30 de jun de 2010

Frases e fatos - Jânio Quadros e a F1

Algumas frases e frasistas tornam-se eternas e, além de servir como parâmetros para comparação de episódios do mesmo tema, fazer parte de exercícios de intertextualidade ou simples adaptações.
Aqui, no caso, vamos pegar frases e situações e aplica-las aos assuntos mais recentes.
Para estrear a bagaça vamos de: Jânio da Silva Quadros.

Político controverso e exímio frasista, o ex-presidente da República cunhou algumas das mais célebres e engraçadas do nosso folclore político.
Outras lhe foram atribuídas ou descontextualizadas, mas sem perder o humor e a contundência. Exemplo:
Ao ser inquirido por que renunciou à presidência – um dos episódios mais discutidos do país – teria respondido: “-Fi-lo porque qui-lo!
Ficou engraçado, mas o contexto exato da coisa era o lançamento de um livro de crônicas chamado: “15 contos” que foi publicado pela Veja.
Ao ser questionado por que teria escrito o livro ele soltou a pérola acima, porém o melhor viria no complemento: “-Lê-lo-á quem suporta-lo!”.
Ao transportar para o presente podemos coloca-a no seguinte contexto:
Perguntado sobre a punição aplicada a Lewis Hamilton no GP de Valência um comissário da FIA diria: “Fi-lo porque qui-lo!”.
Mas e o regulamento?
“-Lê-lo-á quem suportá-lo!”

Outra frase muito boa é: “-Mentira! O som não se propaga no vácuo.”.
Jânio disse esta em um debate pela presidência da República.
Ele passava um verdadeiro sermão em outro candidato que teria dito: “-Pode falar, suas palavras entram por um ouvido e sai pelo outro...”.
E esta? Onde poderíamos colar?
Li que Lewis Hamilton teria dito em entrevista que: “-Alonso é invejoso.”.
O chato asturiano bem que poderia ter dito o lance dos ouvidos, daí a réplica de Hamilton com a célebre frase jânista.

Mas o mais bacana vai ficar por conta do próximo personagem que ocupar a presidência da Ferrari em substituição a bicha velha e escandalosa Luca Di Montezemolo.
Este poderá usar uma das mais engraçadas e violentas frases de Jânio.
Ao ser empossado prefeito da cidade de São Paulo pela ultima vez, antes de sentar-se à cadeira de seu gabinete desinfetou com álcool o acento, que dias antes havia sido ocupado pelo então candidato adversário Fernando Henrique Cardoso para a realização de uma matéria jornalística: “-Desinfeto porque nádegas indevidas se sentaram nela.”.
Il Comendatore Enzo deve estar se revirando no túmulo com esta gestão...

29 de jun de 2010

Ava(ca)liações valêncianas - Eu, eu, eu a FIArrari se...


Vettel foi perfeito, vitória de ponta à ponta sem ser incomodado.

Ele fez caquinha, ultrapassou o safety car, usou o tempo da investigação e mais as três voltas a que tem direito antes de cumprir a punição e andou como um louco. Cumpriu a pena e ainda voltou em segundo. O que tem de errado nisto? Chupa Alonso, chupa Montezemolo.

Button foi só Button mesmo. Carrão e ele tirou vantagem. Pilotou de forma segura e sensata, mas só esta aqui neste post pra dizer também: "-Chupa Alonso, Chupa Montezemolo.

-Jenson... Na hora do pódio não joga muita champanhe no chão não viu...
-Porque Lewis?
-Se não o Alonso déda você por desperdicio.

-Vettel, faz isto não!
-Por que?
-Se não o Alonso cagueta para o mundo que você ainda usa fraldas...

Com o alcagëte é assim mesmo... Faz merda e depois tem que sair escoltado.


Vettel: -Assim que é bom... Ganhar de ponta a ponta... Red Bull me deu asas!
Lewis: -Cuidado, não vai dizer por ai que anda tomando esta coisa ou o Alonso vai dedurar você e dizer que é dopping.

