20 de mai de 2016

Hot 5 do Groo: Acústicos nacionais

Houve um tempo em que a MTV no Brasil era algo realmente relevante.
Apesar de um monte de VJ “carinha bonita/conteúdo zero” a programação tinha coisas que deixaram saudades.
Caso dos programas da série Acústico.

Ok, o formato era chupado da MTV gringa, mas aqui, virado para a música brasileira tudo ficou diferente, rico e brilhante. E melhor: alguns ficaram registrados em discos muito bons onde o artista assumia corajosamente a tarefa de se reinventar em outro formato ou dividindo as luzes com convidados.
Aqui um hot five pessoal destes disquinhos.

5 – Titãs.
Provavelmente o primeiro a contar com convidados especiais.
Em um momento em que a banda estava especialmente pesada e raivosa (logo após o lançamento de Titanomaquia e Domingo) o registro corajoso de seus maiores sucessos de forma acústica ainda mostrou uma faceta nova do grupo. Canções como “Nem Cinco Minutos Guardados” e  “Os Cegos do Castelo” mostraram um novo direcionamento para os discos seguintes: a delicadeza.
A banda só voltou a ser pesada e raivosa com seu último disco de inéditas: Nheengatu.

4 – Gilberto Gil.
Gilberto Gil desfila grandes sucessos com a elegância de sempre e uma banda fantástica. Músicas como “Drão”, “A Paz”, “Tempo Rei” e “Esotérico” ficam ainda mais impressionantes com arranjos intimistas.  E quando Gil toca "Expresso 2222" é uma verdadeira aula de violão.

3 – Legião Urbana
Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá aceitam fazer o acústico na intenção de não ter de fazer clipes e acertam.
Talvez o disco mais corajoso de todos os acústicos em que a banda (reconhecidamente fraca tecnicamente falando) se expõe de forma crua com todas as duas deficiências transformadas em virtudes.
De quebra traz um atestado do DNA rock and roll dos caras com as influências mostradas nas covers escolhidas para o show: Neil Young, Jesus anda Mary Chain, Pil e Pat Smith ("On the way home", "Headon", "Rise", "The last time I saw Richard" respectivamente).
Destaque para a canção dos Menudos que Renato tocou pensando que não estava sendo gravado.

2 – Luiz Melodia.
O Perola Negra simplesmente detona ao fazer o seu acústico com sambas de compositores históricos da raiz do gênero.
Aqui se ouve Ismael Silva, Cartola, Zé Ketti, Wilson Batista, Geraldo Pereira entre outros. E claro, o próprio Melô que canta como nunca em interpretações cheias de sentimento e beleza.
Dica: Ouça “Contrastes” (de Ismael Silva) que abre o disco e tente não se emocionar.

1 – Moraes Moreira.
Moraes revisita clássicos dos Novos Baianos e de sua carreira solo de uma forma impressionante.
Começa poeticamente com “Meninas do Brasil” e vai assim até a sexta faixa: “Mistério do Planeta”.
Aí então o carnaval é transportado para dentro do estúdio da MTV movido a forró e frevo.
A sequência: “Forró do ABC/Forró de Zé Tatu”, “Pernambuco é Brasil” “Cidadão” (com direito a show do percussionista Carlinhos Ogã), “De noite e de dia”, “Lá Vem o Brasil descendo a Ladeira”, “Coisa Acesa” “Pombo Correio/Festa do Interior” e “Vassourinha Elétrica” é capaz de pôr pedras para dançar
Além da banda Moraes conta também com uma seção de cordas elegantes usada sem exageros. Além do naipe de metais que fazem justiça ao verso de “Vassourinha Elétrica” (...metais em brasa que ardia...). Uma pena que passou batido tanto pelos fãs do compositor quanto pela molecada a quem a série se dedicava.

Há também ótimos discos como o do Paralamas do Sucesso, Lobão (que ganhou até Grammy), Jorge Ben, Lenine..., mas como eram apenas cinco, ficam para uma próxima.

12 comentários:

Rafael Schelb disse...

Definitivamente, o da Legião é o meu preferido, principalmente pela crueza, fugindo do padrão superprodução que era o mote do programa, que deixou o disco com uma honestidade sem igual em toda a série. Fantástico.

Marcelonso disse...

Groo,

Esse é um formato que me agrada, por tudo o que foi muito colocado. Nesse rol, minha predileção fica com a Legião, como o Schelb, gosto muito desse estilo simples.

A Legião fez parte da minha juventude, essa banda fez história.


abs

Carlos Eduardo Silva disse...

Concordo com os amiguinhos acima, Ron!!
Legião é um clássico neste quesito,...motivo de alegria quando os "teen's" de hoje, elogiando e acham legais as letras de Renato, Dado, Bonfá e do falecido Rocha (embora já não estivesse nesse álbum). Bela retrospectiva, man!!

Carlos Eduardo Silva disse...

Concordo com os amiguinhos acima, Ron!!
Legião é um clássico neste quesito,...motivo de alegria quando os "teen's" de hoje, elogiando e acham legais as letras de Renato, Dado, Bonfá e do falecido Rocha (embora já não estivesse nesse álbum). Bela retrospectiva, man!!

Carlos Eduardo Silva disse...

Concordo com os amiguinhos acima, Ron!!
Legião é um clássico neste quesito,...motivo de alegria quando os "teen's" de hoje, elogiando e acham legais as letras de Renato, Dado, Bonfá e do falecido Rocha (embora já não estivesse nesse álbum). Bela retrospectiva, man!!

Vander Romanini disse...

Na ordem:
Legião, Titãs, Benjor, Paralamas e Ira!.
Aqui entre nós: gostava pacarai do programa! Nacional e gringo!

Rubs disse...

Hum.. Por mais "cult" que seja, eu nunca consegui respeitar uma banda que só tem cérebro para três acordes.
Prefiro os acústicos da Rita Lee e do Roupa Nova.
Abs.

Ron Groo disse...

ouça o do Moraes Rubs, ouça...

Rubs disse...

Todos são bons. Sou fã do Moraes. Eu só tenho algum desencantamento com um hipster em particular. Só um.
Abs

Ron Groo disse...

e quem seria?

Rubs disse...

Uai, Ron, animal velhaco não bule com enxame de marimbondo.
Eu já falei. Quem será que praticamente tudo o que compôs tem três acordes e é a própria definição de "hipster"? Google it.

Vinicius Vergueiro disse...

Meus acústicos MTV favoritos são os do Charlie Brown Jr.O Rappa,Titãs,Engenheiros do Hawai,Ultraje a Rigor(quando ainda estava aceitável)e principalmente o do IRA!(a minha predileta).