17 de mar de 2017

Um dia quente

Desde que a companhia ferroviária resolveu trocar a estação da cidade de lugar (coisa de cem metros) – construindo uma novinha com modernas instalações - a vida na cidade tinha se tornado um inferno.
Não bastasse o transtorno, o pó da demolição do casario que estava no lugar da nova estação, ainda tinha o barulho da obra e claro, os peões.

Sentados à hora do almoço por todos os cantos da nova estação, faziam às vezes de olhos, ouvidos e boca da obra.
Nada acontecia pelas imediações sem que eles soubessem e pior: comentassem.
A menina que é gerente da loja tomando um esculacho do namorado foi hit entre eles semanas atrás.
Hoje ela passa pela obra e não ouve os tradicionais assobios, mas um insistente e jocoso “cocóricó”.

Ao ouvir o sapateiro da rua reclamando que odiava o próprio apelido (o nome do homem é Baltazar, mas pelas costas todos o chamam de “cobra” que na verdade é uma simplificação para “engole cobra”) fizeram um simpático sambinha que é cantado toda vez que o indigitado aponta no inicio do quarteirão e só para quando dobra a última esquina: “-Cobra... Seu Baltazar cobra... Cobra o serviço que eu pedi/ Não é porque somos amigos que o senhor vai ter que engolir... Cobra, seu Baltazar cobra...”.

Nesta última semana o calor infernal que se abate sobre a cidade parece ter acirrado os ânimos. Houve até barraco.
O caso é que Batistão (que é prejudicado verticalmente) é casado com uma tremenda gostosona, - e por ser anão todos ficam melindrados ao dizer qualquer coisa à ele, o que não impede os comentários maldosos pelas costas.
O mais comum é quando passa o cotoco de gente de mãos dadas com o avião (abraçado não dá, a mulher teria dor nas costas) é: “-Macumba... Só pode ter sido macumba.”.
Outro comentário - que foi recebido com certa desconfiança pela comunidade local - foi exatamente do sapateiro Baltazar: “-Anão costuma ter bilau grande.”.
E quando os olhares se voltaram para o sapateiro: “-E o que dizem... Eu nunca vi... É o que dizem.” – tentava explicar ou consertar.
Mas o certo é que apesar das piadas ninguém podia dizer nada de concreto de Dinorah, a esposa do toco de amarrar jegue. Havia desconfianças, mas todos guardavam apenas para si. Alguns acreditavam sinceramente na devoção da gostosa pelo tampa de caçulinha.
 -É amor!– diziam – Só pode ser... O cara é feio, anão, pobre... Só pode ser amor. – diziam.

Mas quando Dinorah passava pela obra da estação os comentários não eram velados e cochichados, mas escancaradamente gritados.
“-Ô mulher econômica, até homem ela escolhe pela metade...” – ou – “-Vem ni mim (sic) que aqui não tem economia não...”.
Ela sorria... Talvez aquilo aumentasse sua autoestima ou... Vai saber?

Quando descobriu os gracejos, Batistão foi até o portão da obra e sem medir consequências chamou todo mundo pro pau.
“-Podem vir todos ai... Dou rabo de arraia em todo mundo!” – gritou.
Obviamente não desceu ninguém. Uma briga com alguém do local poderia despertar a ira em todos da comunidade e até acabar em demissão por justa causa. Além de – claro -saber que estavam errados.
“-Não vai descer ninguém é? Cambada de frouxo!” – disse vitorioso o piloto de autorama que girou nas solas dos sapatos e se encaminhou triunfante para o bar. Havia vencido a parada contra os maledicentes.
Pega então uma meia cerveja e volta para a porta do bar, com ares de superior.
Olha firmemente para o alto da futura nova estação e dá goles vigorosos em sua cerveja.
-Aê cambada de peão! Tão vendo esta cerveja aqui? É minha... Grita ai que é gostosa, que é econômica... Ainda assim vou tomar sozinho. Entenderam?
-É que é meia... – diz alguém em cima da obra sem se deixar identificar.
-Não entendi... – diz o anão.
-Você toma sozinho porque é meia cerveja.
-Não faz sentido. Cê acha que se fosse uma cerveja grande eu não tomaria sozinho?
-Não... Vai vendo. É como sua mulher.
-O que tem ela?
-Se fosse uma meia mulher, que nem você que é só meio homem, seria só tua...
Batistão até queria continuar a discussão, mas por azar (ou sorte) no começo do quarteirão aparece Baltazar e logo se ouve apenas o sambinha... “-Cobra... Seu Baltazar cobra... Cobra o serviço que eu pedi/ Não é porque somos amigos que o senhor vai ter que engolir... Cobra, seu Baltazar cobra...”