Mas é que fui num GP de Valência assistir uma procissão
Que tremenda decepção
Eu bati que o Alonso era rico e legal mas
Ele era do time da intregação
O bicho esticado em nono
Era dedo nervoso e eu não sabia
Enquanto a malandragem fazia a cabeça
O indicador do safado tremia
Era caguete sim .. Era caguete sim ..
Eu só sei que a FIA pintou na procissão e o dedão do safado apontava pro Lewis
Caguete é mesmo um tremendo canalha
Nem vencido não dá sossego
Chegou no inferno entregou o Diabo
E lá no céu caguetou São Pedro
Ainda disse que não adianta
Por que a onda dele era mesmo entregar
Quando o caguete é um bom caguete
Ele cagueta em qualquer lugar
Era caguete sim .. Era caguete sim ..
Eu só sei que a FIA pintou na procissão e o dedão do safado apontava pro Lewis.

27 de jun de 2010

Valência 2010 - A corrida do cagüeta espanhol

“-Era cagüete sim, era cagüete sim, a FIA pintou na procissão e dedão do safado apontava pro Lewis...”.
Em uma adaptação livre do sucesso de Bezerra da Silva podemos sintetizar toda – ou quase toda – corrida de Valência.

Não é novidade que o melhor desta corrida é o entorno do circuito.
Pródigo em imagens bonitas, mulheres de biquíni em piscinas nas coberturas de prédios este GP é daqueles que se forem extintos do campeonato ninguém vai sentir falta tal a previsibilidade de seus resultados. A edição deste ano não fugiu à regra. Foi chata, chata, chata e chata...
Porém tivemos dois momentos de rara emoção... Exatamente dois.
A decolagem de Mark Webber e o ataque kamikaze de Kobayashi sobre Caguetonso. Trataremos disto mais a frente...

A largada foi limpa e chata.Digno de nota apenas o canguru caindo lá para trás inexplicavelmente. Problema dele.
Com isto X9onso ganha uma posição e fica lá enchouriçando o mundo.
Em uma tentativa de mudar totalmente sua estratégia Mark Webber vai aos boxes trocar pneus e volta atrás de todo mundo na esperança de ganhar novamente as posições quando os outros fizessem suas paradas obrigatórias.
Só não contava com o slogan de sua principal patrocinadora agir de forma tão contundente.
Só que ao invés da Red Bull dar asas, quem deu efetivamente foi a Lótus de Kovalento, e lá foi o canguru para o espaço, literalmente. Imagens após o acidente mostravam o finlandês explicando o acontecido:
“-Eu estava lá na frente, e ele querendo passar, então eu disse se quiser, passa por cima, só não contava que ele acatasse a sugestão.”.
Procurado para dar sua versão o australiano voador disse apenas que ainda estava com a cabeça girando...

Safety car na pista e todos aproveitam para trocar pneus, quem se dá mal é equipe oficial da FIA que acaba com um carro em décimo e outro em décimo sexto.
Tem inicio então a saga do linguarudo. “-Avisem ai aos nossos amigos da direção de prova que o Lewis fez coisa errada.”
Em menos de três voltas aparecia na tela que o carro número dois estava sob investigação, e mais rápido ainda apareceu a punição ao piloto inglês.
Só que para azar do Dedoduronso, Lewis cumpriu sua punição e voltou na mesma posição em que estava: segundo lugar.
E lá ficou até o fim da procissão.

Não contente com a falha em sua estratégia Fofoqueironso ainda daria uma choradinha no rádio antes de atacar novamente.
“-Isto é injusto, como pode ele ficar na nossa frente?” – e arrematou – “-Fala ai com o Jean...”.

Mas o rato francês nada pode fazer contra o talento de Hamilton, então colocou na roda outros dez pilotos sob investigação com ao menos sete à frente do asturiano cagëta.
Até o momento em que este texto ficou pronto não há noticias se todos foram punidos ou não.
O fato é que Vettel venceu de ponta a ponta, de forma previsível e com as duas Mclatas atrás de si.
E – oh meu Deus – com a Williams do 1B em quarto lugar após herdar – de forma honrosa – a posição do japonês kamikaze que só fez sua parada obrigatória a poucas voltas do final. Mostrando o quão idiota é esta regra da obrigatoriedade do uso dos dois tipos de pneus.
Ainda sobrou tempo para ele aprontar das suas sobre carros da Toro Rosso e da FIArrari de Delatonso.
O que nos faz adaptar outro samba histórico – este dos Originais do Samba - para fechar o texto.
“-Falador passa mal, rapaz! Falador passa mal... Que malandro é você que não sabe o que diz. Cuidado com tanta cagüetagem, você pode perder o nariz...”.

