2 de out de 2016

F1 2016 - Malásia: o vencedor chegou em terceiro

Como já escrevi, não tenho problemas em dizer que gosto da pista e das corridas malaias.
Tirando o horário da madrugada, o resto é bem ok.
O retão da largada é sempre algo bonito de se ver vencido assim que as luzes se apagam.
E esta edição não decepcionou.
Logo na tomada da primeira curva Vettel tenta passar uma Red Bull e acaba acertando Nico Rosberg.
Fim de prova para o alemão ferrarista e última posição para o alemão cone.
O virtual safety car (expressão que lembra título de música do Jamiroquai até na chatice) foi acionado e quebrou o galho do motorista da Mercedes.

A zica de Felipe Massa em seu último ano deu as caras antes mesmo das luzes vermelhas se apagarem. O carro não saiu para a volta de apresentação junto com todo mundo e fez que com o atraso o colocasse ao lado de Fernando Alonso na última posição do grid. Felipe se despedirá da categoria sem nunca ter ido ao pódio na Malásia, entre tantas outras pistas também...

Azar de uns, sorte de outro. Com dois safety car virtual acionados, Rosberg veio tirando a diferença e na volta treze já estava na zona de pontuação.
Mas a verdade é que a corrida entrou em modo cruzeiro e ficou na expectativa das paradas obrigatórias e mesmo depois dela a coisa parecia já encaminhada para um final previsível e monótono.
Ainda que a tensão gerada pela incerteza de que Hamilton fizesse mais uma parada e perdesse a vitória para um dos carros da Red Bull estivesse no ar.

Mas é Malásia, as coisas acontecem por lá de forma diferente, seja pelo calor ou por qualquer outro fator.
E desta vez o fator foi o improvável estouro do motor (trocado faz pouco tempo) do conne#44.
A vitória caiu no colo dos pilotos da Red Bull, só faltava decidir qual.
E para deixar a coisa mais equilibrada, o time do xixi de boi em lata levou os dois para trocar pneu ao mesmo tempo e os devolveu à pista em igualdade de condições.
Quem pudesse mais choraria menos.

E o que era alegria para Rosberg, que à esta altura já era o terceiro na prova virou tensão.
Depois de forçar de forma bem bonita e arrojada uma ultrapassagem para cima do aposentado Kimi (e tocar o carro da Ferrari), foi punido com dez segundos em seu tempo total de prova.
Tem horas que dá vontade de abandonar as coisas pela metade. Punição ridícula que por sorte, não teve maiores efeitos.
Nico conseguiu colocar a diferença acima dos dez segundos e confirmou a terceira posição e uma vantagem de vinte e três pontos sobre o cone#44.
Campeonato afunilando e o alemão à frente.
Teremos uma disputa?
A felicidade de Nico Rosberg após a prova
E nas dez voltas finais os Res Bull duelaram. A pena é que foi um duelo de xadrez e não um corpo a corpo.
A melhor dupla de pilotos desta temporada estava livre para decidir na pista quem é que subiria ao lugar mais alto do pódio. Coisa raríssima nesta F1 engessada.
E no xadrez, melhor para o Ricciardo, se bem que num corpo a corpo também poderia vencer.
É um grande piloto e mereceu a vitória sem dúvida (apesar de como ela chegou).

12 comentários:

Vinicius Vergueiro disse...

Manobra otimista demais do Vettel sobre o Rosberg.

Anselmo Coyote disse...

Piloto que só ganha com foguete ou jogando sujo… sem comentários.
Mas em algum momento os comissários teriam de tomar uma providência, porque com tanta vista grossa a coisa já tava pegando mal pra eles. E foi assim que o cone #5 levou uma naba de três posições pela lambança que fez na largada. Eu ri litros e litros. Afinal, conseguir bons resultados e até ser campeão com carros inferiores durante toda uma carreira não é para qualquer cone. Quem sabe, sabe. E o Kimi-manguaça-aposentado continua enterrando a naba sem dó nem piedade. CHUUUUUUUUPA VETTEL.... kkkkkkkk.
Abs.

Rafael Schelb disse...

Não vi a corrida, então não posso opinar. Mas uma coisa é certa: O Ricciardo tava mrecendo um vitória desde aquela cagada da Red Bull em Mônaco. Que bom que ele conseguiu!

Vinicius Vergueiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vinicius Vergueiro disse...

Aviso a todos os manicômios que reforcem as camisas de força quando forem levar o Coyote pois o elemento louco é de altíssima periculosidade.

Levem também alguns enfermeiros bem fortes pra ajudar pois o louco vai oferecer violenta resistência.

Vinicius Vergueiro disse...

Merecida mesmo.

Anselmo Coyote disse...

Groo, e quem levou o título de asno ao volante foi: http://www.podcastf1brasil.com.br/vote-melhores-e-piores-do-gp-da-malasia-asno-volante-e-trofeu-podcast-f1-brasil/
Hihihihi...
Abs.

Vinicius Vergueiro disse...

O título de asno,louco, estúpido, burro e idiota vai pra Anselmo Coyote com louvor e méritos.

É preciso pra ele sempre denegrir o desafeto dele pois sem isso a vidinha miserável dele não faz o menor sentido.

Rubs disse...

Irmãos, mais civilidade e paz neste importante dia. Sigam o exemplo do Kimi, que humilha, mas com ternura.

Vinicius Vergueiro disse...

Humilha ou é humilhado com ternura?

Raikkonen foi de uma passividade grotesca na disputa com o Rosberg(e olha que o Nico passa muito longe de ser agressivo como o pai era).

E sem os erros e azares de Vettel, Raikkonen estaria no lugar de sempre na tabela e nas corridas(atrás de Vettel).

E não quis ser grosseiro,mas o besta do coyote cansa demais a boa vontade.

Anselmo Coyote disse...

Rubs, vc é um monge de sabedoria. Vc tortura com doçura.

Marcelonso disse...

Groo,

Sabe aquela fase em que tudo dá certo? Pois é, Rosberg vivencia esse momento. Se tiver frieza, terá em mãos uma boa vantagem a ser administrada. No entanto, nada está decidido, ainda!

abs