9 comentários:

Rubs disse...

Esse é clássico e faz tempo que foi escrito : 5 a 8 anos?
Cobra é o Coyote, que sempre está errado.
Ron, você tem irmão?

Ron Groo disse...

Tem uns 3 anos. Não tenho irmão não sô Rubs. Mó de que?

Rubs disse...

Ah. Por causa do toco de amarrar jegue.

Rubs disse...

Por causa disso mesmo. Achei que o boiadeiro de touro Jersey do conto pudesse ser seu irmão.

Anônimo disse...

E aí, senhor Groo ? Como dizem os nems, 'partiu um churrasquinho ?'
A carne é fraca...
Viu o que é viver num mundo melhor ? Tudo, tudo, TUUUUUDO !, né, senhor Rubs, começou com o psdbezinho fabiano e piorou com o PeTelho socialista e chegou no nosso churrasquinho. As teoria das tesouras ! O senhor Rubs tem cara que é vegetariano... Corrupção, aaaaaahhhh, a corrupção ! O Ministéririririo da Agricultura, vendo toda a sacanagem, ficaria de fora ? Luladrão e Dilmaquiavélica ajudaram não só a roubar como matar, aos pouquinhos, os concidadãos. Tô cansado deste país.

. O que mais virá por aí ? Todas as mulheres da Playboy brasileira são homens ?

. Revolúcifer: ' Nossos objetivos só podem ser alcançados pela derruba violenta de toda ordem social existente ! Capetelhos de todo o mundo, uni-vos ! Mas, antes, um churrasquinho da boa,com carne estragada Friboi e muita skol. O churrasqueiro será o Tony Ramus. Mortadela Seara, da dona Fátima Boanardes , antes'.

. Fabionoféles, o tucaninho: ' Precisas conquistar o mundo, para fazer leis sábias e ajudar as pessoas... Mas, antes, um feiojoada, com carnes de qualidade Sadia, do Recardo Amoral.

. gostei do conto.


M.C.L.

Anselmo Coyote disse...

Rubs, nem vou lhe responder, porque vc é um abestalhado.
Ron Groo, eu tinha esquecido desse post. Rachei o bico de rir de novo. É excelente.
PS. Vc podia filtrar melhor os.... deixa o PS pra lá. Afinal precisamos de diversão, não é?
Abs.

Rubs disse...

Coyote, só isso? Está tomando muito suco de maracujá?
M.C. Pelo visto o PMDB é o partido mais injustiçado do mundo. Falar mal do PT é pior do que bater em bêbado.
Vc faria melhor lutando pela modernização da FAB. Só tome cuidado para não falar mal da Venezuela: em duas horas os Sukhoi S-35 e os F16 deixariam a FAB no chão... A força aérea chilena levaria 1:30 hs. A gente pode brigar hoje só com a Bolívia, Uruguai, Paraguai e Equador. A Argentina ia empatar.
Os vizinhos só nos respeitam por causa das reservas cambiais, por causa do PIB e por causa da farda verde oliva. Você, que é azul, virou sucata. Os F5 andam sendo usados em corridas de arrancada nos EUA e perdendo para Kavazaki Ninja. Os A1 são sucata do Kuwait. Os AMX usam a primeira geração de PC IBM e radar de polícia rodoviária.
M.C. Tire os pijamas e vista aquela farda de gala. Vamos fazer lobby para a FAB. Os pedreiros já andam dizendo que é a Força Aérea do Batistão.
Conte com o meu apoio. Eu sou patriota.
Abs

Marcelonso disse...

Groo,

Não me lembrava desse conto, muito bom!


abs

Anselmo Coyote disse...

Ron, o seu post é sensacional, já disse e repito. Mas, esse Rubs hein... Como vc aguenta? Parece que ele bebeu água do vaso sanitário ou comeu carne da Friboi. Não é possível!!! Só fica variando.
Abs.