25 de jun de 2010

Pequenas maldades na F1

Bruno Senna apóia a regra dos 107%. É... Eu também apoiaria se pilotasse um carro inguiavel e muito, mas muito mais lento que os demais.
Só assim eu teria uma desculpa para faltar ao emprego no domingo.
E ninguém iria alegar que estou de má vontade...

Rubens Barrichello, o popular 1B, disse que a Force Índia não está tão longe, e que a Williams pode até ganhar os 0s5 se melhorar os pequenos problemas que tem.
Olha ai o boquirroto atacando de novo!
Desta vez usou o odioso politicamente correto pra dizer que o carro é uma porcaria cheia de problemas, e que está a 0s5 da Force Índia... Da Force Índia! Não se nega a evolução do time do Vjay, mas Williams tem obrigação de ser maior.
Ah sim... E os pequenos problemas que tem de melhorar são: motor, freios, aerodinâmica e pilotos. Tem a questão da pouca grana, mas se arrumar os problemas listados acima, melhora muito até o nível do dinheiro no caixa.

Alonso espera que a performance da Ferrari seja igual ao de Montreal em Valência.
De espantar seria se ele quisesse que o desempenho fosse igual ao que mostraram na Malásia...
Porém, depois do teste aerodinâmico e de componentes disfarçado de filmagem promocional, eu estou mais querendo é que eles se explodam.... O que também não tem nada de novo. Eu quero isto sempre.

Por ultimo um comentário direto sobre o retorno da regra dos 107%.
Seria legal se a probabilidade das novatas ficarem dentro do limite fosse maior do que a de ficar fora.
Começou tudo errado. Acenaram com um limite orçamentário para atrair novos times.
Eles vieram e então mudaram a regra deixando esta história para lá, e o pior: negaram testes às equipes para tentar ao menos ficar próximo da realidade da F1.
Tiveram de testar nos fins de semana de corrida com resultados próximos ao ridículo.
Com isto, claro, os carros das novatas ficaram muito mais lentos e em alguns pontos de alguns circuitos acabam por atrapalhar os outros times e pilotos, então vem a “bruta bestia” presidente da Ferrari e abre um chororô digno da torcida do Botafogo RJ.
Resultado: o doublé de rato francês e presidente da FIA re-institui a regrinha de limite de tempo com ressalvas: se Virgin, Lotus, Hispânia, que trabalham sério e duro, com restrições de equipamento e grana, não conseguirem andar dentro dos 107 do líder, dane-se. Mas se for a Mclata, Rede Bull (Red e Rosso à seu dispor) ou o Comando Vermelho de Maranello dá-se um jeitinho com os tempos do treino de sexta.
Dá até pra sentir saudades da gestão de Max Mosley, que certamente mandaria o mauricinho de Maranello ir plantar favas com suas revindicações.
Pequeno conselho a Monteazemolo: crie um campeonato de F1 Ferrari, com 12 carrinhos da Ferrari de F1.
Pinte algumas Ferrari verdes, outras azuis, umas prateadas e coloque para correr em Fiorano por setenta voltas...
Chato vai ser agüentar depois da primeira curva o Domenicalli dizendo a todos os competidores: “-Tragam as crianças para casa...”.

23 de jun de 2010

Enquanto isto, na Lotus...

No motorhome de Jarno Trulli...
-Jarno, eu tenho uma novidade para você... – diz Mike Gascoyne, todo feliz.-Novidade? Tem alguma equipe grande atrás dos meus serviços para o ano que vem, Cascoyne? – responde um esperançoso Trulli.
-Não Jarno... É que temos um novo chassi. Fizemos um chassi novinho...
-É mesmo? E quando vamos usar?
-“Vamos” é gente demais Jarno... Infelizmente fizemos apenas um chassi novo. E decidimos que é você que vai ter a honra de usar primeiro. Não é bom?
-É... – diz Trulli sem nenhum entusiasmo.
-Que é mais chocho... Achei que ia ficar contente...
-Não... Eu fiquei.. – mentiu -. Mas estava pensando... Se eu aceitar usar o chassi, o Kova vai ficar chateado... Vai dizer que a equipe só dá material novo primeiro para mim... E eu não quero isto. Pode azedar a relação dentro do time... Entende?
-É... Entendo... Então você sede a vez e deixa ele usar primeiro?
-Claro! – diz todo animado.
-Então vou falar com ele...
-Vai, vai...

