17 de mai de 2016

F1 2016 - Crônica do GP - É preciso reaprender a ler a categoria

A F1 acabou.
O culto ao carro acabou.
Viva a F1 e o culto ao carro.
Não há mais pilotos, só meninos mimados.
Viva os meninos mimados que pilotam.

Apesar de todas as idiossincrasias cometidas neste espaço a verdade é que o escritor não é burro.
É teimoso, o que é diferente de ser burro.
A prova espanhola da F1 mostrou o quanto meninos mimados e seus carros “fáceis de guiar” ainda são espetaculares e espetaculosos.
Aqui não se curte muito os pilotos da Mercedes, é verdade, mas para além da burrice de ter saído da prova em um acidente bobo na terceira curva da corrida fica a leitura mais aprofundada de que:

Sim, eles disputam entre si.
Não, eles não aliviam um para o outro.
Sim, Lewis errou, mas estava tentando passar, o que é louvável.
Não, não se ganha corrida nas primeiras curvas (talvez só em Mônaco), mas se pode perde-las.
E sim, Nico pode ter errado na força da defesa, mas quem não faria?
Absolvição aos dois e que a Mercedes não interfira na briga com regras (veladas ou explicitas) bobas de legitimidade de posição após primeira curva ou N voltas.

Ricciardo foi sensacional na briga com Vettel.
Vettel foi reclamão porém tão sensacional quanto.
Resultado justo no embate dos dois.

E Max Verstapen.

Mais jovem piloto a vencer uma prova de F1.
Não bastasse isto, venceu a prova na primeira corrida em que disputou pela nova equipe.
Ainda mais? Chegou imediatamente à frente de nada mais, nada menos que Kimi Raikkonen e de quebra Vettel.

Se a F1 acabou, gostei bastante deste negócio que ficou em seu lugar com seus carros “fáceis de guiar” e seus meninos mimados.

9 comentários:

Manu disse...

Com as Mercedes fora, a gente viu uma corrida de gente disputando quase de igual para igual. Acho que ficou melhor não?

Quanto à não punição das Mercedes, e no caso, do Hamilton acho que deviam abolir de vez as punições mesmo. Só vale para uns e prejudica todo o resto quando acontece. Que deixem fazerem as burradas...

Abs!

Anônimo disse...

Cheguei.

Não vi nada demais no acidente das Mercedocas. Concordo com quem isenta não só GH-3 como também o Penélope. Um atacou, o outro se defendeu. Seria uma ultrapassagem desmoralizadora para o alemão. Brita para os dois.

A vitória histórica de Verstapen foi a 'vitória' da mais que vencedora Ferrari. Chefe da equipe, faria o mesmo:'Deixa vencer...'.
Aaahhh, o mito Ferrari.
O mais jovem vencedor de todos os tempos, rodeado pelos 2 experientes pilotos da Ferrari. Ninguém, pelo visto, notou na aliviada de pé do Raikkonen ?
Só eu. Ai, ai...

OBS: No shopping Rio-Sul, feirinha de livros. Um livro, interessante, de 5 anos de lançado, aparece na minha frente ! Promoção, 20 paus. 'Não sou um anjo', revelações inéditas de tio Bernnie ! 20 paus.
Pensei, pensei... 'será que, pedindo, eles me dão 50% de desconto' ?
Fiquei com vergonha de perguntar. Comprei. 20 paus.


M.C.

Marcelonso disse...

Groo,

Sem a Mercedes é uma outra corrida. Não dá pra ser sempre assim?


abs

Rafael Schelb disse...

E volta a atacar, a minha velha sina: Sempre que eu deixo de ver a corrida, ela é boa. Enfim, gostei de ver o Verstappinho ganhando, o moleque prova que bobo ele não é. No caso do acidente, coisa de corrida, mas parece que deu uma pane no carro do Rosbife, a imagem mostra ele apertando um botão no volante, mais ou menos no momento do acidente. Mas eu não puniria ninguém, a punição foram eles mesmos quem se deram, ficando fora da prova. No mais, espero que a temporada mantenha esse bom nível de emoção que tem tido até aqui.

Rubs disse...

Isso mesmo.
Mas ainda é possível ficar sabendo de mais coisas. Mesmo sendo só consumidores de imagens, ainda é possível saber de coisas.
"Verstapinho" foi para a Red Bull porque Helmut Marko tem uma intuição genial? Golpe do destino? Capricho da Fortuna? Acho que não.
Uma sociedade russa foi formado para gerir a Toro Rosso, cujo destino era incerto. Única exigência: que o piloto principal fosse o russo Kvyat fosse o primeiro piloto. A tal sociedade vai ter como CEO um tal de Sergei Belousov. Quem é esse cara? Alguma coisa de um tal Dmytri Belousov, diretor executivo do Banco SMP, cujo proprietário é o sinistro oligarca Boris Rotemberg. Qual é a finalidade desta sociedade que acaba de se associar à Toro Rosso? Encher o grid de pilotos russos. Mika Salo foi contratado para cuidar da preparação física e mental desses pilotos.
Quando todos os holofotes se voltam para o Verstapinho, eu aposto minhas fichas no palpite de que o grande vencedor do futuro já é Kvyat, quando todos acham que ele é o grande perdedor.
Putz! Ah, se eu pudesse apostar uns cobres nisso....
Abs

Anônimo disse...

Véi, escrever nessas televizoenzinhas é φώδα.

Está explicado por que Kimi não alcançou o moleque? O motor da Toro Rosso é Ferrari...

Rubs.

Anselmo Coyote disse...

Engraçado foi ouvir: "O kimi não atacou o Max, se fosse o Vettel atacaria....blablabla". E por que o Vettel não atacou e passou o Kimi e foi atrás do Max em vez de ficar de mimimi contra manobras legítimas do Ricciardo? Esse moleque tem o DNA do Alonso para um mimimi, viu.
Abs.

Ingryd Lamas disse...

Há muito não leio ou comento por aqui. Há muito não acompanho a categoria como acompanhava antes. Há muito não sinto vontade de escrever sobre a categoria. Quebrei o silêncio pra corroborar seu post ao passo que esse negócio que ficou no lugar da F1 tá me agradando bastante, viu...

regi nat rock disse...

Tudo dito, e o que era inevitável aconteceu. Iria acontecer mais cedo ou mais adiante. A combinação estelar foi perfeita. Só queria o Kimi na frente - claro - mas a apoteótica chegada não teria a repercussão que teve. Que o garoto não dê uma de Maldonado que só conseguiu uma vitória , também inesperada. Vamos conferir com lupa. E torcer para outros enroscos com as verdinhas. Nem precisam sair da disputa. Uma ida ao box a mais, já ajudará bastante...