8 de jul de 2016

Hot 5 do Groo: cine biografias de músicos

Diferente dos filmes sobre música do outro hot 5, estes aqui têm personagens bem definidos historicamente. Os filmes são sobre eles.
Vários tem muitas falhas, informações desencontradas e até falsas.
O filme sobre Tim Maia por exemplo, condensou suas esposas em uma personagem só.
Cazuza teve diálogos tão ruins que o personagem passou de poeta a cagador de regras com frases pseudos geniais o tempo todo.
Great Balls of Fire, sobre Jerry Lee Lewis até começa bem, mas se perde na interpretação exagerada de Dennis Quaid...
Posto isto temos

5 – Doors – de Oliver Stone. (1991)
O filme é bacana, tem uma fotografia ok e atuações convincentes.
A trilha sonora é ponto alto da coisa toda e é um dos primeiros filmes biográficos que me lembro de ter visto.
A única coisa difícil de engolir é o tratamento dado pelo diretor à Jim Morrison.
Se o cara tivesse bebido e se drogado a quantidade mostrada lá, não ia existir um só disco do Doors.

4 – Somos tão jovens. – de Antônio Carlos Fontoura (2013)
O jovem Renato Russo é o foco deste filme.
Correto até o ponto em que a família Manfredini deixou, a fita mostra a formação musical (e de caráter) de Renato passando pela formação do Aborto Elétrico, fase Trovador Solitário e finalmente desembarcando na Legião Urbana.
Ponto baixo é a representação caricata de Herbert Vianna posta no filme.

3 – Cadillac Records – de Darnel Martin (2008)
Bio de Leonard Chees centrado na fase em que comandou a Chees Records.
A gravadora contou em seu casting com lendas do blues como Howlin Wolf, Muddy Waters, Little Walter, Etta James (todos retratados no filme).
A interpretação de Beyoncé como Etta James é um dos pontos altos. Impossível não se emocionar com ela cantando All I Could Do is Cry.


2 – Ray – de Taylor Hackford (2004)
É sobre a infância trágica de Ray Charles. Mostra como o músico perdeu a visão e de como isto ajudou a mudar sua percepção sobre a música e a vida.
Mas só o fato de ser sobre um dos maiores gênios musicais do século XX já valeria a pena.

1 – Walk the Line – de James Mangold (2005)
A vida de Jonnhy Cash retratada de forma crua.
As histórias sobre envolvimento com as drogas, a paixão (e o casamento) com June Carter, a grande sacada de tocar em presídios e música lindamente soturna do Man in Black compensam as atuações as vezes exageradas de Joaquin Phenix e Reese Whiterspoon.

Se lembrar mais, coloca aí nos coments.

4 comentários:

Anônimo disse...

Bird - Charlie Parker - 1988
James Brown - 2014

mpgArte

Manu disse...

Excelente post! Já sugeri o filme biografia do Hank Williams. Vou assistir (se der) no fim de semana e depois a gente comenta sobre.
E vou assistir Cadilac Records, fiquei curiosa, pois é o único que não vi da lista.
(Tem aquele do Cazuza, mas eu não gostei, então acho que nem cabe na lista...)

Abs!

Anônimo disse...

Bom dia.

. Pô. Oliver Stone é chegado ao exagero mas, no caso deste filme, ele estava certo. O homem se drogava muuuuiiiito. E a droga, dizem, ajuda, no início... Depois, só ajuda no caminho do cemitério.

. Não posso opinar porque não assisti o filme. Tenho certa dificuldade com diretores brasileiros 'polititicamente corretos'. E filme brasileiro novo, de jovem, só tem palavrão. Esse, tinha muito ? Mais ou menos assim: 'Pula, carvalho ! Ponte que partiu, seu mérida ! Não viu a gacada que você fez, animal ?'

. Ótimo ! Tem Rolling Stones, bem jovens, acho. Não me lembro se só citados.

. Ótimo. E se drogava.

. Pô, será que falo ? Opinião minha. Chatinho. Vou assistir novamente.

São tantos os filmes. Tem um da Queen Latifah, 'Bessie', Bessie Smith, uma cantora de blues, uma lenda. Ótimo. A verdade está na história. Quando me dei por gente, só como exemplo, Napoleão era apaixonado por Josefina. Agora, 100 anos depois, é um corno apaixonado de Josefina. Mexer com biografia é flórida. Talvez, o filme de Jim Morison bão mesmo venha agora, ou, quem sabe, daqui há 50 anos. Espero um dos Beatles mas só quando o Paul se for. E ponha uns 20 anos aós a morte dele para vermos( ?) o que realmente aprontavam. Veja a brigalhada dos cantores por aqui. Por quê ? Chic Bú Argh de Paris, um filme sobre ele, hoje, mostrará o amigão Fiel Castor ou só a Marieta mandando beijos para os seus ? Um certo cantor, das multidões, só os amores dele ou o amor do maior narcotraficante que existiu por ele( sem viadagem, era fã) mandando até jatinho buscá-lo ? Ha...


M.C.

Ron Groo disse...

MC eu vou procurar este da Bassie Smith, adoro a voz dela.