E no de Heikki Kovalainen.
-Kova... Eu tenho uma boa noticia para você! – volta à carga Gascoyne.
-Sério? – anima-se o finlandês meia boca – Vamos ser encampados por uma grande montadora?
-Como?
-Nada, nada – diz reconhecendo que dera uma bola fora.
-Temos um chassi novo e você vai usar...
-Espera ai... Temos um chassi novo? Eu entendi bem?
-É... Isto mesmo... Só um... E você vai usar. Não é ótimo?
-Mas por que eu? O que foi que eu fiz?
-Como?
-Quero dizer... E o Trulli? Ele é mais velho, tá sofrendo mais com a pressão... Dá o chassi para ele...
-Ele recusou... E foi cavalheiro... Disse que era necessário que você usasse, para que não ficasse um clima de protecionismo na equipe...
-Nada... Diz para ele que eu não ligo... Que ele pode usar. Que ele deve usar...

Neste momento Trulli chega a tempo de ver a explosão de Gascoyne. -Pô! Eu venho trazer uma boa notícia para vocês, ou pelo menos para um de vocês e vocês reagem assim? Um jogando para o outro como se um novo chassi fosse algo ruim... Ruim é o chassi que estamos usando e pior não pode ficar...
-A gente tem duvidas... – dizem os dois ao mesmo tempo...
-A é? Então quer ver... Eu vou falar pro Fauzy que ele vai ser o titular em Valência e vamos ver o que ele fala?
Então Mike pega o telefone e liga para Fairuz Fauzy.
-Alô? Fauzy? Sou eu o Gascoyne... Temos um chassi novo... E temos uma vaga para titular no próximo GP. Você que vai usar o chassi novo... (...) Quem vai sair? Não interessa, você vai correr... (...) Como? Dor onde? Não sabia nem que este lugar podia doer... Bem... Então tá... – e desliga o telefone, voltando à dupla de pilotos.
-Cês deram sorte, ele disse que tá com dor nas pálpebras... Mas se eu tivesse outro piloto um de vocês dançava... – termina de dizer e seu telefone toca.
-Alô? Quem? Jacques Villeneuve? Opa... Tudo bem? (...) Não, não... É mentira... Não temos vaga não... (...) Não... Quem te falou deve estar brincando...(...) Não... Nem piloto de testes..(...) Não... A tia do café tá bem também, não tem vaga aqui mesmo não... Tchau. – e desliga o telefone com certa violência...
-Cês são sortudos mesmo... Se fosse um piloto de verdade que tivesse me ligado eu contratava, mas o Villeneuve? Melhor jogar fora o chassi novo e deixar vocês dois correr com o velho mesmo... Sem surpresas...
-Ufa! – suspiram aliviados Trulli e Kova.

22 de jun de 2010

Diga que é uma filmagem, na F1 funciona

É proibido colar em provas.
Mas se você for pego colando no vestibular para Medicina da USP, diga que estava realizando uma filmagem.
Aposto que a reitoria iria aceitar a desculpa na boa...
É proibido roubar bancos.
Mas se por acaso for pego roubando uma agência bancaria, conte que estava realizando uma filmagem.
Quem sabe a policia sorria para aparecer bem no filme.

Não se pode pegar a mulher do vizinho.
Mas se por acaso você for flagrado com ela pelo próprio, diga a ele que era apenas uma filmagem. Pode ser que ele entenda e talvez até queira participar... Vai saber.

Se você é diabético, é proibido de comer doce.
Mas se por acaso sua saúde começar a definhar e seu médico constatar nos exames que sua taxa de glicose está alta, diga a ele que é só uma filmagem.
Pode ser que seu organismo entenda, aceite e que você fique bem no caixão.

