoje, quando passa, paro pra assistir.


abs

Anselmo Coyote disse...

Só não entendi a referência a Sean Conery e 007. >:(

Rubs disse...

Ron Groo, você quer ser velho. Sei. Lembra-se quando o Deep Purple lançou o vinil "Smoke On The Water"? Lembra-se de quando Peter Gabriel era vocalista do Genesis? Sabe quando Rick Wakeman saiu do Yes? Comprou o álbum duplo da ópera rock de Roger Daltrey, "Tommy"? Comprou o "Sabotage" do Sabbath? O que você achou do 360 Degrees of Billy Paul?
Lembro de tudo isso e muito mais, mesmo sendo obrigado a cantar Don e Ravel com a mão no peito. Assisti muita gente ao vivo. Então você não é velho, não. Velho sou eu. E, sem a menor vanglória, duvido que alguém que não seja da área assistiu a mais filmes do que eu. Enquanto o Coyote usava calça curta no grupo escolar, eu já andava de RD350. O primeiro filme? Eu só tinha 4 anos, mas me lembro bem: "A história de Elsa".
Abs.
Rubs.

regi nat rock disse...

O de cima falando que é velho. Putz. sou o que então? Parente do Matusalém. Cine Metro (hj é igreja) uns 6/7 anos, Marcelino pão e vinho. Que raiva. Não dava tempo de ler a tradução no pé da tela. Detestei. E um vazio se abriu e foi substituido pelas 20.000 leguas submarinas. Paremos por aqui. Não sou cinéfalo. Claro que assisti muitos filmes mas nenhum em especial, Salvo o Gran Prix no Comodoro e aquela tela gigantesca. Mas o motivo era nobre. Já frequentava Interlagos.

Rubs disse...

Não me leve a mal por me dirigir diretamente a você Regi Nat: a foto do perfil me lembrou algo incrível. Troquei uma Caloi 10 por um 11 ligeiro 1947 igualzinho ao da foto. Foi meu primeiro carro. Eu tentei mesmo capotar o carro e não consegui.
Saí dizendo que eu fazia curvas tão fechadas com o Critroen de gângster que eu podia até ler os números da placa traseira.
Não sei por quê, mas todo mundo começou a me chamar de "Cascata".
Abs.

Ron Groo disse...

vocês são impagáveis.
Adoro os dois.

regi nat rock disse...

Também foi meu primeiro carro (1965, por aí) e continuo 'caçando ' um. O capim ta curto e fico na vontade. Esse aí é de um amigo que mora em Paris. Inteiraço. Com o meu a serra da Anchieta viu coisas do arco da velha naqueles 15 km morro abaixo, assim como na serra do mar. Até saca rolha tinha naquela estradinha emocionante.

regi nat rock disse...

Uma Caloi 10 por um Legere. PQP !!! NÃO É POSSÍVEL.... ESSE DA FOTO É 51, IGUAL O QUE TIVE. Inacreditável. Estou inconsolável.... Que ano foi isso?

Rubs disse...

A bem da verdade, além da Caloi 10 entrou um jogo de rodas palito Scorro para Maverick.
Isso foi em 78. Em 81 um cara graúdo, dono de uma empresa de táxi aéreo, viu o carro e fez uma proposta absurda. Era tanto dinheiro que eu fui estudar fora. O carro está aqui até hoje num galpão.
Na época alguns carros tinham a alavanca e câmbio na coluna da direção, como a C14 e alguns Opalas. Mas a alavanca do Citröen 47 era no painel. Três marchas. A primeira e terceira eram em baixo. A segunda, em cima à direita. De vez em quando escapava.
O único problema que tive foi o fato de o conjunto da roda dianteira, com campana de freio e tudo, ser preso no eixo por uma única porca de rosca esquerda!!! Como a roda gira para frente, a porca bambeou e lá se foi a roda andando na frente do carro e uma cortina de fagulhas levantada para trás. Achei que fosse morrer. Tinha esquecido que o carro não capota.
Abs

regi nat rock disse...

aconteceu comigo numa viagem a Itanhaem. O semi eixo saiu inteiro. Um torneiro mecanico fabricou uma porca rosca esquerda no torno... A segunda escapando era defeito crônico. E as cruzetas que rompiam... hahahahahah... Amo esse carro. To pedindo pro Groo lincar -nos. passei meus números prele. Abraço.