10 de jan de 2017

F1 2017: Oxímoros

Um jornalista que gosta de alardear furos que nem sempre se concretizam publicou duas notas que se contradizem.
Disse na primeira nota que a assessoria de Felipe Nasr jogou a toalha e que o piloto não estará no grid da F1 em 2017. Algo até esperado pelo andar das carruagens e movimentos referentes à dança de cadeiras.
Contradizendo uma outra nota dele mesmo, escreveu que não houve qualquer contado da diretoria do patrocinador principal de Felipe para uma renovação do contrato que poderia lhe garantir alguma chance de brigar por uma vaga.
Durante o fim de semana do GP do Brasil escreveu que os executivos responsáveis pelo patrocínio estavam em Interlagos durante todo o fim de semana conversando com Nasr e tudo estava praticamente encaminhado.
Num oxímoro digno de Luiz Melodia em “Pérola Negra”, música de seu primeiro disco homônimo de 1973, a nota do jornalista parecia dizer que o Banco do Brasil acenava para Felipe com um “...baby te amo, nem sei se te amo.”.
A nota mais recente, a que joga a toalha, terminava contando que não houve nenhum contato do piloto com a equipe Williams. Nem para ser terceiro piloto.


Já um site espanhol (reproduzido aqui pelo UOL) diz que Felipe Massa teria quebrado acordo com a categoria de carros elétricos para assinar com a Williams.
A nota diz que por conta de uma diminuição no grid da DTM, categoria com quem Massa mantinha contado, foi descartada a sua ida para o campeonato de marcas alemão e ainda que não houve nenhum interesse de times do WEC na contratação do brasileiro.
O oximoro aqui fica por conta dos maldosos de plantão que poderão (ou não) dizer que só ficou na F1 por falta de opção, mas tinham dito que ao ser anunciada sua saída foi dito que estava saindo por falta de opção para ficar...

De qualquer forma, o conjunto das notas deixam claro que não houve nenhuma interferência da decisão de um no desemprego iminente do outro.
O que já é uma pedra a menos para se atirar no veterano se este for muito mal ou for igual à 2016, que não foi lá grande coisa...
Mas poderão jogar em sua história que ele foi preterido pela categoria de endurance, o que, para mim, é vitória.
Se é para ficar numa categoria em que os carros se espalham e ficam dando voltas sozinhos, só ultrapassando retardatários e pensando em poupar o equipamento, melhor ficar na F1 mesmo.
Pelo menos as corridas mais chatinhas duram só duas horas e não seis...

3 comentários:

Manu disse...

Resumo da ópera: nem "a mídia especializada" sabe dos Felipes.
Eu, de todo, preferiria muito mais que o Nars ficasse.
Mas fico contente em ter o Massa mais um ano para pegar no pé, só por diversão :D #confesso

Abs!

Marcelonso disse...

Groo,

Os ditos "especialistas" atiram pra todo lado tentando acertar!


abs

Anselmo Coyote disse...

Seguinte: se a Williams "acertar a mão" no carro e fizer como a BrawnGP o Massa conseguirá aquecer os pneus ou teremos o primeiro estrante campeão? Aprender aquecer pneus num intensivão....hummm. Sei não.