É proibido meter a mão no erário publico.
Mas se te pegarem em falcatruas e safadezas como desvio de dinheiro da merenda escolar, diga que era apenas uma filmagem.
Você vai ficar bem na fita e ainda vai aparecer forte nas próximas eleições...

Os testes particulares e coletivos da F1 estão proibidos.
Mas se for a Ferrari a fazer os seus em sua pista particular em Fiorano, testando um novo escapamento... Ai é só dizer que estava fazendo uma filmagem.
A FIA (Ferrari ou Fernando International Aid) aceita e até acha normal.
Capaz até do doublé de rato francês querer aparecer no vídeo...

21 de jun de 2010

Eles estão entre nós...

O universo é vasto para cacete, até porque se usasse aqui o equivalente feminino para ilustrar o tamanho dele me tachariam de deselegante...
Mas dizia da vastidão, do infinito tamanho do universo e assim sendo, é quase como assinar um atestado de idiotice pensar que estamos sozinhos nele enquanto planeta habitado.
Imagina o tamanho do bode existencial se isto for verdade? Tanto espaço e apenas aqui neste cantinho é que tem gente.

Partindo deste pressuposto podemos então crer que: existe sim vida em outros planetas em outro canto qualquer do universo.
Só que não necessariamente mais inteligentes e evoluídos que nós... Porque seriam?Esta história é coisa de estúdio holiudiano que – provavelmente - acha muito difícil vender um produto – filme, claro – em que os invasores fossem particularmente mais burros que os invadidos.
“-Meu Deus, estamos sendo invadidos por seres de outro planeta, com armas sofisticadas, sem moral e sem piedade!” – diz um daqueles atores com cara de cantor de boy band.
“-Não tem problema, eles são burros, não sabem nada de teoria quântica.” – responde um ator veterano com um papel pequeno.
“-Então joga pra cima deles uma equação de terceiro grau com potenciação acima de nove e com “x” definido por equivalências ambíguas!” – resolve a parada uma atriz gostosona, que na vida real nem sabia da existência de um treco destes.

Ou, por outro lado, poderia sim, ser mais inteligentes, o que não seria nenhuma heresia, já que nós -“tão inteligentes” - vamos aos poucos destruindo o planeta em que vivemos.
E isto porque até onde sabemos é o único que tem vida.
“-Este povo merece ser exterminado!” – diz o líder da invasão.
“-Realmente comandante! Eles poluem sua água que bebem, acabam com suas matas, sujam o ar que respiram...”.
“-Nem to falando disto.”
“-Do que então?”
“-Já ouviu funk carioca? Rebolation? E Justin Bieber?”
“-Putz! É mesmo… Destrói toda esta gente… Ô mau gosto danado!”
Só lembrando aos puristas que o dialogo acima foi traduzido de uma língua alienígena qualquer para facilitar o entendimento.

Aqui no Blig Groo, acredita-se piamente que existe vida em outros planetas, sim... E mais! Já tem seres destas outras civilizações alienígenas entre nós, e não são poucos não!
Nem todos são inteligentes ou tem formas humanas. Alguns são de fácil identificação, outros nem tanto.
Jacarés por exemplo... Aquele bicho inútil que não canta como o Pato de João Gilberto, não tem a graça do Leãozinho de Caetano, não tem o Passo do Elefantinho, nem é majestoso como o Sabiá do Jair Rodrigues, e nem rebola como a vaca da Garota de Ipanema do Tom Jobim... Aliás, nem bunda ele tem! E existe coisa mais alienígena que criatura sem bunda? Alguns foram identificados aqui mesmo, perto de onde escrevo este texto.
Vindo de algum lugar da galáxia Cornetiasdusinfernus, um representante do povo Vuvuzélicano, acabou por se instalar na casa ao lado da minha até onde se sabe seu verdadeiro nome é: Jorgehenricoviadumcacetem.
Ao menos este espécime em particular não parece muito inteligente – e nem educado.
Quando está disfarçado é até uma pessoa agradável, mas basta assumir a forma do povo do qual vem e pronto! Surge sabe se lá onde em seu corpo uma enorme corneta e ele então se comunica com outros seres da mesma espécie por meio de um peculiar idioma:
"-Póóóuuuuuummmmm!" E esta porcaria segue o dia todo... Desde as cinco da manhã até bem depois da meia noite.
E no dia seguinte o corno ainda tem a cara de pau de sorrir e dar bom dia...
E vocês? Conhecem algum alienígena infiltrado entre nós?

18 de jun de 2010

Short cuts - ou - Vida besta.

Deitados na cama olhando para o teto.
-Poderia ser melhor...
-É... Poderia. O que você acha que deu errado?
-Errado? Nada... Só acho que poderia ser melhor...
-Tudo bem... Da próxima vez eu vou me esforçar mais.
-Tá bom... E vê se não esquece de recortar o forro...
-Recortar o forro? Do que cê tá falando?
-Da pintura do teto, óbvio...
-Eu pensei que...
-Pensou o que?
-Nada não...
-Quando combinamos de ter um relacionamento aberto não esperava isto de você.
-Não sei por que ta reclamando... Cê sabia que isto poderia acontecer.
-Eu sei... Combinamos de não haver cobranças.
-Exato.
-Mas isto é demais... Difícil agüentar.
-Não sei por quê... Você também já chamou por outro nome que não o meu na cama...
-Foi, foi... Mas...
-Nada de “mas”... Lembra quando você gritou - eu disse gritou - o nome de um tal Pedro?
-Lembro sim... Mas...
-Mas nada... É a mesma situação.
-Não, não é... Eu gritar “Pedro” é normal. Agora, você sussurrar “Chicão” no meu ouvido é imperdoável... Tem desculpa pra isto...
Ele para, pensa, sorri amarelo e diz:
-Vai timão...
-Sabe, é bonito observar você ler o caderno de política na mesa do café da manhã...
-Hum...
-É interessante, eu sempre te admirei muito por sua inteligência, sua perspicácia...
-Hum...
-Quando disseram que a gente inverteria os papeis eu duvidei, Quando disseram que você era muito mais firme, que eu era mais emoção... Achei besteira... Mas o tempo mostra coisas não é?
-Hum...
-No começo eu tinha medo... Tinha medo de que dissessem que era você quem vestia as calças neste relacionamento... Mas hoje não... Hoje sei que nosso relacionamento é pautado em respeito ao espaço alheio e que você me amaria até se eu fosse cego ou inválido...
-Hum...
-Não é verdade? Você não me ama, mesmo eu não sendo tão inteligente e tão versado como você?
-Olha... Eu te amo de qualquer forma, mas amaria mais se você fosse mudo... Me deixa ler o jornal em paz...
-Olá senhora, bom dia!
-Bom dia... Olha eu estou um tanto ocupada, é hora de arrumar as crianças para a escola...
-Mas eu não vou levar muito tempo para oferecer meu produto à senhora...
-Bem... Eu estou com pouco tempo disponível e seria melhor que o senhor passasse mais tarde...
-Veja bem... A senhora tem problemas com baratas?
-Tenho sim... Que casa não tem baratas? Mas eu preciso mesmo entrar, por favor...
-É exatamente isto que venho oferecer: uma casa sem baratas. Meu produto mata as baratas por três meses!
-Mesmo? E depois? Elas ressuscitam?
-Já entendi... Volto quando a senhora tiver mais tempo...

17 de jun de 2010

A necessidade de criar mitos e fantasmas

Sempre me reservo o direito de não falar do que realmente não entendo, e futebol é uma destas coisas.
Se bem que o texto a seguir não é especificamente sobre o esporte bretão, mas sobre a imprensa que o cobre desde priscas eras...

Erigir mitos, criar monstros, forjar verdades absolutas usando a máxima de Goebels: uma mentira contada muitas vezes se torna verdade.
O time uruguaio de 1950 é exemplo claro, chegou à decisão em clara desvantagem por ter feito uma campanha pior que a brasileira.
Ganhou em duas falhas individuais de jogadores brasileiros e se tornou a partir dali um ícone de raça e garra inexpugnável, mesmo tendo na maioria das vezes times muito meia boca com alguns bons nomes.
Talvez a questão demográfica ajude a explicar isto, já que a população uruguaia não é maior que quatro milhões de habitantes, enquanto no Brasil, por exemplo, só o estado de Rio Grande do Sul tem mais de dez milhões.

E isto se repete ano após ano, evento após evento.
A bola da vez era a força da torcida africana, que por assistir o mundial em seu quintal levaria seu time, extremamente ruim, a lugares que nem se imaginava.
A derrota para um mediano Uruguai é mais que normal e não dá para entender a decepção do mundo com o resultado.
Espantoso seria o contrário, e nem é por conta da qualidade dos sul americanos, mas pelo simples fato de que às margens do Rio da Prata se joga futebol, bem ou mal, mas joga.
Gostar de futebol não basta.
Mais da metade da população mundial gosta, mas saber jogar são outros quinhentos...
É como os brasileiros com o futebol americano ou o baseball, até tem gente que gosta, mas ser bom e almejar algo maior nas competições... Vai fumaça viu!

Outro destes mitos criados pela imprensa esportiva é a seleção espanhola.
Um país em que seu futebol vive de importar craques dos mais variados países para seus principais times não pode ser realmente levado á serio.
Os melhores jogadores de cada posição são estrangeiros nos melhores times, e os melhores espanhóis ou são reservas nos grandes times, ou então jogam em times que não ganham nada nunca.
Se fossem melhores, os espanhóis, não seria preciso importar jogador de parte alguma.
Ai se faz a confusão entre time forte espanhol, como Real Madrid e Barcelona e seleção forte espanhola.
Os times são fortes, mas a seleção é comum, não assusta metade do que se escreve por ai.
Assustaria sim, se o técnico espanhol pudesse escalar os melhores jogadores de seus melhores times.
Então teríamos uma Espanha com Méssi, Kaká, Cristiano Ronaldo, etc, etc, etc... E não com Puyol, Xavi Alonso, Piquet, Senna (eu achando que era futebol, ó!) e outros menos cotados.
Como assim não é, temos uma Espanha com fama – justificada – de pipoqueira em copas e que perde para Suíças da vida...
Menos para a imprensa, que insiste - copa após copa - em classificá-la como favorita junto à Alemanha, Argentina, Itália e Brasil. Estes sim, sempre favoritos e com justiça.
No fundo o time espanhol tem muito mais de Hispânia Racing do que de Fernando Alonso.

E está no ar mais uma edição da Rádio Onboard, com o melhor do GP do Canadá.
Muita coisa boa foi discutida por Felipe Maciel, Fábio Campos e eu. Com aquele humor de sempre, ou a falta dele... Vai entender.
Aproveito para pedir desculpas pela falta de constância dos posts, mas postar meio doente é complicado. As vezes a febre não deixa pensar...

15 de jun de 2010

Ava(ca)liações canadenses - grande corrida.

A prova foi ótima, ha muito tempo não tinhamos tanto movimento em pista seca como foi no Canadá, nota dez. Assim como esta imagem.

Hamilton foi genial durante todo o fim de semana, a vitória foi para lá de justa.

Button foi preciso. Poupou o equipamento para poder chegar ao final com alguma vantagem. Jantou Alonso bonito...

Eu implico, mas o chato está guiando muito. Se a Ferrari melhorar mesmo vai ser dificil segurar...

Vettel não lembrou em nada o piloto que vinha ganhando todos os olhares do mundo. Deu até vergonha esta prova dele... Vergonha alheia.

Chequei a ter duvidas se era o Schumacher mesmo debaixo do capacete... Lembrou o Couthard de tanto que bateu...
Emerson comandou os comissários de prova, e pelo que se viu... Vai voltar.
Em tempos de copa do mundo é na grama que a coisa rola...
Fala sério, e dai que ela errou o placar do jogo da Alemanha? E dai?
A verdade é dura...
E nem sempre é bonita.

13 de jun de 2010

Canadá, surra no lombo dos bois vermelhos

A corrida na terra da policia montada é sempre um evento especial. Seja por seu povo que é realmente apaixonado pelas corridas de F1, seja pelo clima de festa pela chegada da primavera com seus dias lindos e claros, após meses de longo e rigoroso inverno, seja pela pista que sempre proporciona um espetáculo bonito.
Estreita, com pouquíssimas áreas de escape não costuma perdoar erros bobos de desatenção.
Ou seja, não é uma pista de brinquedo, é para pilotos na acepção da palavra.

Em tempos de copa do mundo, talvez o GP da terra do lombo canadense ficasse em segundo plano, já que o futebol é um esporte onde as emoções podem ser mais visíveis, porém, esta em especial apresentou em suas primeiras partidas apenas jogos razoáveis e não fizeram nem cócegas nas emoções da corrida. Quem resolveu ignorar a prova em detrimento de um descanso para a partida do fim de tarde perdeu uma das provas mais animadas do ano.

Em ritmo alucinante desde os treinos de sexta o fim de semana começou com a estratégia ousada – e cara, dez mil dólares de multa - por parte de Hamilton para quebrar a hegemonia dos carros de boi vermelho na posição de honra.
Conseguiu.
Fernando Alonso que parecia estar com pouquíssima gasolina no tanque também surpreendia, porém sua corrida mostrou que não era blefe e sim que o asturiano sem vergonha está mesmo em um ano incensado, andando muito mais que o carro.
Isto quer dizer que a Ferrari chegou? Não, o acerto para andar no circuito Gilles Villeneuve é especial, com muito pouco downforce, e isto melhora até o carro da Hispânia.

A largada limpa do ponto de vista dos lideres não espelhou o que foi a prova, muitas ultrapassagens, brigas incríveis, principalmente de Hamilton e Alonso onde o Dick Vigarista espanhol não conseguiu levar vantagem em momento algum. Os pneus foram pontos preponderantes na corrida.
Com um desgaste além do esperado, foi a corrida com mais pitstops do ano até aqui e os primeiros foram logo com seis voltas e foram no mínimo duas para cada piloto.
Ponto para a Red Bull que em um dos seus conseguiu a impressionante marca de três (!) segundos. Mas nem isto lhes deu a vitória ou sequer um pódio.

Das disputas, que foram muitas, pode-se destacar Hamilton mostrando para o Alonso quem é bom e quem é Alonso; Button fazendo a mesma coisa; Massa sofrendo a corrida toda atrás de alguma Force Índia, Buemi segurando Alonso para Hamilton mostrar o que mostrou.
E para coroar com a cereja o grande e delicioso bolo canadense Massa, que já tinha passado maus bocados com toques de corrida com as Force Índia, tentou passar Michael Schumacher no fim da reta.
O alemão, talvez pensando que ainda estava na Ferrari e que Massa fosse o 1B, deu-lhe um “chega pra lá” e quebrou a asa dianteira do brasileiro que mais uma vez foi aos boxes.
Como bônus de fim de prova o sete estrelas ainda brigou - e perdeu hahahahaha – com as Force Índia de Vitantonio Liuzzi e do conterrâneo Adrian Sutil, deu trabalho, mas antes da linha de chegada tomou um fuck-off dos dois e nem marcou pontos.
Com a prova horrorosa que vinha fazendo o mais provável é que ele estivesse tentando cavar um acidente para poder correr para o motorhome e assistir ao jogo da Alemanha contra os Webbers pela copa do mundo.
Reuniram-se no mesmo motorhome o povo da Mercedes, Nico Rosberg, que acha o Klose um gato, Vettel, Sutil e Hulkemberg, que por ser novato ia toda hora buscar as cervejas.
O mais engraçado eram os berros de “GO SCHWEINSTEIGER” que eles soltavam para intimidar o Webber, mas depois da péssima prova do canguru, nem se eles gritassem outro palavrão qualquer...

Se as ultrapassagens e brigas na pista foram muitas, também foram muitas as punições do race control.
Liderados por Emerson Fitipaldi distribuíram punições e investigações a torto e a direito.
Petrov que queimou a largada, foi punido, depois entrou em investigação.
Emerson que correu durante ano nos EUA deve ter adquirido a birra dos estadunidenses com os russos. Sofreu o Petrov, tanto com o carro quanto com o race control.

No fim dobradinha das Mclatas com Hamilton no alto do pódio e soltando o manjado “good job guys” no rádio do carro.
Button, que desta vez não atacou o companheiro de equipe, e o chato das Astúrias completaram o pódio.
De ruim fica apenas a certeza de que a próxima corrida não repetirá nem em sonhos as emoções canadenses, afinal, é na pista alonsiana de Valencia. Chata....